Artigos escritos por liszt

Operação Carnaval mobiliza polícia no Cariri

A Polícia Militar está organizando em todo o Estado a Operação carnaval com o objetivo de levar mais segurança para a população durante os festejos mominos. No Cariri o efetivo já está se preparando para os dias de muito trabalho. Em Crato a Operação Carnaval vai contar com o empenho pessoal do Major Santos comandante da PM na cidade. Em Juazeiro apesar de não haver festa carnavalesca acontecerá a Romaria das Candeias o que vai movimentar bastante a cidade e a polícia também se prepara para a movimentação que aumentará substancialmente nesse período.

Por: Tarso Araújo – Radialista

.

Hoje no DN – Novo restaurante no Cariri oferece refeição a R$ 1,00


Idosos têm prioridade no atendimento do Restaurante Popular, mas o local destina-se ao público em geral, especialmente os devotos durante as romarias (Foto: Elizângela Santos)
Romeiros do Padre Cícero e população em geral já podem contar com alimentação ao preço popular de R$ 1,00

Juazeiro do Norte. Começa a funcionar neste município o restaurante popular. O projeto se propõe a ser um centro de referência alimentar e nutricional. Já estão sendo fornecidas ao preço de R$ 1,00, desde ontem, mil refeições diárias. O restaurante conta com um suporte para chegar até 4 mil refeições.

Próximo dia 30, o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, estará na cidade juazeirense para lançar o projeto Compra Direta e fará uma visita ao restaurante, inaugurado no sábado.

Banco de Alimentos

O projeto insere 240 agricultores da região no fornecimento de alimentos para o restaurante. Todos estão incluídos no Pronaf e serão orientados no sentido de repassar uma alimentação dentro dos padrões exigidos pela iniciativa.

Segundo a coordenadora do Restaurante Popular, Pautília Araruna, serão destinados para o Compra Direta cerca de R$ 840 mil mensalmente. Os produtos da agricultura familiar serão repassados para o Banco de Alimentos, já em funcionamento no município. Nem todos os restaurantes populares do Brasil contam com esse tipo de benefício aos produtores.

Cerca de 25 funcionários foram contratados por meio de uma empresa especializada. Profissionais como nutricionistas estarão fazendo a manutenção do cardápio. Conforme Pautília haverá fiscalização do município e do MDS.

Várias ações serão desenvolvidas por meio do restaurante, como centro de referência alimentar e nutricional. Segundo Pautília, por ser Juazeiro uma cidade com mais de 100 mil habitantes e congregar muitos trabalhadores, iniciará com mil refeições durante o dia. Irá beneficiar principalmente o setor informal. De acordo com a demanda, principalmente nos períodos de romaria, a quantidade poderá ser reavaliada.

O prefeito Raimundo Macedo diz que irá depender também da disponibilidade financeira do município. Ele destaca a proposta do MDS para a construção de cinco cozinhas comunitárias em bairros carentes de Juazeiro do Norte, hoje com mais de 250 mil habitantes.

Cada uma irá fornecer 200 refeições à população. O restaurante conta com área de distribuição de alimentos, bilheteria, câmara fria e subestação de força. Além disso, setor apropriado para lacticínios, vegetais e higiene das panelas. O prédio possui local para recebimento dos gêneros alimentícios, depósito, dispensa, ambiente para os alimentos preparados e sala de nutricionista. Outros setores são de descarga, área de estacionamento e banheiros. A área é de 1.471 metros quadrados.

Preço acessível

Uma multidão lotou o prédio no dia da inauguração. Todos queriam degustar a comida de preço acessível. Música popular, uma exposição de xilogravuras de Francorli e muitas esculturas podiam ser vistas no local. Pautília diz ser esse mais um incremento do projeto, divulgando o trabalho dos artistas locais, com exposições mensais e apresentações durante o almoço. Cursos de alimentação alternativa, educação alimentar, além das ações de cultura e orientações na área de saúde estão inseridos no trabalho.

Outro aspecto importante são as romarias de Juazeiro. Próximo dia 28, será iniciada a de Nossa Senhora das Candeias, em que Juazeiro deverá estar recebendo mais de 200 mil romeiros.

A refeição tem o valor real de R$ 3,00, sendo bancado pela administração local e governo federal. Porém fica mantido o preço de R$ 1,00 ao consumidor final. O funcionamento será das 11 horas às14 horas, mas meia hora antes, será aberto aos idosos e portadores de necessidades especiais. Em seguida, será aberto ao público em geral. “Temos um grande número de idosos e queremos que venham ao restaurante para se alimentar”, diz Pautília, ao acrescentar que a seleção dos usuários acontecerá naturalmente. Mas, qualquer pessoa que esteja na cidade têm acesso ao novo local.

A secretária de Ação Social do município, Maria Loureto de Lima, destaca que além de gerar comodidade e economia para o bolso dos usuários, o Restaurante Popular vai atuar num processo de reeducação alimentar das pessoas. O cardápio já foi definido por nutricionistas e serão proferidas palestras sobre o tema. O prédio recebe o nome do industrial José Amâncio de Souza e o refeitório será uma homenagem ao ministro Patrus Ananias.

No Crato, o Restaurante Popular está em fase de conclusão. A previsão é que seja inaugurado até abril deste ano. Será o quinto restaurante do Estado, hoje presente na Capital, Maracanaú e em Sobral. Segundo a secretária de Ação Social do município, Liduína Andrade, serão fornecidas mil refeições diárias no valor de R$ 1,00. Conforme ela, 99% da obra está concluída, restando apenas a licitação dos equipamentos. “Esse local social é de grande relevância para a comunidade e está voltado para as pessoas que trabalham no setor informal e formal e não têm condições de ir em casa fazer uma refeição, além das pessoas que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social e pessoal”. Será fornecido o almoço, de segunda à sexta-feira.

Mais informações:
Restaurante Popular
Rua do Cruzeiro, 887, Bairro São Miguel
Juazeiro do Norte
(88) 3566.1020

N. SRA. DAS CANDEIAS

Operação discute infra-estrutura

Juazeiro do Norte. A primeira grande romaria do ano, a de Nossa Senhora das Candeias, será iniciada no próximo dia 29 e prossegue até o dia 2 de fevereiro. Este ano, coincide com o período de Carnaval e jogos do Campeonato Cearense. No final da tarde de ontem, na primeira reunião da “Operação Romeiro”, um dos principais temas discutidos para esta grande festa religiosa foi a segurança para o período de comemorações.

A cidade de Juazeiro não tem programação específica para o Carnaval — este ano, principalmente por estar sendo visitada por mais de 200 mil romeiros de vários Estados do Nordeste. Segundo o padre Paulo Lemos, administrador do Santuário Diocesano de Nossa Senhora das Dores, a programação religiosa está sendo finalizada e haverá toda uma preparação com missas em vários locais e a procissão.

O secretário de Turismo e Romaria do município, Felipe Figueiredo, disse que este ano o período será atípico e requer uma maior atenção principalmente na segurança.

Todo um planejamento começa a ser feito e será definido o itinerário da procissão, que acontece na tarde do dia 2, coincidindo com um jogo do Campeonato Cearense de Futebol, no Estádio Romeirão.

O material gráfico, como leques e copinhos para as velas no dia da procissão, já foi confeccionado. Já está definido que serão montadas barracas com pessoas treinadas para fornecerem informações aos romeiros, além de atendimentos à saúde, como aferição de pressão arterial e primeiros socorros. A questão dos vendedores nos arredores da Igreja Matriz continua sendo um problema sem solução em Juazeiro, e volta a discussão.

A festa de Nossa Senhora das Candeias encerra o calendário das grandes romarias, iniciada no mês de setembro com a festa de Nossa Senhora das Dores. De lá para cá tem sido contínuo o fluxo de romeiros na cidade, principalmente após o Natal e Dia de Reis.

Juazeiro do Norte tornou-se conhecida pelas festas de romeiros. São inúmeras as publicações feitas a partir de pesquisas sobre as manifestações de fé no Padre Cícero Romão Batista, que se transformou em um grande santo popular.

Elizângela SantosRepórter
Jornal Diário do Nordeste – www.diariodonordeste.com
.

O Jornal A AÇÃO e a Romanização do Catolicismo no Cariri (Parte I)

Dirigido e mantido pela Ação Católica da Diocese de Crato, o jornal A AÇÃO era o veículo de propagação e de defesa das orientações, dos valores, das normas e doutrinas do catolicismo romanizado na Diocese de Crato. Publicado semanalmente, sua existência pode ser dividida em duas fases. A primeira vai da sua fundação, em 1939, até o final dos anos 60 e início dos 70 e o caracteriza exclusivamente como um jornal católico. Nesta fase, todos os seus artigos e matérias estão ligados à promoção e defesa da fé católica.

A segunda fase, iniciada nos anos 70, estende-se até o seu fim, em meados dos anos 80. Esta fase é marcada por uma abertura do jornal que, embora permanecendo católico, assume características de jornal secular, veiculando, além das notícias religiosas, notícias políticas, sociais, econômicas, esportivas e culturais sobre a região do Cariri. Vale salientar que os números do jornal disponíveis no arquivo da Cúria Diocesana são poucos e cobrem apenas parte dos anos 40, 50, 60, 70 e 80, não havendo nenhum decênio completo.

Condenando os valores e costumes seculares, “A Ação” atacava de forma veemente o carnaval, a bebida, o jogo, a prostituição, os trajes indecentes, etc. Ao mesmo tempo, apresentava aos leitores valores, normas e condutas a serem seguidos por todos os católicos. Por exemplo, orienta os pais na formação dos seus filhos e os casais na resolução dos seus problemas. Orienta ainda como devem ser realizados os eventos religiosos, especialmente as festas de padroeiros.

Um dos principais articulistas do jornal “A Ação” era o Padre Pedro de Oliveira Rocha. Padre Rocha, como era mais conhecido, foi Reitor do Seminário Episcopal no período de 1941 a 1959. Foi ainda Diretor do Hospital São Francisco e Assistente da Ação Católica. Em 1951 foi agraciado com o título de Monsenhor. Ele era uma das principais vozes do clero diocesano no período em questão.

Padre Rocha escrevia semanalmente a coluna “Alfinetadas”, publicada sempre à primeira página do A AÇÃO. Através dos seus escritos, ele orientava os católicos sobre os mais diversos assuntos: como se portar na Igreja, relação esposo/esposa, pais/filhos, trajes a serem usados pelas mulheres, etc. Além disso, ele utilizava o espaço também para atacar aqueles que eram considerados os inimigos do catolicismo: protestantes, comunistas e liberais. Padre Rocha escreveu também sobre as festas: festas sociais, festas de padroeiros, dentre outras.

Na segunda parte deste texto, discutiremos um artigo do Padre Pedro Rocha, publicado em sua coluna “Alfinetadas”, em 13 de dezembro de 1942. No artigo, intitulado “Festa de Verdade”, ele faz uma análise da Festa da Imaculada Conceição, celebrada em Missão Velha, destacando-a como exemplo a ser seguido pelos demais católicos do Cariri, em oposição aos festejos religiosos que eram profanizados pelo jogo, bebidas e danças.

Por Océlio Teixeira de Souza

Carnaval da Saudade

Mais um ano e o Carnaval da Saudade do Crato Tênis Clube vem confirmar o seu sucesso. A procura por ingressos e mesas não param. Certamente “esse ano não vai ser igual aquele que passou”, pois você vai brincar soltando o seu sorriso e a sua alegria nos salões do “Clube do Pimenta”. Então, não perca tempo e ligue agora mesmo pra o Crato Tênis Clube. Compre a sua mesa e venha aumentar o cordão da alegria. A banda que vai animar a galera é da cidade de Carnaíba, Pernambuco, terra de Cacá Malaquias e Mano Malaquias, conhecida pelos seus ótimos instrumentistas.

Aguardamos você, e que venha com toda a alegria e o sorriso aberto para o CTC.
Contato do Crato Tênis Clube: (88) 3523.3793

Abraços.

Documentário sobre a Chapada do Araripe está sendo feito no Cariri

O cineasta cratense, Jefferson de Albuquerque Júnior, reconhecido pela sua participação em vários filmes feitos no Cariri e em outras regiões, como os premiados Patativa do Assaré, Um Poeta do Povo; Dona Ciça do Barro-Cru, Músicos Camponeses e Sargento Getúlio, – está agora envolvido com um novo trabalho. Trata-se do Projeto Audivisual Chapada do Araripe, cujo foco central é o que ainda parece ser o mistério da existência de fósseis na região do Cariri cearense. Segundo a apresentação do projeto, especulações diversas perpassam o imaginário popular, como a possibilidade de três origens dos fósseis na região: a hipótese da existência, em priscas eras, de um grande lago, ou mar, que cobriu todo o Vale do Cariri; a conseqüência do dilúvio bíblico (daí a explicação de fósseis de animais aquáticos) ou, mesmo, de um processo associado a explosão de um grande vulcão, tal como ocorreu em Pompéia.
Além de abordar as questões culturais e ambientais relativas ao tema, o documentário pretende elucidar o fenômeno a partir de pesquisas e estudos de teses sobre o assunto, tais como os trabalhos apresentados no Simpósio Sobre a Bacia do Araripe e Bacias Interiores do Nordeste, realizado em Crato, em 1990, até a criação do GeoPark Araripe, em 2006. Tudo de forma muito didática e compreensível ao entendimento de uma pessoa leiga.
O vídeo constará de três blocos de dez minutos de duração cada. Cada bloco enfocará uma temática relacionada com a Chapada do Araripe: a formação dos fósseis, a questão ecológica e cultural e uma visão de futuro.
Segundo Jefferson Júnior, “todos os blocos serão intercalados com depoimentos de geocientistas, estudiosos dos temas abordados, bem como do povo local na sua sabedoria empírica, mesclando imagens de uma natureza exuberante, através de recursos digitais gráficos, passando ao público toda a emoção que existe em se viver e amar esta porção privilegiada do Nordeste brasileiro, desvendando a magia que existe em seus recônditos, os mistérios e as belezas das encostas e do majestosos cume da Chapada do Araripe.”

EQUIPE TÉCNICA

Roteiro: Jefferson de Albuquerque Júnior e Robert Stiling. Produção Executiva e Direção: Jefferson de Albuquerque Júnior. Diretor Assistente e de Produção: Jackson “Bola” Bantim. Assistente de Produção: Valmir Paiva de Azevedo. Diretor de Fotografia: Catulo Grajeiro Teles. Câmera: Fernando Garcia. Trilha Sonora: Abidoral Jamacaru e Orquestra Pe. David Moreira da Sociedade Lírica do Belmonte. Consultoria Técnica: Robert Stirling e Francisco Renato de Souza Dantas.

Testes com os trens Crato-Juazeiro

Leiam, abaixo esta notícia divulgada pelo Governo do Ceará. Existem iniciativas que correm o risco do fracasso. Na minha opinião, esta do Governo do Estado é uma delas. Explico. Hoje, ônibus de duas empresas (Brasília e Coltran) percorrem bairros periféricos de Crato (Seminário, Vilalta, Novo Crato,dentre outros) e de Juazeiro ( Betolândia, Tiradentes, Pedrinhas,Novo Juazeiro, Lagoa Seca,dentre outros) deixando os passageiros – que trafegam entre as duas cidades – próximo a suas residências. O trem não fará isso. Será que as pessoas (optando pelo trem) percorrerão o restante do percurso a pé? ou pegarão moto-táxis para chegar ao destino (trabalho/residência)? E vejam que o Governo Cid Gomes está gastando 10 milhões de reais nesse empreendimento…

TESTES COM O TREM DO CARIRI COMEÇAM EM FEVEREIRO

Trem do Cariri, projeto de integração ferroviária de passageiros entre os municípios de Juazeiro do Norte e Crato, executado pela Secretaria da Infra-estrutura do Estado (Seinfra), através da Companhia de Transportes Metropolitanos (Metrofor), continua avançando na sua implantação. Os testes com os veículos de transporte de passageiros devem ser iniciados na segunda quinzena de fevereiro. As obras de remodelação da via permanente e edificações também já estão adiantadas. Serão nove estações e 13,6 km de extensão. O retorno do trem unindo Juazeiro do Norte e Crato é uma antiga reivindicação da população do Cariri e cuja execução está sendo garantida pelo governo Cid Gomes.

A via permanente, que vai da estação Fátima, em Juazeiro do Norte, à estação de Crato, está orçada em R$ 9.941.000,00 e deve ficar pronta em junho deste ano. Em Juazeiro do Norte estão sendo construídas as estações de Fátima, Juazeiro, São Pedro, Teatro Marquise Banca (antigo matadouro) e Parque Antônio Vieira).

No Crato serão implantadas as estações São José, Muriti, Padre Cícero e Crato). O projeto prevê o uso de modernos trens de passageiros para fazer a ligação inicial entre esses dois municípios, que, juntos, têm cerca de 320 mil habitantes. O Transporte Rápido Automotriz (Tram) é composto de dois veículos formados por dois carros cada. A capacidade é de 330 passageiros por veículo (100 passageiros sentados e 230 em pé).

O investimento foi de R$ 3.796.000,00 acrescidos de mais R$ 700.000,00 referente a manutenção dos carros por 24 meses. Os trens terão tração diesel hidráulica mecânica e serão formadas por quatro carros climatizados. A velocidade máxima operacional será de 60km/h. O sistema contará ainda com uma oficina de manutenção e um Centro de Administração e Controle de Trens.

Nas obras de vias e edificações, está prevista, além da remodelação da via permanente, a implantação de passagens de nível, de cruzamentos e pátio de manobras; implantação das paradas. Os investimentos nestes itens são de R$ 2.200.000,00. A empresa executora das obras é a Engexata Engenharia.

Assessoria de Imprensa da Seinfra
José Milton (
josemilton@seinfra.ce.gov.br / 3101.3763) – 17/01/08 – 8h54min

Hoje no "O Povo" – Governo do Ceará lançará plano contra a dengue

Epidemia:

A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará lança na próxima terça-feira seu “Plano de Combate à Dengue 2008″

A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará lança na próxima terça-feira seu “Plano de Combate à Dengue 2008″. O foco do plano será o fortalecimento do processo de informação, educação, comunicação e mobilização social, a capacitação de profissionais para o diagnóstico precoce e o manejo clínico correto de pessoas com dengue hemorrágica, além de ações de controle preventivo. Outro ponto de destaque será o uso racional e localizado de inseticidas.

Está prevista a aquisição de 60 máquinas de pulverização para o combate focal e seletivo com inseticida em áreas de risco. Também está aprovada a aquisição de 15 mil metros de tela para dar apoio às prefeituras na proteção de caixas d”água.

Segundo dados da Secretaria da Saúde, em 2007 o Ceará registrou 24.731 casos confirmados de dengue. Apesar do aumento do número de casos da forma hemorrágica da doença, com 295 casos confirmados no ano passado, o número de óbitos tem mostrado queda: foram 24 mortes em 2005, 15 em 2006 e 10 em 2007.

Fonte: Agência Estado

.

Chuvas em crato – Foto do Dia…


Foto grande:
Um dia sombrio, com muita nebulosidade. Choveu pela madrugada, espetáculo que se repete há alguns dias. Alternância de calor extremo e temperaturas mais amenas. Assim é o Crato em Janeiro. Foto acima do lado norte da cidade, no canavial de “Maria Muniz” tirada agora há pouco.

Foto: Dihelson Mendonça

SESC – Oficina de Teatro para Crianças


.

Notícias da semana no Cariri – Coluna Tarso Araújo

19/01/2008 16:27

Barraginhas ( Ou barragenzinhas ) ?

Jati é a cidade pioneira no estado do Ceará na construção de Barraginhas para Captação de Enxurradas. Técnicos da Embrapa desenvolveram essa tecnologia em Lagoas, Minas Gerais. No Ceará, o projeto Barraginhas terá o seu lançamento oficial em Jati com a construção de 100 Barraginhas ainda este mês e irá contar com a presença do agrônomo Luciano Cordoval. O município irá lucrar com mais captação de água, melhorando ainda mais a agricultura, gerando mais emprego e renda para região.

ANICETOS EM GUARAMIRANGA
O Festival Jazz & Blues de Guaramiranga, que chega à 9ª edição de 2 a 5 de fevereiro em Guaramiranga e de 7 a 9 em Fortaleza, mostra que o Ceará tem muito o que mostrar quando se trata de música instrumental. Este ano, no pôr do sol do sábado de Carnaval, dia 2, os Irmãos Aniceto fazem show ao ar livre, no palco da escadaria da Igreja Matriz. No mesmo dia, eles passam um pouco de seus conhecimentos em oficina gratuita às 10 horas na Escola Municipal Júlio Holanda. Com seus pifes, zabumba, tarol e pratos, os Irmãos Aniceto já alcançaram um reconhecimento restrito a poucos brasileiros, principalmente no âmbito da cultura popular. Em 2005, a banda cabaçal tocou para milhares de pessoas em comemoração ao ano do Brasil na França. Também na Europa, se apresentou como parte das comemorações do aniversário do município português Crato. Em 2007, os Irmãos Aniceto receberam do Ministério da Cultura a Ordem do Mérito Cultural.

ANOTE: A IMPORTÂNCIA DA FLONA
A Floresta Nacional do Araripe (Flona) está situada numa região onde as condições de clima e solo predispõe a desertificação. Poucos caririenses sabem a real importância da Flona para a manutenção do equilíbrio hidrológico, climático ecológico e edáfico (solo) do complexo sedimentar do Araripe. Basta dizer que no Nordeste, a redução da área de cobertura vegetal nativa entre 1984 e 1990 atingiu 274.950 km². A Floresta Nacional do Araripe representa importante reserva para o fornecimento de alimento, energia e plantas medicinais, além do potencial turístico, para vasta área do interior nordestino, aonde predominam bolsões de pobreza crônica. Constitui, ainda, a Flona um importante refúgio para a fauna regional, inclusive para espécies ameaçadas de extinção, como o pássaro conhecido como Soldadinho do Araripe.

MONSENHOR MURILO
Juazeiro do Norte não esquece monsenhor Murilo de Sá Barreto! No próximo dia 6 de fevereiro completar-se-ão 50 anos de sua chegada a Terra do Padre Cícero, a primeira e única cidade onde exerceu seu ministério sacerdotal durante 47 anos. Vários eventos assinalarão esta efeméride. Diferente de outras cidades, Juazeiro do Norte cultiva a virtude da gratidão…

BELMONTE EM FESTAS
No próximo dia 10 de fevereiro, o distrito de Belmonte, em Crato, fará festa para comemorar duas grandes efemérides: 40 anos da capela de Nossa Senhora das Graças e 90 anos de idade do seu construtor, monsenhor Ágio Augusto Moreira, o criador da Orquestra Lírica do Belmonte, que tem levado longe a fama do Crato.

APROVAÇÃO
Germana Freire Rocha Caldas, ex-aluna do curso de Ciências Biológicas da Urca, foi aprovada no curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas da Universidade Federal de Pernambuco. Germana obteve segundo lugar geral de todas as etapas avaliadas. Sua dissertação será desenvolvida sobre a Obtenção e Avaliação de Produtos Naturais e Compostos Bioativos.

ENGENHO TUPINAMBÁ
Entra ano e sai ano. Mas as instalações do Engenho Tupinambá, na periferia de Barbalha – a mais bela construção do ciclo da cana de açúcar na Região do Cariri – continuam se deteriorando. É pena! Se nossas autoridades tivessem sensibilidade já teriam desapropriado o Engenho Tupinambá e ali instalado o Museu da Rapadura.

VELHA SÉ
Serão iniciados amanhã, dia 21, os trabalhos de instalação do novo piso da catedral de Crato. A nave central e as laterais terão piso de cerâmica Portinari, fabricado em Santa Catarina. Já os chãos do altar-mor e das duas capelas laterais permanecerão com o piso antigo – de mosaico português – uma raridade nos dias de hoje! É pensamento do pároco da catedral, padre Edmilson Neves, colocar numa das duas novas capelas – que serão construídas 2008 – um piso de tijolo antigo – semelhante ao que existia na Sé no início do século passado. Tem cultura e bom senso, esse Cura da Catedral de Crato!

BATE-PAPO

FESTA DO INTERIOR
Neste domingo, dia 20, São Sebastião – um dos mártires da Igreja Católica – protetor contra as epidemias e pestes, será bastante festejado no Cariri. Ele é padroeiro de Nova Olinda e de diversas capelas de alguns distritos, a exemplo de Mangabeira (em Lavras), Dom Quintino (em Crato), Cuncas (em Barro) e Gameleira (em Missão Velha). Sem falar em mais de vinte capelas rurais, a ele dedicadas, com destaque para a de São Sebastião dos Currais, em Crato, construída em 1888.

SÍTIO FUNDÃO
O cratense André Barreto Esmeraldo, presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente do Ceará (Conpam), prometeu apoio para a implantação da Reserva Ambiental do Sítio Fundão, situada a 3 km do centro de Crato. Ele esteve no Cariri na última quinta-feira, dia 17, acompanhando o levantamento que visa reconhecer o local como área de interesse para desapropriação pelo Governo do Ceará. Se as gestões chegarem a bom termo prevê-se uma interligação entre o Sítio Fundão e a área da Cascata da Nascente, no Lameiro (onde nasce o rio Batateiras) já selecionada para um dos futuros “geotopes” do Geopark Araripe.

AEROPORTO
46,15%, esta a taxa de crescimento das operações no Aeroporto Regional do Cariri em 2007, em relação ao ano anterior. Mas esse número está atualizado somente até o mês de novembro. Faltando os dados de dezembro, conclui-se que nem a crise aérea do Brasil inibiu o crescimento do aeroporto caririense. Agravando, ainda mais, o problema do pouco espaço da acanhada estação de passageiros. Espera-se para este ano o início da construção do novo terminal, cujo orçamento gira em torno de R$ 30 milhões.

CIDADES DO CEARÁ
Os aspectos sócio-ambientais do Programa Cidades do Ceará para a população de municípios do Cariri foram apresentados na manhã de ontem, em consulta pública realizada no município do Crato. A finalidade do trabalho foi apresentar os aspectos positivos e negativos dos impactos do programa, potencialidades e estratégias de ação, além de promover um debate com a sociedade local, incluindo representantes de prefeituras municipais, entidades dos setores público e privado. Desde o ano passado que o projeto vem sendo desenvolvido. A meta é investir na região US$ 61,66 milhões por meio de empréstimos junto ao Banco Mundial (Bird), com parceria do Governo do Estado, que entra com contrapartida de 30%.

ESPORTE
No final do ano de 2007 três atletas do Crato participaram da 83ª edição da Corrida de São Silvestre realizada na cidade São Paulo no dia 31 de dezembro, marcando o encerramento do calendário desportivo do Brasil. Nesta corrida os cratenses Cláudio Henrique, Expedito Eloi e Eilson Marcos participaram da disputa atingindo as seguintes colocações: Cláudio Henrique (221º colocado); Expedito Elói (75º colocado); e Eilson Marcos(95º colocado). Para este ano de 2008 os atletas avisam que irão se preparar mais cedo e irão sim disputar mais uma corrida de São Silvestre.

Por: Tarso Araújo – Jornal O POVO
.

Site Zoomcariri divulga resultado de concurso

Tema: Trabalhadores do Cariri1º lugar : Jackson Bola Bantim, com Mulher Rendeira

2º lugar: Marcus Jamacaru, com Oleiro
P.S.: Visite Zoomcariri (link ao lado)

Elói Teles

A Terrível luta do cavaleiro do eterno
contra o dragão do efêmero

“Mas, porém, eu não invejo
O grande tesôro seu,
Os livro do seu colejo,
Onde você aprendeu.
Pra gente aqui sê poeta
E fazê rima compreta,
Não precisa professô;
Basta vê no mês de maio,
Um poema em cada gaio
E um verso em cada fulô”

Patativa
Imaginem um índio velho, sozinho em meio à floresta devastada. Arquivo último do seu povo e da sua cultura. Sentado à beira do rio, já sem o bulício de peixes na superfície, contemplando um ponto vago do horizonte sem fim. Já não há crianças a quem contar as histórias do seu povo, as oferendas de seus deuses , a epopéia dos seus heróis. A morte que o espreita vorazmente , por entre os últimos galhos da mata, sabe que em pouco carregará não um velho minguado e caquético, mas sugará, para sempre, toda a história de um povo: com suas fraquezas, seus mitos, suas crenças, suas esperanças e conquistas. O índio velho, frente à destruição inevitável, poderia muito bem apressar o crepúsculo, tirando de Anhangá este prazer último. O cacique de uma tribo que se resume nele próprio, no entanto, resolve confrontar a morte e a inexorabilidade do destino :passa a narrar detalhadamente, dia após dia, noite após noite, toda a história da sua nação, aos únicos interlocutores possíveis: as árvores, o rio, os pássaros, os peixes…E ali permaneceu, aguardando o fim previsível, como que escrevendo na lâmina da águas, levantando castelos na areia , feliz, na certeza que desenhava alguma coisa de eterno, na volúvel tela do efêmero .

Elói Teles de Morais foi um pouco deste índio. Nascido em Crato em 1936, ainda menino começou a trabalhar em amplificadora local (inaugurada em 1937) e terminou por pegar gosto pela coisa. Funcionário Público , labutou por muitos anos na Inspetoria Federal da Defesa Vegetal em Crato. Já nos finais dos anos 50, enveredou pelo Rádio . A pioneira no Cariri: “A Araripe” , ligada aos Diários Associados, fora inaugurada em 1951. Com o anos, fez-se um dos radialistas mais influentes do Ceará e, praticamente, perfez toda via-sacra do Rádio: noticiarista, repórter, comentarista de futebol, diretor e produtor de vários programas ligados eminentemente à cultura popular. Dentre eles “ A Voz do Povo”, “Coisas do Meu Sertão” e o “Sertão Como é que é” , sem esquecer o “Forró da Casa Grande”, apresentado aos sábados. Aos poucos se foi ligando umbilicalmente aos grupos folclóricos locais. Organizou-os politicamente e muito da divulgação da Cultura Popular no estado ( como o Projeto Mestres da Cultura, por exemplo) deve-se ao trabalho pioneiro e incansável de Elói Teles. Tribute-se a Elói , também, o esforço na manutenção do “Festival Folclórico do Cariri”, iniciado por J. de Figueiredo Filho e Pedro Teles . Fez-se também cordelista e fundou, em 1991, “A Academia de Cordelistas de Crato” que tem batalhado sem cessar na continuidade dos registros do cordel em tempos de despudorada globalização.
O amor de Elói Teles pela cultura popular, no entanto, ia bem além da simples afeição artística. Não via os grupos como um trampolim para suas aspirações pessoais. Esta afinidade fazia-se uma extensão da faceta mais forte da personalidade do nosso radialista: a política. Envolvido em campanhas do PSD, da UDN e do PTB, sempre carregou consigo fortes matizes de esquerda. Sonhava com um mundo melhor e mais igualitário. Estas tendências revolucionárias levaram-no , ainda nos albores do golpe de militar, à prisão: de 15/4/1964 a 08 de junho do mesmo ano. Preso em Crato junto com : José Figueiredo de Brito Filho( funcionário local da Agência do Banco do Brasil), Juvêncio Mariano (comerciante),Raimundo Coelho Bezerra de Farias( médico do SAMDU), Francisco Soares de Figueiredo, Francisco Ivan de Figueiredo, Saturnino Candeia, Kleber Callou, Ernani Silva, José Alencar Arrais e Luiz Gonzaga Martins. O tempo demonstraria claramente a visão vesga e obtusa da Ditadura Militar, todos, sem exceção se mostraram ,com o passar dos anos, pessoas dignas, cordatas e exemplares cidadãos deste país. Alguns, inclusive, eternos militantes de direita e que terminaram enclausurados por conta do entreguismo estabelecido num Estado que se tornou quase que uma focococracia.

Acusaram Elói de integrante da Frente Estudantil Operária Camponesa; participação num esquema Comuno-Sindicalista; ligação ao PCB e no processo de Comunização do Brasil; manifestações subversivas como organizador sindical e propagandista subversivo; praticante de desordem e greves; proselitismo comunista; integrante da Frente de Mobilização Popular. Acusações que beiravam o delírio. Durante todo período de caça às bruxas, de dedo-durismo desenfreado, Elói Teles manteve uma postura digna e corajosa e depois do arrefecimento dos ânimos, não levou consigo travo ou rancor. Sabia dos seus delatores, mantinha distância regulamentar, mas não destilava veneno. Lembrava com carinho, apenas, a coragem de duas personalidades do Crato : Pedro Felício Cavalcante , inimigo político, mas que teve a hombridade de visitá-lo e usar a influência que tinha para ajudar na sua libertação e Chico Soares , uma das figuras mais irreverentes da cidade e que, sem temer represárias tão comus na época, todo dia lhe levava merenda. Elói Teles percebia , claramente, que a identidade brasileira residia no âmago das nossas mais simples e espontâneas manifestações populares. Defender a Cultura Popular representava para ele unir-se ao povo nos seus anseios e aspirações e lutar pelo Brasi Cabôco de Zé da Luz.

“ Um Brasi bem brasilero,
sem mistura de instrangêro
Um Brasía nacioná!”

Talvez tenham sido os tempos difíceis que forjaram nosso Elói no mesmo cadinho com que se modelam os Arianos. Ele imaginava uma arte ligada às raízes mais profundas, fixa e imutável e que se necessitava lutar desesperadamente para mantê-la assim: pura e inconsútil. Abominava as quadrilhas juninas que buscavam ironizar a figura do matuto, os cordéis moderninhos e , certamente, odiaria as mungangas e gritinhos histéricos das Bandas de Forró. É que em meio a tantos entreguistas, tantos vendidos, tantos hipnotizados pelo consumo, haveria a necessidade premente de um radicalismo do bem. Máxime com a queda do Muro de Berlim em 1989, quando o Capitalismo enganosamente surgiu como verdade única, monocórdica e irrefutável. Ele,com certeza ,percebia a luta inglória em que estava metido, como um general do Exército de Brancaleone, mas fingia não ver o moto-contínuo da vida se desenrolando à sua frente.

As encruzilhadas do destino armaram-lhe a emboscada final em outubro de 2000. O Crato perdeu, de supetão, um radialista inventivo e com grande potencial de comunicação. Os grupos populares viram-se órfãos, sem o seu Moisés, em busca da terra eternamente prometida. Perdemos a possibilidade quase que única de ter em mãos a “História do Rádio no Cariri” que ele tanto desejava publicar.
Antes de tudo, no entanto, perdemos o homem Elói Teles de Morais : corajoso, destemido, capaz de lutar pelas verdades em que acreditava até às últimas conseqüências. Radialista formam-se, articuladores culturais forjam-se, escritores surgem dia após dia. No entanto, homens com a força de lutar por ideais , capazes de sonhar e alimentar utopias , estão em falta nas prateleiras cada vez mais desinteressantes da humanidade.

Havia um pouco daquele índio Cariri, correndo nas veias do Seu Elói: remanescente último de uma tribo que foi pouco a pouco se aculturando, que foi podando suas próprias raízes, sem perceber que sem elas não mais vem a vital seiva nutritiva. Ele sabia da necessidade premente e muitas vezes perdida de resistir ao ataque de tantos caras-pálidas. Num mundo globalizado, onde se pretende unificar todas as culturas em uma única, a do colonizador, Seu Elói entendia exatamente, que ,sem nossas raízes culturais, não somos absolutamente nada: não mais teremos identidade própria, nem passado e muito menos futuro. Biblicamente viveu clamando no deserto, pregando aos passarinhos como São Francisco. Amplificou a voz dos cantadores de viola, dos poetas nordestinos, das sanfonas, das rabecas, dos zabumbas e dos triângulos; mostrou a todos, que a realidade do mundo necessita intrinsecamente da nossa “circunstância”, como diria Ortega Y Gasset. Tanto gritou que um dia sua voz começou a falhar, mas teimou até o fim , como um velho índio , contando a história do seu povo aos pássaros e às árvores… Acolhido no seio da nação Cariri, deve ter seu justo sonho embalado pelos acordes dos pífaros dos Anicetos; dos passos do Reizado do Mestre Ademir; do Coco de D. Edite da Batateira; do lamento da rebeca do Cego Oliveira e das imprecações de Zé Gato… certamente era esta a concepção perfeita de Seu Elói para o Céu!

J. Flávio Vieira
Publicado na Revista Zoom Publicidade em Dez/07

O rio da vida

Riacho lácteo de seixos, de seios
colo lavanda
balança no leito
Pedras limadas
jogadas na beira
Iaras, ninfetas no rio se ajeitam
No espelho das águas
arrumam os cabelos
Com fitas e rosas
esperam Narciso…
Que tarda, e não chega!

Rio navegável…
Nele,os loucos se atiram…
Meus sonhos de moço
esperam o feitiço
de um canto,de um bicho…
de uma flor do mato
que um peixe visga!

Rio sereno
águas turmalinas
acolhe o pescado
oferta uma isca
salga com chôro
o veio que salta,nos mares bravios.

Rio cansado
das águas paradas
reduto esquecido na orla florida
perfuma o gemido dos ais afogados
de todos os sonhos que encontram o destino!

AGORA TODA SEMANA TEM: Bando assalta ônibus com 30 passageiros com destino à Fortaleza

Nota do Blog do Crato:

Esses assaltos à ônibus que fazem o trajeto do Cariri à Fortaleza estão se tornando cada vez mais frequentes. Na semana passada, outro ônibus da Empresa Guanabara foi assaltado entre Crato e Farias Brito ( pelo que eu sei é o segundo assalto nas mesmas condições em menos de 15 dias ). O que as autoridades estão fzendo? Quais as providências? Porque não colocar policiais à paisana ??
Ou a Sociedade vai ter que se acostumar a se tornar refém dos Bandidos, e se sujeitar a perder sua vida, seus bens caros, telefones celulares, Notebooks, Mp4… etc…

Como diria o Boris Casoy:
“Isso é uma Vergonha!”

Jornal Diário do Nordeste – Edição de Hoje, Sábado, 19 de Janeiro de 2008

EM ALTO SANTO

Clique para Ampliar

Criminosos obrigaram o motorista a levar o coletivo para uma estrada vicinal, onde o resto do bando estava esperando

A nova onda de assaltos contra ônibus nas estradas cearenses teve um novo capítulo na madrugada de ontem, quando uma quadrilha – armada com revólveres, pistolas e escopetas – atacou um coletivo que seguia da cidade de Várzea Alegre, no Cariri (a 448km de Fortaleza) com destino a Capital. Na BR-116, no Município de Alto Santo, o ônibus foi desviado pelos marginais para um matagal. Cerca de 30 passageiros viraram reféns.

Os ladrões roubaram todo os objetos de valor das vítimas, além de dinheiro. Em seguida, fugiram em uma motocicleta e uma caminhonete ainda não identificadas. Há suspeitas de que dois dos ladrões tenham embarcado no ônibus quando este parou no terminal rodoviário da cidade de Icó.

Armados

O assalto aconteceu por volta de 2 horas, conforme o Boletim de Ocorrência (BO) registrado pelas vítimas na Delegacia Regional de Jaguaribe. O ônibus de placas HUN-2701, pertencente à empresa Vale Jaguaribe, era guiado por Francisco Evilásio Barros Moura.

Quando saiu de Icó, o coletivo tinha cerca de 30 passageiros. Entre eles, estavam dois desconhecidos. Quando o veículo atingiu o quilômetro 235 da BR-116, em Alto Santo, os criminosos saltaram de suas poltronas e, de arma em punho, renderam o motorista. Obrigaram Evilásio a entrar numa estrada vicinal e rodar por cerca de dois quilômetros.

O ônibus só parou – por ordem dos ladrões – no local onde estava o resto do bando.

Na Delegacia de Jaguaribe, os passageiros estavam revoltados e, ao mesmo tempo, ainda abalados diante da ação violenta dos assaltantes.

Algumas mulheres chegaram a sentir-se mal e foram atendidas no hospital da cidade. Bolsas, celulares, jóias, carteiras, documentos e demais bagagens foram todas levadas pelos ladrões. Segundo relato dos passageiros, os dois homens que anunciaram o assalto não usavam capuzes.

Voltaram

Os assaltos a ônibus nas estradas voltaram a ser registrados no Ceará depois de uma trégua dos bandidos. A Polícias Rodoviária Federal promete reforça a segurança nas estradas, principalmente na BR-116.

(colaborou, Richard Lopes, de Icó)
www.diariodonordeste.com
.

Notícia Maravilhosa: Ladrões de banco morrem em confronto em Barbalha !

NO CARIRI

Clique para Ampliar

O armamento da quadrilha foi encontrado pela PM numa casa, em Barbalha, onde ocorreu o tiroteio (Foto: Elizângela Santos)

Clique para Ampliar

Casal preso: Emival Gomes, o ´Orelha´, e sua mulher, Maria Gorete de Almeida, 32, foram capturados armados

Dois assaltantes morreram no tiroteio com a Polícia, em Barbalha. O terceiro foi localizado em Santana do Cariri

Juazeiro do Norte. As Policias Federal e Militar conseguiram desarticular a quadrilha de assaltantes de bancos que vinha agindo no Cariri, há vários meses. O grupo, de ação interestadual, estava sendo procurado pelas polícias dos Estados do Piauí e Pernambuco. Três acusados de participação nos assaltos a bancos foram mortos.

Dois deles, Ivan Jaguaribe e Jardel Barros, tombaram sem vida em confronto com a Polícia, na noite de quinta-feira última, numa residência do bairro Cirolândia, no Município de Barbalha (505 km da Capital). O terceiro, Cícero Fernandes de Alencar, de 38 anos, foi encontrado morto na Serra do Araripe, a 12 quilômetros do Município de Santana do Cariri, na manhã de ontem. Ele era apontado com um dos líderes da perigosa quadrilha.

Munição

Várias armas de grosso calibre – uma escopeta, pistolas e revólveres – e farta munição foram encontradas com os assaltantes, e parte de dinheiro roubado, cerca de R$ 4,6 mil. Segundo a Polícia, os ladrões planejavam assaltar mais um banco, em Barbalha, e outra agência no Estado de Goiás, no dia 25 próximo.

Todos são acusados de participação no assalto à agência do Banco do Brasil, no Município de Potengi, na Região Sul do Estado, no último dia 11, onde houve troca de tiros entre policiais e assaltantes; e ao BB de Mauriti, no mês de dezembro. No confronto em Potengi, foi morto pelos assaltantes o soldado PM Antônio Iracildo Alves e de um dos assaltantes, Ivan Sobrinho, encontrado à altura da Serra do Rosário, no Município de Santana do Cariri. Ao lado do corpo estava um colete à prova de balas e munições.

A Polícia conseguiu chegar ao esconderijo dos assaltantes, uma residência na Rua LO-5, 252, no bairro Cirolândia, em Barbalha, através do assaltante Emival Gomes de Figueiredo, 37 anos, conhecido por ´Orelha´; e sua mulher, Maria Gorete de Almeida, 32 anos. Eles estavam em uma moto Falcon, de cor preta, placa HWC-4144, ano 2004, na CE-060, que liga Missão Velha a Barbalha.

Debaixo do banco da moto foram encontradas duas pistolas com 25 cartuchos intactos. Ao serem interrogados, disseram onde estava o restante do bando. Mais duas motos, uma Falcon verde, HWI – 6683, roubada em Juazeiro do Norte, no último dia 9; e uma Bros, placa HYD-9347, estavam com os assaltantes. A ação foi comandada pelo delegado da Polícia Federal, Francisco Bonfim.

Elizângela Santos
Repórter
www.diariodonordeste.com.br
.
.

Prirrinido !

O Cel Serapião Candeia fora um dos primeiros a se estabelecer nas terras próximas ao Rio Pananaporã , onde muitos tempos depois viria brotar a pequena Vila de Matozinho. Chegara ali em tempos árduos, convivendo com alguns remanescentes de índios e tentando arrancar todas as necessidades vitais da pequena lavoura, da caça e da pesca. Só muitos anos depois começaram a aparecer naqueles ermos os primeiros comerciantes: tropeiros que varavam os sertões com uma récua de burros onde apinhavam quinquilharias de toda espécie : panelas, espelhos, perfumes, roupas femininas, livros, sapatos, temperos, armas e uma infinidade de utilitários que iam abrindo o leque de possibilidades com encomendas que eram feitas a cada viagem pelos novos e velhos fregueses. Faziam o trabalho dos sacoleiros, muambeiros e crediaristas dos dias atuais, só que sem nenhuma concorrência por parte de outros comerciantes. Quando chegavam às fazendas, juntavam ao seu redor um mundão de gente curiosa: todos queriam se pôr à par das últimas novidades da capital. As sinhazinhas babavam com as roupas da moda , os perfumes franceses, as louças; os meninos com os brinquedos, os senhores com peças utilitárias para o campo e a agricultura.
O Cel Serapião saboreava com um gosto incomum a vinda destes emissários da novidade. Ao vê-los adentrarem a fazenda, com sua tropa de burros, dava feriado, fazia-os desfazerem toda carga no grande pátio da casa grande e passava a escolher, com a família, cuidadosamente, suas compras, como se estivesse , nos dias atuais, em um Shopping de luxo. Candeia sempre fora um grande comprador e sua fama atravessara as fronteiras de Matozinho e fizera-se quase que uma lenda, indo de boca em boca, de tropeiro a tropeiro. Junto com este item do currículo , no entanto, ia uma outra faceta do nosso fazendeiro que igualmente se fazia conhecida de todos. O homem era duríssimo para pagar as contas. Não é que não saldasse as dívidas, fazia-o muito a contragosto: dinheiro daquele bolso só saía à fórceps. Os caixeiros-viajantes, com seu SPC rudimentar – a língua— , preveniam todos os colegas sobre aquele hábito do nosso Candeia. Por um lado, não queriam descartar um cliente do porte do coronel e , por outro, como só retornavam com intervalo de três ou quatro meses , precisavam, necessariamente, receber o pagamento a vista com fins de pagarem em dia os fornecedores e poderem se reabastecer para novas viagens a lombo de burro sertão a dentro.
O rudimentar SPC dos tropeiros identificara perfeitamente a técnica protelatória de pagamentos de Serapião. Depois de todo um dia examinando a mercadoria , detalhadamente, já à noitinha, o coronel pedia que o vendedor fechasse a conta. O tropeiro tirava o lápis que descansava cuidadosamente atrás da orelha e numa folha de papel de embrulho começava a somar os itens , finalizando com a cruz da prova dos nove. Aí nosso comerciante sisudo informava:
— Coronel toda mercadoria que o senhor escolheu, com um abatimento que faço por conta de o senhor ser um cliente especial nosso, dá a bagatela de : 220$10 ( duzentos e vinte mil réis e dez vinténs) .
Serapião, contemplativo, assuntava um ponto distante do céu e confirmava :
— Certo, certo, vou ali pegar o dinheiro, já volto.
Caminhava, então, para o quarto, onde possuía um grande cofre de ferro e punha-se a girar aquele círculo com os números, para um lado e para o outro, em busca de um segredo imponderável, até que , após alguns minutos, rodava a maçaneta e, num clique, abria a pesada porta do cofre. Pegava então uma nota grande de quase um palmo, amarelada , com a imagem do Deus Mercúrio à esquerda e a de Campos Sales à direita e , no meio, contornando o brilho do sol, os dizeres : República dos Estados Unidos do Brazil. Era uma nota de um conto de réis e só gente de dinheiro é que possuía uma daquelas. Com dez notinhas daquelas podia-se passar um mês atravessando o Atlântico num navio de luxo e pagava ainda três meses de estadia na Europa. Pois bem, o coronel ia até a varanda , estendia a nota para o vendedor e pedia:
— Rapaz, estou sem dinheiro trocado, tire a dívida daí e me dê o troco.
A dificuldade mostrava-se previsível. Quem diabos tinha verba em caixa para trocar uma notona daquelas. O tropeiro , então, explicava ao coronel que não tinha troco suficiente. Serapião, por sua vez, tendo alcançado o intento, lascava:
—Pois é, rapaz, como eu não tenho trocado também, na próxima vez que você vier , a gente acerta.
De tanto pregar o golpe, a notícia se espalhou. Um belo dia chegou um tropeiro na fazenda e a história se repetiu. Após o fechamento, a compra orçou em 310$20 ( trezentos e dez mil réis e vinte vinténs). Ao receber a nota de um conto nas mãos, no entanto, para surpresa do coronel, o tropeiro calmamente tirou do matulão exatos : 610$30 ( seiscentos e dez mil réis e trinta vinténs). Serapião, tomou um susto com o inesperado troco nas mãos e sapecou:
—- Ô Home prirrinido, vixe !

J. Flávio Vieira

SESC – Núcleo de Estudos Teatrais

.

Carnaval do Crato: homenagem ao mestre Vitorino

Nesse clima de pré-carnaval misturado com o de pró-saudosismo que parece estar se instaurando entre os participantes deste blog (principalmente após a matéria postada por José Flávio), nada mais justo do que rendermos homenagem aos antigos foliões cratenses. São muitos, mas gostaria de começar por uma pessoa que deu (e ainda dá) uma grande contribuição para que o carnaval do Crato ainda seja lembrado como um dos mais alegres do Estado (apesar dos pesares, creio). Trata-se do mestre Vitorino, que manteve por longos anos a famosa e histórica Escola de Samba de Vitorino.
Ele continua vivo, alegre e com o fôlego de jovem folião que o fez conhecido e admirado por todos os cratenses.
Esta foto é recente. Foi feita na campanha eleitoral de 2006 e mostra o mestre em pleno vigor, fazendo aquilo que se tornou uma marca característica sua: animando o povo à frente da sua escola, tendo como palco as ruas do centro da cidade.
A propósito, o carnaval de rua do Crato, com seus blocos, corsos e escolas de samba, merece um capítulo à parte. O desfile das escolas de samba ainda resiste, apesar de todas as dificuldades e descasos.
Aqui vale uma pergunta: como andam os preparativos para o carnaval do Crato? De certo, sabemos que o Carnaval da Saudade, na sua terceira edição, acontecerá no dia 26 de janeiro, no Crato Tênis Club. Mas, de resto, nada mais foi divulgado sobre a programação momesca na terra de Frei Carlos.
Quem tiver mais informações, please

Shows com bandas "Nova Rota" e "Overdrive" – SESC – Dia 18 de janeiro

.

Show: Sexta-Feira dia 18, com Banda "Missão do Miranda" – Reggae


.

SESC – Aulas de Dança – Ritmos de Salão

.

BICENTENÁRIO DA CHEGADA DA FAMÍLIA REAL



Dom João VI e o Crato

Neste 2008, quando o Brasil inteiro festeja o bicentenário da chegada da Família Real Portuguesa, é bom lembrar uma iniciativa de Dom João VI que representou grande avanço para o progresso do Cariri. Há mais de 191 anos, em 27 de junho de 1816, por força de Alvará Del Rey, Dom João VI criou a Comarca da Vila Real do Crato, a segunda do Ceará.

Para os que se interessam pela história transcrevemos abaixo o item primeiro daquele alvará:

“Hei por bem dividir a comarca do Ceará – Grande, e criar outra com a denominação de comarca do Crato, servindo-lhe de cabeça a vila do Crato e compreendendo no seu distrito as vilas de São João do Príncipe, Campo Maior de Quixeramobim, Icó, Santo Antônio de Jardim e São Vicente de Lavras, que por este alvará sou servido elevar à qualidade de vila. Todas estas vilas ficam logo desmembradas da referida comarca do Ceará – Grande, e sujeitas a nova comarca do Crato do Ceará”

O primeiro juiz da nova comarca – aquele tempo chamado de Ouvidor – foi uma figura eminente: José Raimundo do Paço de Porbém Barbosa, o qual assumiu a nova função em 17 de dezembro de 1817. Foi de autoria do primeiro ouvidor de Crato o primeiro plano de transposição das águas do Rio São Francisco para o Ceará. No seu plano, o Ouvidor de Crato defendia a transposição dessas águas através de um canal pelo leito do Rio Salgado.

Fonte: Raimundo de Oliveira Borges, no livro “Memória Histórica da Comarca do Crato”, publicado pela Casa José de Alencar-UFC, Fortaleza (CE) 1997.

DEU FEBRE AMARELA NAS AUTORIDADES DE SAÚDE


Sobre a nota O MOSQUITO na coluna Panorama Político de Ilimar Franco no Globo de hoje (17/01/2007) lhe escrevi. “É no título da nota que se encontra o problema e não no relativo menor estrago da Febre Amarela em termos de mortes. O denominador comum é o Aedes aegyptti que foi reintroduzido no Brasil no início da década de 70 e por volta de 1984 estava queimando o governo Brizola com uma epidemia de Dengue. Aquela em que o mosquito não era federal, estadual ou municipal. As autoridades sanitárias brasileira, os cientistas e a sociedade estão inapetentes para enfrentar o tal mosquito. O Serra sofreu uma epidemia aqui no Rio que teve muita influência negativa na imagem de bom ministro que se tinha dele. O Garotinho teve problema igual e de uma forma entre direta e indireta o governo Lula enfrenta esta Febre Amarela que é o mesmo problema da epidemia de dengue que teve aumento em 2007. Não é que tenha ocorrido a reintrodução da Febre Amarela Urbana, é que o mosquito Aedes ficou e ninguém faz o suficiente para enfrentá-lo. Se você tiver a curiosidade vou chutar uma informação: o último ministro que efetivamente considerou a questão do Aedes foi o Jatene no primeiro governo FHC quando propôs na Organização Pan-americana de Saúde uma ação continental. Os outros transferiram o problema com o biombo de discursos corretos: municipaliza o combate. Nem hoje e nem nunca se enfrentará um mosquito de grandes habitats com ações locais. Tem que ser uma política nacional, comandada, disciplinada, com metas, avaliações e medidas de vigilância poderosas. O ministro Temporão ao invés de abrir a boca e denunciar esta derrota do Estado e da Sociedade e liderar uma campanha nacional fica tentado a desmentir o secundário que é a não existência da febre amarela. O principal é enfrentar o Aedes nas cidades. O Aedes é o fator sine qua non para que a febre amarela se urbanize. Eis um problema dos ministros da saúde brasileira, jogam muito para a propaganda e imagem pública e muito pouco no enfrentamento de problemas enormes e que mesmo em surdina, sem grandes alardes, poderá fazer uma grande diferença. Aliás, entre tantas besteiras que possa dizer, esta reconheço, o ministro que tiver porte para realmente enfrentar o problema do Aedes, será eleito até a papa e se isso não for a sua praia, ao menos um prêmio nas orações dos brasileiro ganharia.”

PENSADORES, CIENTÍSTICAS E PALPITEIROS CORREI: É CHEGADA A HORA DO BUTIM.

Um efeito colateral do fim da era desenvolvimentista e início do liberalismo. Isso ocorreu nas instituições do Estado brasileiro. Deixaram de pensar a sociedade como uma cultura própria dos brasileiros e preparar caminhos para superação de suas necessidades. Esqueceram a sociedade real e se dedicaram à tecnicidade de dar potências extras aos líderes empresariais e aos homens de negócios de toda natureza. Aqui no Rio, instituições de ensino e pesquisa, com base na excelência dos projetos da COPPE e da COPPEAD, copiaram o modelo e hoje os pensadores se tornaram especialistas em disputa e concorrência de projetos muitas vindas do próprio Estado e de suas empresas. Entre estes ninguém pensa nos brasileiros e no Brasil. A maioria se tornou especialista em aumentar seus próprios ganhos, em arrumar laranjas para disfarçar o ganho extra e dirigir todo tipo de organização privada que funciona de casamata para defesa de interesses reservados. Enfim: o principal efeito foi a individualidade, a pobreza de sentimentos e espírito, a queda moral e ética e o isolamento destes pensadores do futuro de uma nação tão necessidade de grandes idéias.

Exposição Fotográfica – Um Outro Ceará

.

A Crise de Identidade e o Conflito Existencial – Por: Bernardo Melgaço


Abençoado é aquele que entrou em crise de identidade e finalmente percebeu a origem do conflito existencial em si mesmo. Em toda a história humana o homem viveu em crise de identidade e projetou seu conflito existencial no mundo por onde passou, habitou e se adaptou. Hoje, não é diferente dos tempos memoráveis dos grandes conflitos entre povos e raças da antiguidade (romana, grega etc). Nada mudou – nada mesmo! A única coisa que “mudou” foi a tecnologia empregada e o processo sutil de dominação ideológica. Mas, em essência agimos com o mesmo ímpeto e motivação: vencer o outro! O outro (imanente) é o inimigo, o obstáculo, o mal, a besta, a fera, o bárbaro, o ignorante, o adversário e o demônio que deve ser exorcizado. O ser humano detesta e tem medo da solidão cósmica por isso ele precisa de um ponto ou centro externo à sua consciência como referência para a concepção do Eu na relação e revelação com o Outro (transcendente). E se por hipótese o outro deixasse de ser esse ponto ou centro de referência vital de aprendizado objetivo, entraríamos numa crise de identidade existencial. E nesse processo de crise teríamos que criar ou descobrir um outro ponto ou centro interno que substituísse aquela referência que era externa à nossa consciência. Foi o que aconteceu comigo em 1988 – crise de identidade e conflito existencial!

Hoje, sinto-me seguro em afirmar que todas as crises começam devido à necessidade que temos de conceber o outro como referência identitária na construção das identidades culturais e existenciais que criamos ao longo da vida. Em outras palavras, a identidade tem duas dimensões: a cultural-social e a existencial-ontológica. Enquanto vivenciamos as experiências objetivas das relações do mundo social criamos identidades sociais em função das culturas que nos influenciam e nos garantem a afirmação da existência do Eu social. Mas, por outro lado enquanto vivenciamos os fenômenos subjetivos do mundo pessoal criamos identidades em função do nível de experiência da realidade em que conseguimos penetrar e nos conectar a seus princípios ou energias sutis criadoras. Esta última decorre de um caminho conhecido como AUTOCONHECIMENTO, diferente e complementar do primeiro que é o caminho do CONHECIMENTO.

A palavra crise, no ideograma chinês, significa: risco e oportunidade. O risco porque podemos “perder” ou negar, durante o processo complexo e difícil, a faculdade racional do Eu social – isso nos levaria a loucura! E a oportunidade porque podemos ter um encontro com o Outro (transcendente) em si mesmo. E esse encontro pode ser a coisa mais agradável e feliz de ocorrer a um ser humano, e ao mesmo tempo poder ser a coisa mais terrível também. E nesse estado de consciência teríamos a grande oportunidade de nos confrontarmos e descobrirmos finalmente quem somos nós: seres espirituais habitando corpos materiais. E nesse processo descobrirmos ou revelarmos a nossa identidade cósmica existencial. E assim, o mistério se extinguiria na luz da consciência expandida: iluminação!

Hoje, as crises aumentam os conflitos sociais e existenciais e colocam egos contra egos – e muita gente no hospício também!: soldados contra soldados, professores contra professores, religiosos contra religiosos, políticos contra políticos etc. A cada dia tanques de guerra e ideologias do ego se alinham para o confronto direto no grande conflito humano em decorrência da perda de identidade fundamental do ser: a consciência de si. Marx, percebeu sutilmente e por isso mesmo afirmou: “ Não é a religião que faz o homem, é o homem quem faz a religião. A religião é a consciência de si que o homem perdeu ou não adquiriu ainda…a falta da verdadeira religião é o ópio do povo”. Albert Einstein afirmou também: “…COMO JULGAR UM HOMEM? De acordo com uma única regra determino o autêntico valor de um homem: em que grau e com que finalidade o homem se libertou do seu Eu?”. E Sócrates finalizou apontando o caminho de construção da identidade existencial-ontológica: “Conhece-te a ti mesmo”. O Amor Divino (transcendente) é o reconhecimento da identidade do Eu na sua experiência cósmica consigo mesmo (na linguagem buberiana: Eu-Tu (ou Philo-Sophia)). Infelizmente, a humanidade caminha numa trajetória muito distante dessa façanha: “Amai-vos uns aos outros” – Jesus Cristo.

Prof. Bernardo Melgaço da Silva
.

Hoje no DN – Música erudita e popular atrai público no sertão


Centro-Sul

Clique para Ampliar

Público faz fila para entrar no Teatro da Ribeira dos Icós, onde acontece a programação (Foto: Arthur Andrade)

Clique para Ampliar

Orquestra de sopros de Pindoretama apresentou um concerto didático para a platéia que mostrou bastante interesse

Clique para Ampliar

No circo da música localizado no Largo do Theberge, participação da Banda de Música Municipal de Icó

Apresentações musicais, oficinas, concertos didáticos integram a programação do Janeiro da Música

Iguatu. O som dos instrumentos de sopro, corda, teclado e percussão em peças clássicas e populares invade o sertão da região Centro-Sul e Vale do Salgado até o próximo dia 20, numa programação especial da Secretaria de Cultura do Estado (Secult). O Janeiro da Música acontece nas cidades de Acopiara, Icó, Iguatu, Orós e Várzea Alegre e tem por objetivo contribuir para a formação musical nos municípios do Interior do Estado.

A programação do Janeiro da Música inclui o II Fórum Estadual de Bandas de Música do Ceará até o dia 19, em Icó, e o Seminário Rede de Formação e Desenvolvimento Estratégico da Música de amanhã a domingo, em Iguatu. Haverá ainda concertos com a participação de músicos da região e convidados, como forma de intercâmbio, e oficinas de instrumentos e técnicas musicais para alunos de escolas públicas nos cinco municípios.

Agenda de oficinas

O Janeiro da Música também oferece oficinas musicais de Violão Popular, em Acopiara; Técnica Vocal, em Orós; Percussão, em Várzea Alegre; Arte-Educação em Música, em Icó; e Acordeom e Cordas, em Iguatu – para alunos dos municípios da região Centro-Sul do Estado.

Ainda haverá concertos em Igrejas, no Teatro da Ribeira dos Icós, na Casa de Câmara e Cadeia, em Icó, e no anfiteatro do Serviço Social do Comércio (Sesc) e no abrigo metálico, município de Iguatu. Na cidade de Icó acontecem concertos no Theatro da Ribeira dos Icós da Orquestra de Sopros de Pindoretama; da Orquestra de Cabaças de Juazeiro do Norte; do Quarteto de Cordas da Solibel, do Crato; da Escola Maestro José Wilson Brasil, da cidade de Sobral; da Fundação Casa Grande, de Nova Olinda; e da Associação Ribuliço Ecoart, do município de Crateús.

No Largo do Theberge, ao lado da Igreja do Senhor do Bonfim, está instalado o Circo da Música, local que sedia apresentações de uma banda de música e três grupos da região Centro-Sul.

Em Iguatu, acontecem os Concertos Didáticos e os Diálogos Musicais, hoje e amanhã. Para esta quinta-feira, de 15h às 17h, no auditório do ABC Padrão, no Centro, está marcado um encontro com as Escolas de Músicas de Guaiúba e de Iguatu, além de apresentações, às 17h30, no mesmo local, da Camerata de Cordas Eleazar de Carvalho. Já para a programação de amanhã, às 20h, na Praça da Matriz, haverá concerto com a Orquestra de Sanfona de Guaiúba, com cinco sanfonas e três percussões. Na agenda para o domingo, no mesmo local e horário, apresentação de Ítalo e Reno dentro do Concerto Didático. As apresentações são abertas ao público.

Música de câmera

Nos últimos dois anos, sempre em janeiro, a Secult promoveu o Festival de Música de Câmera da região Centro-Sul e Vale do Salgado. Neste ano houve uma mudança. “O Festival foi transferido para uma data posterior porque houve dificuldades de captação de recursos em face na demora da aprovação do projeto”, explicou Pedro Domingues, coordenador de Ação Cultural da Secult.

Segundo ele, “o Janeiro da Música não substitui o Festival, mas surge como evento alternativo, mantendo o calendário e o foco na música”.

O Janeiro da Música é uma ação cultural da Secult, com promoção do Sistema Estadual de Bandas de Música (Sebam/CE) e da Associação Artística de Concertos do Ceará (AACC). A programação é feita a partir de uma parceria com as prefeituras municipais. Os recursos investidos são oriundos do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura (Siec), via Fundo Estadual da Cultura (FEC), e do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop).

Honório Barbosa
Repórter

Mais informações:

Programação completa do Janeiro da Música, que acontece até domingo em municípios do Centro-Sul, pode ser conferida no www.secult.ce.gov.br

Fonte: Diário do Nordeste: www.diariodonordeste.com.br
.

Aos que usam Velox (Vagarox).

Consegui um crédito dos 9 (nove) dias somados (dezembro e janeiro) que a Velox esteve nos chateando. Liguei e, pasmem! Me atenderam, adiaram o pagamento da fatura deste mês. Receberei uma nova fatura com o desconto. Convido todos a fazer o mesmo. Eles precisam respeitar os usuários do Cariri e quando tiver que acontecer isso de novo, passarem informações precisas.
Espero que todos consigam.

A Chama dos Velhos Carnavais

Há alguns anos, no assassino desmoronamento do edifício Palace II , no Rio, entre os oito mortos, havia uma mocinha que foi surpreendida, no interior do seu apartamento, quando tentava salvar a fantasia de carnaval que usaria no desfile do outro dia. Quão importante aquela festa para a mocinha que, ao invés de tentar resgatar bens mais duráveis, buscou desesperadamente salvar a sua fantasia! O Carnaval, que nos chegou com os portugueses ,aportou no Brasil como expressão máxima do anarquismo: festa onde cada um se fantasiava do que bem lhe aprouvesse, onde os escravos encharcavam os senhores e os súditos ridicularizavam os reis. Tudo era permitido naqueles quatro dias de trégua dos homens com o seu poder, seu status quo e suas regras sociais. Certo que, com o tempo, o capital começou a pôr leis e fronteiras na essência anárquica do Carnaval, vieram as arquibancadas, os cordões de isolamento, os trios elétricos, os abadás e a grande expressão da cultura brasileira foi se tornando burocrática, com uma alegria medida, uma transgressão controlada, uma anarquia regulada. Os reis já não se misturam com os súditos, os senhores já não se mesclam com seus escravos… o aparthaid brasileiro já não tem sequer um dia de trégua!
Soube de um tempo em que o Carnaval cratense tinha o doce sabor original dos velhos reinados mominos. Um tempo em que o Corso percorria toda a Rua do Commercio, em meio a guerra de serpentinas e confetes, entre pierrôs e colombinas que se espalhavam por toda avenida ou se encastelavam nas janelas dos velhos casarões e que , à noite, terminavam no baile carnavalesco no Clube Cariri, ali pertinho na Rua Formosa . O Lança-Perfume , na época, era um mero aromatizador e fazia as moiçolas lacrimejarem quando respingava nos seus olhos escondidos por trás das máscaras e corpos contidos pelos espartilhos. Vivi, depois, um tempo em que blocos organizados e Escolas de Samba desfilavam por toda a cidade e onde o Carnaval tinha seu apogeu nos Assaltos do Crato Tênis Clube, bailes comandados por figuras emblemáticas e inesquecíveis como Valdir Silva e Zé Maia e que terminavam, na madrugada da ingrata quarta-feira, em plena praça Siqueira Campos. Tempo que tão genialmente foi depois eternizado em dois frevos do nosso Abidoral Jamacaru. Época em que boêmios da nossa mais alta society roubaram, no romper do dia, um pato da Fonte Luminosa da Praça da Sé e foram saborear o petisco, após ser apetitosamente preparado pelas sábias mãos de Canena . O furto terminou em tanto alvoroço que rendeu uma Marcha:

“Levantaram um “falso”chato
Ao novo Clube das Rosas,
Só porque sumiu-se um Pato,
Lá da fonte luminosa”…
Quem paga o Pato?”

Depois o Carnaval cratense foi pouco a pouco esmaecendo, um pouco a cada ano, um tanto a cada gestão municipal. As poucas pessoas mais aquinhoadas arrefecem sua chama foliã nas praias do litoral e os foliões incorregíveis buscam Recife-Olinda que ainda conservam, como em um Museu, a chama inquebrantável dos velhos Carnavais. Ao povão resta seguir com seu eterno destino de escravo, sem poder sequer um dia mimetizar-se de marajá, de príncipe, de Rei. Resta-lhe tão-somente a velha e surrada fantasia de palhaço. Quem quiser um dia resgatar a nossa essência como cidade, terá que , necessariamente, resgatar nossos antigos e inesquecíveis carnavais. Precisamos trazer à tona a mesma chama que fez aquela mocinha , com todo perigo desse mundo, entrar no edifício que desmoronava, na vã tentativa de salvar sua fantasia para o Desfile do Carnaval…

J. Flávio Vieira

Foto: Arquivo Jurandyr Temóteo

???


O que você queria saber mas tinha vergonha de perguntar.

Por que a gente Soluça?

Soluço é a contração involuntária do músculo do
Diafragma, responsável pela respiração.
O soluço geralmente é causado por uma irritação no
Nervo frênico, responsável por ativar o diafragma
Devido a um aumento do volume do estômago.
E não é lenda a história de que um susto pode curar o
“soluçante”, pois libera adrenalina e ativa o nervo
frênico, outra saída é a água gelada, que provoca o
Mesmo efeito.

Ih!, Meu Pé Dormiu!

Isso acontece porque a compressão do fluxo sangüíneo
(ao cruzar as pernas, por exemplo) interrompe o tráfego
De impulsos nervosos.
Ao restabelecer o fluxo, acontece uma espécie de
“curto circuito” nos impulsos elétricos dos nervos,
daí a sensação de formigamento”.
Há até um problema conhecido como
“paralisia dos amantes”.
O casal dorme junto e um deles fica em cima
Do braço do outro.
O fluxo sangüíneo pode ficar interrompido por horas,
Comprometendo por meses ou até para sempre o
músculo do braço”.
A saída para o formigamento restabelecer o fluxo
sangüíneo, movimentando o músculo.
Dependendo do caso, é necessário fazer fisioterapia.

Por que tenho vontade de Urinar quando entro na Piscina?

Não é sacanagem.
Ao entrar na água, a pressão externa sobre o corpo
Aumenta.
“Os líquidos componentes do plasma que estão fora dos
Vasos são “empurrados” para dentro deles”,com o aumento
Do volume de sangue nos vasos – chamado volemia – vem a
Vontade de urinar.
É como beber água.
Por falar em água, é verdade que torneira aberta e
Chuveiro despertam a vontade.
“É psicológico, chamamos de reflexo da micção”.

De onde vem a Cãibra?

Segundo o neurologista Acary Oliveira, da Unifesp,
95% da população já experimentou esse espasmo muscular,
Em geral na barriga da perna.
“Após intensa atividade física, acaba a energia e a
Musculatura se contrai e não relaxa”.
Para passar, o segredo é contrair o músculo oposto ao
Que está doendo, como fazem os jogadores de futebol.
Se a cãibra for na barriga da perna, por exemplo,
Basta alongar os músculos da parte da frente,
Puxando a ponta do pé para cima, em direção a canela.

O que causa o Arroto?

Também chamado eructação, o arroto é causado pelo ato
De engolir ar (aerofagia).
“Falar ou comer muito rápido, engolindo ar, são as
Causas mais comuns”.
Ingerir alguma substância que contenha gás, como
Refrigerante, pode ser outra causa provável.
A cura não é muito educada.
Basta “eructar”.

Por que, às vezes, meu Olho Treme?

O espasmo das pálpebras é causado pela contração do
músculo orbicular (músculo responsável pelo fechamento
Das pálpebras).
A causa mais provável é que seja provocado pelo cansaço
Ou tensão.
“É como uma cãibra”, explica o oftalmologista Paulo
Henrique, da Unifesp.
O músculo se movimenta rápido para fazer circular mais
Sangue na região e dissipar o ácido lático, responsável
Pela irritação na terminação nervosa.

Por que há uma espécie de “Choque” quando se Bate o Cotovelo na Quina da Mesa?

A reação é causada pela compressão de um nervo
Chamado ulnar.
“No cotovelo, o nervo ulnar está muito exposto,
Ficando suscetível a pancadas”.
Esse nervo está ligado aos dedos mínimo e anular.
Por isso, a sensação de choque se espalha do cotovelo
até esses dois dedos.

Estalar os Dedos Engrossa as Articulações?

Não. “Ao esticar o dedo, o líquido sinovial lubrificante
Da articulação responsável por diminuir o atrito se
Desloca sob o vácuo formado entre as articulações,
Fazendo o barulho do estalo”, ensina o ortopedista
cirurgião de mão Luís Nakashima.
O mesmo fenômeno pode ser percebido nas
Costas e nos joelhos.
“Provocar o estalo no dedo não faz mal algum”.

Por que tenho a Impressão de já ter Visto um Lugar Onde
Nunca Estive?

A sensação de “déjá vu” pode acontecer com quase todos
E tem origem biológica.
O hipocampo – região do cérebro responsável pelo
Processamento da memória – é ativado fora de hora,
Exatamente quando está ocorrendo um fato novo, dando
A impressão de que aquilo já estava registrado,
De que é um fato do passado.
O evento é mais freqüente em pessoas com epilepsia
No lobo temporal e isso, provavelmente, está
Relacionado com” disparo “anormal do hipocampo, um dos
Centros cerebrais da memória”, explica o psiquiatra
Roberto Sassi.
Mas isso não implica que pessoas que tenham “déjá vu”
Sofram de epilepsia.

Por que a gente Boceja?

“É uma forma de ativar o cérebro e evitar o sono”,
afirma o coordenador do departamento de distúrbio do
sono da Unifesp, Ademir Baptista Silva.
Ao bocejar, o segundo e o terceiro ramo do nervo
trigêmeo (um dos nervos da face) são ativados,
estimulando o cérebro.
O mesmo efeito pode ser obtido mascando chiclete.
“O único mistério é o fator” epidêmico “do bocejo
ninguém sabe porque as pessoas bocejam quando vêem
outras bocejando”, diz Ademir.

Por que os Pêlos ficam Arrepiados?

“O frio e as fortes emoções são os principais
estímulos causadores da contração do músculo eretor
dos pêlos”, afirma a neurologista Cláudia Garavelli.
A origem pode estar na teoria darwinista e sua
explicação é que o arrepio é uma forma de defesa.
No frio, a camada formada pelos pêlos retém o ar
quente, aquecendo o corpo.
No medo, aumenta-se o volume do corpo, assustando-se
assim um eventual agressor, como fazem os gatos.

Por que a Pele da Mão Enruga quando ficamos na Água?

“Porque a camada externa da pele do dedo é composta por
uma proteína – a queratina – que pode absorver
“água como uma esponja”, explica o clínico geral
Luís Fernando.
A camada externa da pele da ponta dos dedos é “fixa”.
Para caber o volume de água absorvido, a pele enruga.

O que causa o Espirro?

“É um mecanismo de defesa, uma forma de o organismo
liberar bactérias e vírus alojados nas vias
respiratórias, especialmente no nariz, limpando-o”.
Explica o neumologista Clystenes Odyr Silva.
Não tente impedir o espirro e jamais bloqueie o
nariz para evitar fazer barulho.
A velocidade do espirro pode ser de 160 km/h; ao
tampar nariz, a pressão é transmitida para um canal
do ouvido e corre-se o risco de ter-se o tímpano
rompido.

É verdade que Orelhas e Nariz Crescem quando Envelhecemos?

Não. O problema é que o tecido de sustentação da pele
perde elasticidade.
“A partir dos 75 anos, a flacidez é mais acentuada
devido à perda da elastina, proteína responsável pela
elasticidade da pele”, afirma o geriatra Clineu Almada.
“Assim, tecido “cai”, dando a impressão de que o órgão
cresceu”.

CULTURA & CINEMA – 16.01.08

I Fauna Cariri

O Cariri mais uma vez sai na dianteira da realização em audiovisual.Está previsto para março de 2008 a realização do I Fauna – FestivalNacional de Cinema Ambiental e Eco Cidadania, que acontecerá nascidades de Crato e Juazeiro do Norte. A coordenadora do projeto, acineasta Verônica Guedes, vem desde o final do ano passado realizandocontatos e parcerias na região. O prefeito do Crato, Samuel Araripe, eo presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente, AndréEsmeraldo Barreto, firmaram apoio para a realização do evento.Previsto para durar seis dias, o Fauna incluirá, além da mostranacional de longas, médias e curta-metragens, uma Mostra Internacionalde Produções Ligadas à Ecologia; um Seminário Sobre Aquecimento Globale Oferta Hídrica na Região Nordestina; um Workshop Sobre TurismoEcológico, quatro Oficinas de Arte-educação e duas Oficinas deAudiovisual, de onde devem sair vídeos realizados e montados pelosparticipantes. O melhor filme do I Fauna vai receber um prêmio novalor de R$ 5 mil. A captação de recursos será viabilizada, viarenúncia fiscal, por meio da Lei Rouanet e o orçamento do Festivalestá calculado em R$ 639 mil.

Patrimônio e memória de uma cidade (I)

Um dos mais novos sócios efetivos do Instituto Cultural do Cariri –ICC, o arquiteto e engenheiro Waldemar Arraes de Farias Filho, faz jusà honrosa agremiação da intelectualidade caririense que o acolheu, nomomento da publicação de seu trabalho “Crato: evolução urbana earquitetura, 1740-1960″. O livro já nasce como obra de referência parageógrafos, historiadores, urbanistas e estudiosos das ciências sociaisque necessitem realizar investigações sobre o Crato enquanto espaçohistórico-social, além de poder subsidiar informações ao planejamentourbano local. O trabalho do autor é rigoroso sob o olhar sensível nãoapenas do engenheiro-arquiteto, mas incorporando também análisessócio-culturais na discussão bem ilustrada, com excelente arquivo deimagens, sobre a evolução urbana e arquitetônica de Crato desde oséculo XVIII até os anos 1960. Vale a pena adquirir e estudar a obrapela importância que representa no fomento da consciência depreservação do patrimônio material da cidade. Conforme o autor, “estepatrimônio tem grande importância para nossa comunidade, pois ele é oaspecto visual da história do município, a autobiografia do sistemaeconômico e das instituições sociais”.

Patrimônio e memória de uma cidade (II)

A realização de um documentário sobre o Crato de ontem e o de hojeestá sendo idealizado por Waldemar Arraes. Para este projeto, nossoarquiteto e autor de “Crato: evolução urbana e arquitetura,1740-1960″, contará com a parceria do grupo de pesquisa IMAGO –URCA/CNPq. O grupo IMAGO, agregado ao Laboratório de Ensino doDepartamento de Geociências da URCA, disponibilizará seu núcleo deprodução audiovisual para a edição do documentário.

De passagem

Encontra-se em Crato, Jefferson de Albuquerque Jr, cineasta caririenseque realizou diversos filmes nos anos 1970-80 na região. Hoje,residindo em Vitória, Espírito Santo, desenvolve permanente trabalhono audiovisual. No estado capixaba é o coordenador de oficinas daMostra de Vídeo Ambiental do Caparaó Itinerante. Recentemente, obtevereconhecimento social pelo seu trabalho, sendo-lhe conferido, atravésda Assembléia Legislativa, o Título de Cidadão Espírito Santense.Jefferson encontra-se realizando pré-produção e captação de imagenspara a realização de um documentário sobre a chapada do Araripe.Conforme Jackson Bantim (Bola), diretor de produção do projeto, odocumentário abordará diversos aspectos da Chapada, durante todo oano, sejam aspectos sociais e ambientais, incluindo imagens aéreas queserão realizadas ainda neste início de ano.

CineClubes

Segue uma boa sugestão para os amantes da Sétima Arte no Cariri.Sessões de cult movies, ou seja a de projeção de filmes que estão forado circuito comercial, ou que se constituem como obras exemplares degrandes diretores da história do cinema mundial, podem ser muito bemapreciadas a partir da formação de um cineclube. Há no Brasil o CNC -Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, que mantém um site(http://cineclube.utopia.com.br/) para cadastro e orientações aosinteressados em criar ou manter um cineclube no país. Conforme o CNC,os cineclubes, nascidos nos anos 20, se vinculam a uma concepçãorevolucionária e democrática de organizar a relação do público com aobra cinematográfica – agora audiovisual. Cineclube é o espaço do novoe do povo. Por isso sempre foram perseguidos pelo autoritarismo,marginalizados pelo poder econômico, ignorados pela maior parte dasesferas institucionais.
—————
CULTURA & CINEMA (coluna do jornal “Contraponto” -16.01.08)
por Glauco Vieira – glauco.vieira@gmail.comhttp://glaucovieira.blogspot.com
(geógrafo e cineasta – prof. do depto de geociências da URCA)

O Carnaval no Crato de outrora

Aproxima-se o carnaval, festejo que teve origem na Europa medieval, mas que teve sua apoteose no Brasil.
No Crato, as folias mominas são festejadas há bastante tempo. Irineu Pinheiro, no livro O Cariri, dedica-lhe um capítulo inteiro, tecendo pormenores de como era brincado o carnaval no Crato de outrora. Tinha o nome de entrudo, e era de natureza irreverente e extremamente popular. A água era o elemento central, talvez por nítida influência da estação invernosa, que aumentava em muito o já forte potencial hídrico do local. Eis como Pinheiro descreve o entrudo:
Era (…) o triunfo mais completo da água.
“Percorriam as ruas grupos armados de bisnagas de flandre, de cerca de 50 centímetros de comprimento e de 5 de diâmetro, cheias de água, cujos jactos não respeitavam sexo nem posições sociais.
“(…)’Assaltavam-se’ casas amigas, que se defendiam do melhor modo possível, com bisnagas também, com baldes e caneco d’água etc.
“(…)Não raro se viam nas ruas tinas com água, em que se mergulhavam implacavelmente todos os que por ali passassem, fossem quem fossem
”.
Com base nos relatos de Irineu Pinheiro e Paulo Elpídio, o costume de banhar-se nas ruas deixou de fazer parte do entrudo, ao que parece, já no final do século XIX. Permaneceram as bisnagas, chamadas de laranjinhas, “feitas de cera colorida ao derreter com anilina de cores variadas”(1), e, quando os ânimos estavam exaltados, canecos, potes e jarras.
Alcancei, na infância, o objeto que deu continuidade a essa tradição, a que chamávamos de xeringador (ou seria cherigandor?), uma bisnaga de plástico para espargir água. A intenção da brincadeira era a mesma dos velhos tempos: travar batalhas com outras pessoas, visando molhar o oponente com o precioso líquido. A partir de certa época, passou-se a usar, além da água, o colorau e a farinha de de trigo ou a maisena, para atacar o adversário, numa prática que hoje chamam de mela-mela.
O uso de lança-perfumes foi introduzido no Cariri em 1912, vendido pelo farmacêutico José Gonçalves Rolim(2). Até hoje, o lança-perfumes continua sendo usado, apesar de ser uma contravenção.
O disfarce, característica dos bailes carnavalesco, era utilizado no entrudo. Usava-se uma espécie de máscara, geralmente feita de couro. O mascarado era chamado de careta, que falava em falsete e aterrorizava a criançada mais ingênua, manejando um chicote de couro cru.
A elite cratense promovia bailes, realizados nas casas de família e promovida por clubes sociais, nos quais só os homens participavam. Irineu Pinheiro fala de um clube chamado Água e Cera no qual, “aos pares, de braços dados, cantavam a plenos pulmões, ao som da música Zé Pereira, tocado por uma orquestra composta de uma rabeca, uma flauta, um bombardino, um trombone e um clarinete”.
Em 1909, o Correio do Cariri, citado por Irineu Pinheiro, publicou nota sobre o carnaval cratense, destacando o Clube Água e Cera, registrando “ter ele exibido um belo carro alegórico em que se via a figura da República empunhando o estandarte brasileiro tremulante ao vento”(3) .
A evolução do carnaval do Crato trouxe inovações década a década. Em 1910, foi registrada pela primeira vez a presença de cortejos carnavalescos nas páginas do Correio do Cariri. Nos anos de 1935 e 1936, o carnaval foi pura animação, com destaque para os cordões, que desfilavam pelas ruas com destino aos bailes promovidos no Crato Clube. Em 1942, arrefeceram os cortejos, e o divertimento se restringiu aos salões dos dois clubes locais: o citado Crato Clube e a Associação dos Empregados no Comércio do Crato. Um ano depois, elegeram e coroaram rainhas, em evento bastante aplaudido(4).
______
1. MENEZES, Paulo Elpídio. O CRATO DO MEU TEMPO, p. 29.
2. O Cariri, p. 197.
3. Op. citado, p. 196.
4. Idem ibidem, p. 197.

Se ligue! – Demutran vai anistiar multas em Crato !

Demutran informa que está em vigor a lei nº. 2.463/2007
DEMUTRAN vai anistiar multas em Crato
10/01/2008

O Departamento Municipal de Trânsito do Crato – DEMUTRAN informa que já está em vigor a lei nº. 2.463/2007 que concede a anistia de multas no âmbito do Demutran Crato para os condutores de veículos no período de janeiro de 2003 a 31 de novembro de 2007. Não poderão ser considerados os créditos inscritos na dívida ativa do Demutran que tenham sido pagos até a data em vigor da lei.

O diretor-geral do órgão Luiz Joatan de Souza avisa que os proprietários de veículos já podem ir ao Demutran para preencher o requerimento solicitando a anistia das multas. Não há burocracia e o atendimento será rápido.

É bom lembrar que as pessoas que tiverem veículos apreendidos devem se dirigir ao Demutran pagar o licenciamento e seguro obrigatório, colocar equipamentos obrigatórios do veículo e retirá-lo do depósito.

Fonte: Website oficial da PMC

.

Sábado tem JAZZ no Maria Café – Em Crato


Convidamos a todos para um delicioso happy hour ao som do melhor do

Jazz. Neste sábado (19/01) – A partir das 18 horas. Esperamos por vocês!
.

Classificados: Vende-se um JEEP FORD WYLLIS – De colecionador.


JEEP FORD WYLLIS

Caros amigos do Blog, uma oferta que nos convida a uma viagem ao passado e às lembranças que daí provêm. Quem não se lembra do velho Jeep – aquele carro durão, feito para enfrentar estradas difíceis, esburacadas e cheias de atoleiros. Ao mesmo tempo, porém, um carro simpático e querido por todos, que marcou época, deixando muita saudade naquelas pessoas que tiveram algum contato com ele, mesmo que tenha sido apenas através de uma fotografia de revista.

Pois bem amigos, se você sentiu saudades ou acalenta o desejo de possuir um jeep Ford Wyllis, chegou o momento. Encontra-se à venda um Jeep Ford Wyllis, 1975, cor verde, motor original, com seis cilindros, em excelente estado de conservação, como pode ser observado na foto (ou fotos).

Para maiores informações entrar em contato como o nosso amigo Océlio (088.8814.0883).

Por: Dihelson Mendonça
OBS – Quem quiser participar dos Classificados, mesmo sendo membro do Blog deve dirigir à mim via e-mail o anúncio.
.

Foto do Dia e Previsão do Tempo – Apresentando o fotógrafo: Haoni Caiena


Acima: Foto da esquina do Colégio Diocesano, tirada da sacada do msmo por Haoni Caiena.


Fonte: Climatempo: www.climatempo.com.br
.

Notícias para a População: Assinada ordem de serviço para a construção das 3 primeiras praças.

E agora, as notícias sobre a administração da cidade:

Prefeito assinou ordem para construção das 3 primeiras praças no final de semana passado:

O prefeito do Crato Samuel Araripe neste último final de semana assinou três ordens de serviços para a construção de praças no Conjunto Vitória Nossa, no Lameiro e no Baixio das Palmeiras.

Na sexta-feira o prefeito esteve no Conjunto Vitória Nossa onde assinou a ordem de serviço para uma praça que será construída em 150 dias, com espaço para lazer, uma quadra esportiva, ficando ao lado da capela da comunidade. No Lameiro a praça ficará ao lado da Igreja de São José.

Na próxima quinta-feira, 17/01, o prefeito assinará a ordem de serviço para construir ma praça no distrito da Bela Vista. Ao todo serão 16 praças a serem construídas em 2008.


Prefeitura do Crato vai reformar 20 escolas

O prefeito do Crato Samuel Araripe autorizou a Secretaria de Educação do Município trabalhar a recuperação das escolas municipais que necessitam de reparos. Nesta perspectiva a Secretaria de educação irá trabalhar a melhoria das escolas seja no aspecto físico e também a aquisição de novos equipamentos.
O Secretário de Educação Valentin Dantas acredita que com essas melhorias os alunos terão uma escola mais prazerosa e agradável para a atividade educativa. Pelo menos 20 prédios serão reformados nas mais variadas localidades do Município.

INFRA ESTRUTURA
Avenida Perimetral recebe novo asfaltamento

Foi iniciado em Crato, na última sexta-feira, o trabalho de pavimentação asfáltica da Avenida Perimetral Dom Francisco, em Crato. Segundo o secretário de Infra-Estrutura do Município, Jefferson Felício Júnior, serão 36 mil metros quadrados de asfaltamento, seguindo até o final da avenida Duque de Caxias, nas proximidades do Museu Histórico do Crato.
Conforme o Secretário, a meta é concluir os trabalhos até o final do mês, caso não haja impedimento por conta das chuvas. A melhoria do asfalto da Avenida Perimetral faz parte das ações da Prefeitura Municipal para a melhoria da malha viária da cidade.

Fonte: Website oficial da PMC.

OBS – As notícias sobre a adminstração do município são divulgadas no Blog do Crato como informação geral à população. São pegas no website oficial da prefeitura, e sem dia certo nem hora pra divulgar. As notícias são escolhidas por mim pelo grau de importância que possuem para a população do Crato. O Blog do Crato entende que como veículo de informação maior da cidade na internet, deve se constituir num ELO entre a população e a administração, qualquer que seja ela, e é dever de todo cidadão saber do que anda fazendo aqueles em quem depositaram sua confiança nas últimas eleições. Portanto, participem, cobrem, reivindiquem os compromissos de campanha. Este espaço aqui serve pra isso, não apenas para divulgar um lado da história!

Por: Dihelson Mendonça
.

Hoje no DN – Fim dos agentes rurais preocupa produtores

Clique para Ampliar

Na zona rural do Cariri, os pequenos produtores iniciam plantio e apontam possíveis prejuízos, caso não tenham mais a assistência técnica dos agentes rurais no manejo do solo e criação de animais (Foto: Elizângela Santos)

Clique para Ampliar

Comunidades ribeirinhas do Jaguaribe, em Limoeiro do Norte, enfrentam riscos com as chuvas (Foto: Melquíades Júnior)

A criação de uma cooperativa é uma das alternativas para o fim das bolsas dos agentes rurais no Interior

Juazeiro do Norte. A preocupação no campo aumenta com a saída gradativa dos agentes rurais, principalmente na região do Cariri, onde atuam 156 desses profissionais. Produtores rurais começam a se mobilizar e solicitam urgência do Estado para solucionar o problema. Com o fim dos contratos de três anos da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), os agentes deixam de receber o salário de R$ 900,00. Até o fim de março 70% deles deixam de atuar. Os agentes rurais foram contratados pelo Estado por meio de um processo de seleção. Uma das alternativas apresentadas durante os encontros que estão sendo promovidos com os agentes em várias cidades do Estado é a realização de concurso para efetivação de pessoal.

Produtores dizem que estão se sentindo prejudicados, por estarem sendo acompanhados pelos trabalhos dos agentes que já têm um conhecimento mais aprofundado de culturas específicas. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Crato, José Hildo Silva, já se sente um reflexo em relação a saída desses profissionais. “Eles, na verdade cobrem uma lacuna onde o técnico não chega. São pessoas treinadas e que estão dando conta do recado. São essenciais para o agricultor”, diz. No caso de inserção em custeio agrícola ou como pronafianos (Pronaf), segundo o dirigente sindical, são os agentes que elaboram o perfil dos produtores.

Conforme Hildo, a preocupação é grande e torna-se necessária uma solução para o problema, já que o momento é um dos mais propícios para a agricultura na região. O presidente da Associação dos Agentes Rurais do Estado do Ceará (Aagrece), José Araújo de Oliveira, afirma que este é um momento difícil para o campo no Estado e alguns agricultores estão pensando em entrar coletivamente na justiça por estarem se sentindo prejudicados. Ele cita alguns do município de Nova Olinda.

Mais de 100 agentes estiveram reunidos durante esta semana no Crato, para discutir a questão com técnicos da Ematerce, o deputado estadual Hermínio Rezende, o diretor administrativo e financeiro da Ematerce, Eduardo Aragão de Albuquerque e técnicos da região, além de alguns produtores. Eles deram depoimentos do trabalho desenvolvido pelos agentes em suas propriedades e a preocupação e os possíveis prejuízos para o campo com a saída dos agentes rurais.

Fora do campo

A situação é de urgência, conforme José Araújo de Oliveira. No Ceará já são cerca de 130 agentes fora do campo e isso significa prejuízo para o Estado. Só em dezembro, segundo ele, saíram 48 agentes. Ele destaca o Cariri com uma das regiões que exigem urgência no trato com essa situação por se configurar nesse período a quadra invernosa. Ressalta que, atualmente, com a saída de agentes, um dos setores mais prejudicados tem sido o da fruticultura, além dos plantios com oleaginosas como a mamona e girassol e o setor agropecuário. Na região se destaca a ovinocaprinocultura.

A rotina de trabalho dos agentes rurais é de oito horas ou mais. Os próprios agentes deram depoimentos da situação em que se encontram. Muitos dos que participaram da reunião estão sem perspectiva de trabalho e não terão encargos trabalhistas para receber. José Araújo destaca uma das medidas imediatas pensadas para uma contratação urgente: a criação de uma cooperativa. Outros municípios, por meio da Secretaria de Agricultura, estão tomando a iniciativa de contratar o agente rural que vinha dando assistência aos agricultores de suas respectivas áreas. Outra grande preocupação diz respeito aos financiamentos no campo, por conta dos possíveis prejuízos dos produtores desassistidos.

A diretoria da Ematerce destacou a preocupação maior com o homem do campo. Segundo o diretor Eduardo Aragão, 36 agentes foram enviados para a Funcap para serem contratados, sendo seis deles master. “O trabalho de vocês é importantíssimo e é por isso que estamos aqui”, disse diante dos apelos dos agentes.

Elizângela Santos
Repórter
– www.diariodonordeste.com.br

.

A INGERÊNCIA POLÍTICA COMO CAUSADORA DA POLUIÇÃO SONORA. Por: Mário Correia

CONTRA PONTO - Janeiro de 2008. ARTIGO

A INGERÊNCIA POLÍTICA COMO CAUSADORA DA POLUIÇÃO SONORA.

O Consumidor, como deverá agir nestes casos?

Para esta intromissão política, o Consumidor deve ficar alerta, exatamente nesta época festiva de início de ano, principalmente no carnaval. Como também, por se tratar de ano eleitoral. Não deixará de haver oportunidade para o mau político se aproveitar de pequenas festas com a finalidade de patrocínio. Quando de fato, quer “aparecer”. É exatamente onde reside o grande desrespeito aos Ordenamentos Jurídicos do nosso País, no que se refere à Poluição Sonora e infração à Lei Eleitoral. Portanto, o mau Político, acha que está agradando a população, mas, na realidade, está cometendo infração e levando consigo a Autoridade Pública a uma atitude ilegal e comprometedora de sua imagem perante a sociedade e as autoridades constituídas. Esta Autoridade Pública deu um jeitinho à brasileira, para a realização do evento.

-Primeiro: O Consumidor terá uma certa dificuldade, pois os infratores baixam o som com a presença da polícia e a grande maioria dos prejudicados não quer testemunhar, temendo represálias por parte dos infratores. Contudo, com um gravador sensível e uma câmera fotográfica fará o flagrante.

-Segundo: Fazer um levantamento minucioso para descobrir qual foi Autoridade Pública (Civil, Militar ou do Departamento de Trânsito) que autorizou o evento em local impróprio.

-Terceiro: O Consumidor fará uma Representação à autoridade Superior ou ao Ministério Público, como abuso de autoridade.

Pratica ABUSO DE AUTORIDADE, a autoridade pública Federal, Estadual ou Municipal, que autoriza proprietário comercial, seja este bar, restaurante ou similar a realizar evento de caráter comercial, interesse individual ou que não esteja albergado na Lei, em detrimento de toda a coletividade da circunvizinhança, área esta de alta densidade residencial e escolar, com o fechamento de Rua e emissão de sinais sonoros, em desrespeito a Lei. A Lei 9.636/98, em seu artigo 22, em que permite apenas a utilização de bens da União (Ruas), para a realização somente de eventos de curta duração de natureza recreativa, esportiva, cultural, religiosa ou educacional. Fora destes casos estará aautoridade infringindo a Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei 3.688/41) em seu artigo 42, inciso III – “Perturbar alguém, o trabalho ou sossego alheios” – “abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos”;

Para a Lei 6.657/79, autoridade é todo aquele que exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza civil ou militar, ainda que transitoriamente ou sem remuneração. Esta Lei, sujeita a autoridade à tríplice responsabilidade civil, administrativa e penal.

No caso de responsabilidade civil, o consumidor deve entrar com uma Ação Ordinária, perante a Justiça Comum Federal ou Estadual, conforme a autoridade que cometeu o abuso de autoridade.

Em se tratando de responsabilidade administrativa e a penal, o consumidor entrará com uma Representação à autoridade superior ou ao Ministério Público competente para a Ação Criminal (a autoridade cometeu um crime de desobediência à Lei), se for o caso.

E havendo dano a saúde do consumidor ou mesmo dano material, desvalorização de seu imóvel por mau uso da propriedade vizinha, deverá o consumidor entrar diretamente com uma Ação de Reparação de Danos Morais e Materiais contra o Órgão Federal, Estadual ou Municipal, exigindo reparação de tais danos, de acordo com o caso.

O Novo Código Civil, em seu artigo 186, é cristalino quando expressa: “Aquele que, por ação…, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”. “As penas por abuso de autoridade vão desde a advertência administrativa até a demissão”.

A autoridade, sabedora de seus deveres, e mesmo assim, autorizou ou não autorizou, e por omissão não impediu a realização do evento, que ato ilícito cometeu?

Cometeu crime de prevaricação. Prevaricação é a terminologia usada na Lei para definir o crime cometido por funcionário público, no caso citado como exemplo, Autoridade Pública, que não toma providências ou deixa de fazer aquilo que é seu dever e não o fez. talvez para atender ou apadrinhar solicitação de mau político. Encontramos o amparo legal no Código Penal em seu artigo 319 – Pena: de três meses a um ano de cadeia.

Em sendo esta autoridade da Polícia Civil ou Militar notifique a Corregedoria de Polícia do Estado. Os Órgãos Públicos são obrigados a fornecerem serviços adequados, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos. Nos casos de descumprimento, total ou parcial, das obrigações serão as pessoas jurídicas compelidas a cumpri-las e a reparar os danos causados, na forma do CDC.

Faça valer seus direitos, com dignidade, educação e nunca desista no primeiro revés. Procure as instâncias superiores de seu Estado.

Por: Mário Correia de Oliveira Júnior.

Presidente da Comissão de Meio Ambiente OAB-CRATO.

Perfil:

Economiário, Professor, Corretor de Imóveis, Bacharel em Direito-URCA, Advogado Pós-Graduado em Direito Privado – UECE e Pós-Graduando em Docência do Ensino Superior-FLS/ Faculdade Leão Sampaio.

.

O PEQUÍ NOSSO DE CADA DIA!

Não é atoa que o cidadão natural de crato é também conhecido por “Pequizeiro”. O município de Crato é de longe o maior a maior produtor da região do Cariri com 1.684, toneladas, segundo consta em informação colhida pelo jornalista Antonio Vicelmo. O Município do Cariri como um todo, produz nada mais nada menos do que 2, 3 milhões de toneladas. O melhor de tudo, é que por capricho da natureza, o Pequí não tem sua safra regular, ou seja, ela principia pelos terrenos arenosos do Sítio São José, em seguida dar-se notícias dos Pequís do Cruzeiro nas proximidades do Destrito de Sta Fé em Crato, passando para a Serra do Araripe, Barreiro Grande e acredita-se, que finda lá pelo município de Jardim, numa localidade conhecida por Barreiro Novo, onde acontece uma festa de despedida da safra. Assim sendo, é muita genorosidade desta mãe natureza, não? Eu que não sou besta, congelo em torno de mil Pequís, então tenho Pequí o ano todo! Sou o pequizeiro numero um, até que se prove em contrário, rs rs rs
Veja um ensaio sobre o tema em fotografias…






Alguma dicas:
• Deve ser levado a boca para então ser “raspado” – cuidadosamente – com os dentes, até que a parte amarela comece a ficar esbranquiçada e parar antes que os espinhos possam ser vistos.
• Jamais atire os caroços ao chão: eles secam rápido e os espinhos podem se soltar.
• A castanha existente dentro do caroço é muito saborosa; para comê-la, basta deixar os caroços secarem por uns dois dias e depois torrá-los.
• Importante: sob quaisquer circunstância, jamais morda o caroço.
• Com Baião de Dois ou a lá Pequizada, é tentação, é tradição!
• Segundo fontes extra-oficiais, o verdinho é muito afrodisíaco!!!

Bendito és o fruto que és,
Aonde a pé se vai aos pés,
Quando ainda a flor bela nas alturas,
Em romarias as abelhas vão…
Quando se quer dar,
Quedas ao chão,
E aí, vão os homens em procissão!

Fotos: Pachelly Jamacaru
Direitos reservados.

Hoje no DN – Transposição do Rio São Francisco – Por Antonio Vicelmo

Clique para Ampliar

Canteiro de obras do eixo norte da transposição do Rio São Francisco, em Cabrobó (PE). A meta é retomar o ritmo das obras para evitar possível atraso (Foto: Antônio Vicelmo)

O Exército mobilizou 190 homens, 150 militares e 40 civis, que trabalham de segunda a sábado, nas obras em Cabrobó

Cabrobó. O canal de transposição das águas do São Francisco está a caminho do Ceará, rasgando as entranhas da terra seca do sertão, passando por cima de preconceitos, indiferenças, cumprindo o destino do “Velho Chico” como rio da integração nacional e, sobretudo, alimentando a esperança de 12 milhões de nordestinos que sentem a falta da mais elementar de todas as necessidades humanas: água para beber. O milagre da transformação é observado a poucos metros do rio. De um lado, a caatinga cinzenta, o mato estorricado pelo Sol, o retrato em preto e branco da seca que assola o Nordeste.

Nas margens do rio, os projetos de irrigação, tingindo de verde, símbolo da esperança, a terra vermelha do agreste pernambucano. Na sua lenta caminhada, o canal fortalece o sonho de irrigar o semi-árido.

Estes contrastes naturais de riqueza e pobreza, alegria e desolação, se juntam ao desejo secular dos nordestinos de estender o braço amigo do São Francisco por este sertão afora, num abraço fraterno. É dentro dessa concepção que foram retomadas as obras no São Francisco, após o fim do recesso do 2º Batalhão de Construção e Engenharia do Exército.

A greve de fome do bispo de Barra (Ba), dom Luiz Flávio Cappio, contra a execução do projeto, a reação de alguns setores da sociedade, a oposição de políticos, a ocupação da área e as inúmeras ações judiciais não atrasaram o cronograma da obra.

O capitão Jair, comandante do Destacamento do 2º Batalhão de Engenharia do Exército e responsável pela execução da primeira etapa do projeto, garante que, no fim do ano, o canal de aproximação e, também, a barragem de Tucutu, localizados no município de Cabrobó, estarão concluídos.

De acordo com o Capitão Jair, o Exército mobilizou 190 homens (150 militares e 40 civis), que trabalham de segunda a sábado, no canteiro de obras, uma extensão de dois quilômetros, que corresponde ao tamanho do canal. Estão sendo acionadas 11 escavadeiras, 25 caçambas, quatro motoniveladoras, nove caminhões-pipas, três perfuratrizes e oito tratores.

O canal de aproximação terá 2.080 metros de extensão e a barragem de Tucutu ocupara uma área de 1.790 metros, cerca de 360 hectares. “Toda a área será inundada”, afirma o tenente Macena, acrescentando que a barragem vai fazer a distribuição de água para as bacias hidrográficas.

O tenente Uémerson, que acompanha a obra, diz que, para erguer o canal serão necessários o rebaixamento do lençol, escavações em solo e em rocha e o revestimento de talude (uma espécie de rampa inclinada) do canal em rocha.

Para a conclusão da barragem de Tucutu, o trabalho do Exército terá como foco a limpeza do reservatório, cujo tamanho corresponde a 489 campos de futebol, e as construções do maciço da barragem e da tomada d’água.

Nesta semana foram iniciadas as explosões para a retirada das pedras do leito do canal. Para isso está sendo usada, ao invés de dinamites, uma emulsão de nitrato de amônia, uma reação química de oxidação causada por conta do oxigênio do ar. O fenômeno ocorre em baixas velocidades e tem como exemplo a queima de um pedaço de carvão.

O capitão Jair explica que a presença das pedras já estava prevista no projeto. “Não vai, portanto, atrasar o prazo de conclusão da obra”.

Outro detalhe curioso é o surgimento de água ao longo do canal, com menos de três metros de profundidade. Mas o líquido é muito salgado. Quando seca, aparece uma crosta de sal na superfície.

Protestos

Nas ruas de algumas cidades da Bahia e Alagoas circulam veículos com adesivos, criticando o projeto de transposição. Os que são contrários apontam que, além de não resolver os problemas a que se propõe a transposição, ainda criam outros em várias esferas.

Argumentam que “o desvio de um rio degradado, a construção de barragens para controlar sua vazão, a supressão de mata nativa, a mudança no regime de cheias do rio, prejudicam a fauna”.

Porém, o capitão Jair explica que o projeto da transposição vem sendo acompanhado por um arqueólogo, um biólogo e um engenheiro florestal.

Indiferentes às discussões ideológicas e ambientais, os moradores ribeirinhos estão solidários com os seus irmãos nordestinos que serão beneficiados com o projeto.

O motorista Pedro Landim diz que “a coisa pior que tem é a falta d’água”. “Nós temos um mar a nossa disposição. Então, por que negar um pouco d’água para nossos irmãos que estão sofrendo”?, indaga. O agricultor Antônio Humberto Cavalcante também afirmam que, se depender dele a água “matará a sede do povo”.

SAIBA MAIS

Objetivo

O Projeto de Integração do rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional é um empreendimento do governo federal, sob a responsabilidade do Ministério da Integração Nacional, destinado à assegurar a oferta de água, em 2025, a cerca de 12 milhões de habitantes de pequenas, médias e grandes cidades da região semi-árida dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Captação

A integração será possível com a retirada contínua de 26,4 m³/s de água, 1,4% da vazão garantida pela barragem de Sobradinho (1.850 m³/s) no trecho do rio onde se dará a captação. Este montante será destinado ao consumo da população urbana de 390 municípios dos quatro estados do Nordeste Setentrional.

Mais informações:
2º Batalhão de Engenharia do Exército
(86) 3221.4292
Prefeitura de Cabrobó (PE)
(87) 3875.1632

Antônio Vicelmo
Repórter

RECURSOS HÍDRICOS

Projeto é considerado prioridade

Cabrobó. O projeto de transposição das águas do rio São Francisco consiste na transferência de águas do rio para abastecer pequenos rios e açudes da região Nordeste que possuem um déficit hídrico durante o período de estiagem. As obras, de acordo com o Ministério da Integração Nacional, são prioritárias para o governo no setor de infra-estrutura.

A transposição do rio São Francisco é uma discussão antiga no governo federal. O projeto foi concebido inicialmente em 1985, ainda no âmbito do extinto Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS). Em 1999, foi transferido para o Ministério da Integração Nacional. Atualmente, vários ministérios acompanham as ações, assim como o Comitê da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco – formado pela sociedade civil e pelas três esferas de governo.

Com o Projeto de Integração do rio São Francisco, os grandes açudes como Castanhão (CE), Armando Ribeiro Gonçalves (RN), Epitácio Pessoa (PB), Poço da Cruz (PE), entre outros do Nordeste Setentrional, passarão a oferecer uma maior garantia para o fornecimento de água aos diversos usos das populações. Nos Estados beneficiados com o projeto, vários sistemas de distribuição estão operando, encontram-se em obras ou estão em fase de estudos, com o objetivo de levar água destes reservatórios estratégicos para suprir cidades e perímetros de irrigação.

No Estado do Ceará, o sistema de reservatórios que abastece a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) — açudes Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião — já está interligado ao rio Jaguaribe por meio do Canal do Trabalhador (capacidade de 5 m³/s). Em função da necessidade de se levar mais água da Bacia do rio Jaguaribe para a RMF, o governo do Estado está construindo o Canal da Integração (capacidade de 22 m³/s), interligando o açude Castanhão às bacias do Banabuiú (maior afluente do rio Jaguaribe) e Metropolitanas.

No Estado do Rio Grande do Norte, o açude Armando Ribeiro Gonçalves é responsável pelo abastecimento de uma grande quantidade de municípios das bacias do Piranhas-Açu, Apodi e Ceará-Mirim por meio de quatro grandes sistemas adutores que estão em operação: Adutora de Mossoró, Adutora Sertão Central / Cabugi, Adutora Serra de Santana, Adutora do Médio Oeste.

Encontra-se em fase de projeto, a Adutora do Alto Oeste que atenderá a maior parte dos municípios de abrangência da Bacia do Apodi, captando água no açude Santa Cruz.

Por: Antonio Vicelmo – www.diariodonordeste.com.br
.


Música de Qualidade - 24h!

300x250advert

VIDEOS EM DESTAQUE

GALERIA DE FOTOS

Previsão do Tempo


EDIÇÕES ANTERIORES

dezembro 2014
D S T Q Q S S
« nov    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Rede Blogs do Cariri




Clique no Logo acima e visite o site oficial da Rede.

Mural Chapada do Araripe



TV CHAPADA DO ARARIPE



A TV Chapada do Araripe é composta por uma coleção de vídeos, entrevistas e reportagens. Escolha o vídeo que deseja assistir, clicando sobre o título. Veja mais detalhes na página da TV Chapada do Araripe.

HOMENAGEM DA SEMANA


CORREINHA

O Chapada do Araripe presta homenagens a um dos maiores mestres da cultura popular que faleceu em Crato recentemente, Francisco Correia de Lima, o Correinha, artista de várias linguagens atuante no município do Crato. Mestre Correinha nasceu no município de farias Brito no dia 14 de fevereiro de 1940, mas era um amante inveterado do Crato, município ao qual costumava fazer referências em suas canções. Talvez por não ter tido seu nome incluído nas listas anuais de mestres reconhecidos pelo Governo do Estado desde 2004, mestre Correinha tenha sido sepultado em meio a homenagens comoventes de moradores do município, mas, como ressaltaram amigos e familiares, sem o devido destaque por parte do Poder Público. Situação destacada durante a sua missa de corpo presente, enriquecida pelo acordeon de Hugo Linard, com quem Correinha gravou recentemente, 15 canções que agora constituem o último registro de sua obra. Segundo o próprio Hugo Linard, as canções registradas nesse último trabalho de Correinha em estúdio são, na maioria, inéditas. ´Ele gravou também ´Belezas do Crato´, mas as outras não tinham registro´, diz, citando canções como ´Coisas do meu sertão´, ´Exaltação a Barbalha´, ´Crato de Açúcar´ e ´Meu Cariri´ e ´Balanceio´. ´Fazia tempo que a gente tava cutucando ele, dizendo que ele tinha que gravar de novo. Ele fez dois compactos e outros discos, no tempo do vinil, além de vários cordéis´. Hugo Linard chama atenção para aspectos peculiares da trajetória de Correinha. ´Ele mantinha um bar aqui no Crato e ainda trabalhava como agente carcerário. Era tão querido que os presos pediram à família por ocasião do seu velório, para deixar um pouco o corpo dele lá na cadeia, para eles o homenagearem´.
Dalwton Moura

Jornal do Vicelmo

Todos os dias na Rádio Chapada do Araripe - Internet, a partir das 07:00, ouça o Jornal do Cariri com Antonio Vicelmo. O Jornal é retransmitido da Rádio Educadora do Cariri em tempo real. Você pode ouvir o programa através da nossa imensa rede de Blogs e websites. Alguns programas antigos estão disponíveis no nosso website Jornal do Vicelmo.

AUXÍLIO À LISTA

Dicas de Filmes



Por trás de todo o grande homem se esconde um professor, e isso era certamente verdade para Bruce Lee que aclamava como seu mentor um expert em artes marciais chamado Ip Man. Um gênio do Wushu (ou a escola de artes marciais da China), Ip Man cresceu numa China recentemente despedaçada pelo ódio racial, radicalismo nacionalista e pela Guerra. Ele ressurgiu como uma Fênix das Cinzas graças à suas participações em lutas contra vários mestres Wushu e lutadores de kung-fu - finalmente treinando icones de artes marciais como Bruce Lee. Esta cinebiografia do diretor Wilson Yip mostra a história da vida de Ip.

Como Publicar seu Artigo


Agora você pode entrar em contato conosco diretamente. Se vc deseja publicar algum artigo que julgue importante para o Cariri, entre em contato conosco. Todos os artigos aprovados serão devidamente creditados aos autores. Os melhores artigos merecerão destaque, e se continuados, os escritores e cronistas poderão se tornar membros permanentes doportal Chapada do Araripe. Contatos: MSN e E-mail: blogdocrato@hotmail.com

Quem somos Nós

O Chapada do Araripe é um site sem fins lucrativos, que visa promover a imagem da região do cariri cearense na Internet. Se você deseja publicar algum artigo no portal Chapada do Araripe, entre em Contato conosco.

Direitos Autorais:

DM Studio – Comunicação & Marketing. Algumas partes do Chapada do Araripe estão sob uma “Licença Creative Commons”, e outras, de acordo com seus respectivos autores, com “Todos os Direitos Reservados” –

www.chapadadoararipe.com - 2014

Contatos: Dihelson Mendonça – MSN e E-mail: blogdocrato@hotmail.com

© 2014 Chapada do Araripe - -