Artigos escritos por liszt

SESC – Aulas de Dança – Ritmos de Salão

.

BICENTENÁRIO DA CHEGADA DA FAMÍLIA REAL



Dom João VI e o Crato

Neste 2008, quando o Brasil inteiro festeja o bicentenário da chegada da Família Real Portuguesa, é bom lembrar uma iniciativa de Dom João VI que representou grande avanço para o progresso do Cariri. Há mais de 191 anos, em 27 de junho de 1816, por força de Alvará Del Rey, Dom João VI criou a Comarca da Vila Real do Crato, a segunda do Ceará.

Para os que se interessam pela história transcrevemos abaixo o item primeiro daquele alvará:

“Hei por bem dividir a comarca do Ceará – Grande, e criar outra com a denominação de comarca do Crato, servindo-lhe de cabeça a vila do Crato e compreendendo no seu distrito as vilas de São João do Príncipe, Campo Maior de Quixeramobim, Icó, Santo Antônio de Jardim e São Vicente de Lavras, que por este alvará sou servido elevar à qualidade de vila. Todas estas vilas ficam logo desmembradas da referida comarca do Ceará – Grande, e sujeitas a nova comarca do Crato do Ceará”

O primeiro juiz da nova comarca – aquele tempo chamado de Ouvidor – foi uma figura eminente: José Raimundo do Paço de Porbém Barbosa, o qual assumiu a nova função em 17 de dezembro de 1817. Foi de autoria do primeiro ouvidor de Crato o primeiro plano de transposição das águas do Rio São Francisco para o Ceará. No seu plano, o Ouvidor de Crato defendia a transposição dessas águas através de um canal pelo leito do Rio Salgado.

Fonte: Raimundo de Oliveira Borges, no livro “Memória Histórica da Comarca do Crato”, publicado pela Casa José de Alencar-UFC, Fortaleza (CE) 1997.

DEU FEBRE AMARELA NAS AUTORIDADES DE SAÚDE


Sobre a nota O MOSQUITO na coluna Panorama Político de Ilimar Franco no Globo de hoje (17/01/2007) lhe escrevi. “É no título da nota que se encontra o problema e não no relativo menor estrago da Febre Amarela em termos de mortes. O denominador comum é o Aedes aegyptti que foi reintroduzido no Brasil no início da década de 70 e por volta de 1984 estava queimando o governo Brizola com uma epidemia de Dengue. Aquela em que o mosquito não era federal, estadual ou municipal. As autoridades sanitárias brasileira, os cientistas e a sociedade estão inapetentes para enfrentar o tal mosquito. O Serra sofreu uma epidemia aqui no Rio que teve muita influência negativa na imagem de bom ministro que se tinha dele. O Garotinho teve problema igual e de uma forma entre direta e indireta o governo Lula enfrenta esta Febre Amarela que é o mesmo problema da epidemia de dengue que teve aumento em 2007. Não é que tenha ocorrido a reintrodução da Febre Amarela Urbana, é que o mosquito Aedes ficou e ninguém faz o suficiente para enfrentá-lo. Se você tiver a curiosidade vou chutar uma informação: o último ministro que efetivamente considerou a questão do Aedes foi o Jatene no primeiro governo FHC quando propôs na Organização Pan-americana de Saúde uma ação continental. Os outros transferiram o problema com o biombo de discursos corretos: municipaliza o combate. Nem hoje e nem nunca se enfrentará um mosquito de grandes habitats com ações locais. Tem que ser uma política nacional, comandada, disciplinada, com metas, avaliações e medidas de vigilância poderosas. O ministro Temporão ao invés de abrir a boca e denunciar esta derrota do Estado e da Sociedade e liderar uma campanha nacional fica tentado a desmentir o secundário que é a não existência da febre amarela. O principal é enfrentar o Aedes nas cidades. O Aedes é o fator sine qua non para que a febre amarela se urbanize. Eis um problema dos ministros da saúde brasileira, jogam muito para a propaganda e imagem pública e muito pouco no enfrentamento de problemas enormes e que mesmo em surdina, sem grandes alardes, poderá fazer uma grande diferença. Aliás, entre tantas besteiras que possa dizer, esta reconheço, o ministro que tiver porte para realmente enfrentar o problema do Aedes, será eleito até a papa e se isso não for a sua praia, ao menos um prêmio nas orações dos brasileiro ganharia.”

PENSADORES, CIENTÍSTICAS E PALPITEIROS CORREI: É CHEGADA A HORA DO BUTIM.

Um efeito colateral do fim da era desenvolvimentista e início do liberalismo. Isso ocorreu nas instituições do Estado brasileiro. Deixaram de pensar a sociedade como uma cultura própria dos brasileiros e preparar caminhos para superação de suas necessidades. Esqueceram a sociedade real e se dedicaram à tecnicidade de dar potências extras aos líderes empresariais e aos homens de negócios de toda natureza. Aqui no Rio, instituições de ensino e pesquisa, com base na excelência dos projetos da COPPE e da COPPEAD, copiaram o modelo e hoje os pensadores se tornaram especialistas em disputa e concorrência de projetos muitas vindas do próprio Estado e de suas empresas. Entre estes ninguém pensa nos brasileiros e no Brasil. A maioria se tornou especialista em aumentar seus próprios ganhos, em arrumar laranjas para disfarçar o ganho extra e dirigir todo tipo de organização privada que funciona de casamata para defesa de interesses reservados. Enfim: o principal efeito foi a individualidade, a pobreza de sentimentos e espírito, a queda moral e ética e o isolamento destes pensadores do futuro de uma nação tão necessidade de grandes idéias.

Exposição Fotográfica – Um Outro Ceará

.

A Crise de Identidade e o Conflito Existencial – Por: Bernardo Melgaço


Abençoado é aquele que entrou em crise de identidade e finalmente percebeu a origem do conflito existencial em si mesmo. Em toda a história humana o homem viveu em crise de identidade e projetou seu conflito existencial no mundo por onde passou, habitou e se adaptou. Hoje, não é diferente dos tempos memoráveis dos grandes conflitos entre povos e raças da antiguidade (romana, grega etc). Nada mudou – nada mesmo! A única coisa que “mudou” foi a tecnologia empregada e o processo sutil de dominação ideológica. Mas, em essência agimos com o mesmo ímpeto e motivação: vencer o outro! O outro (imanente) é o inimigo, o obstáculo, o mal, a besta, a fera, o bárbaro, o ignorante, o adversário e o demônio que deve ser exorcizado. O ser humano detesta e tem medo da solidão cósmica por isso ele precisa de um ponto ou centro externo à sua consciência como referência para a concepção do Eu na relação e revelação com o Outro (transcendente). E se por hipótese o outro deixasse de ser esse ponto ou centro de referência vital de aprendizado objetivo, entraríamos numa crise de identidade existencial. E nesse processo de crise teríamos que criar ou descobrir um outro ponto ou centro interno que substituísse aquela referência que era externa à nossa consciência. Foi o que aconteceu comigo em 1988 – crise de identidade e conflito existencial!

Hoje, sinto-me seguro em afirmar que todas as crises começam devido à necessidade que temos de conceber o outro como referência identitária na construção das identidades culturais e existenciais que criamos ao longo da vida. Em outras palavras, a identidade tem duas dimensões: a cultural-social e a existencial-ontológica. Enquanto vivenciamos as experiências objetivas das relações do mundo social criamos identidades sociais em função das culturas que nos influenciam e nos garantem a afirmação da existência do Eu social. Mas, por outro lado enquanto vivenciamos os fenômenos subjetivos do mundo pessoal criamos identidades em função do nível de experiência da realidade em que conseguimos penetrar e nos conectar a seus princípios ou energias sutis criadoras. Esta última decorre de um caminho conhecido como AUTOCONHECIMENTO, diferente e complementar do primeiro que é o caminho do CONHECIMENTO.

A palavra crise, no ideograma chinês, significa: risco e oportunidade. O risco porque podemos “perder” ou negar, durante o processo complexo e difícil, a faculdade racional do Eu social – isso nos levaria a loucura! E a oportunidade porque podemos ter um encontro com o Outro (transcendente) em si mesmo. E esse encontro pode ser a coisa mais agradável e feliz de ocorrer a um ser humano, e ao mesmo tempo poder ser a coisa mais terrível também. E nesse estado de consciência teríamos a grande oportunidade de nos confrontarmos e descobrirmos finalmente quem somos nós: seres espirituais habitando corpos materiais. E nesse processo descobrirmos ou revelarmos a nossa identidade cósmica existencial. E assim, o mistério se extinguiria na luz da consciência expandida: iluminação!

Hoje, as crises aumentam os conflitos sociais e existenciais e colocam egos contra egos – e muita gente no hospício também!: soldados contra soldados, professores contra professores, religiosos contra religiosos, políticos contra políticos etc. A cada dia tanques de guerra e ideologias do ego se alinham para o confronto direto no grande conflito humano em decorrência da perda de identidade fundamental do ser: a consciência de si. Marx, percebeu sutilmente e por isso mesmo afirmou: “ Não é a religião que faz o homem, é o homem quem faz a religião. A religião é a consciência de si que o homem perdeu ou não adquiriu ainda…a falta da verdadeira religião é o ópio do povo”. Albert Einstein afirmou também: “…COMO JULGAR UM HOMEM? De acordo com uma única regra determino o autêntico valor de um homem: em que grau e com que finalidade o homem se libertou do seu Eu?”. E Sócrates finalizou apontando o caminho de construção da identidade existencial-ontológica: “Conhece-te a ti mesmo”. O Amor Divino (transcendente) é o reconhecimento da identidade do Eu na sua experiência cósmica consigo mesmo (na linguagem buberiana: Eu-Tu (ou Philo-Sophia)). Infelizmente, a humanidade caminha numa trajetória muito distante dessa façanha: “Amai-vos uns aos outros” – Jesus Cristo.

Prof. Bernardo Melgaço da Silva
.

Hoje no DN – Música erudita e popular atrai público no sertão


Centro-Sul

Clique para Ampliar

Público faz fila para entrar no Teatro da Ribeira dos Icós, onde acontece a programação (Foto: Arthur Andrade)

Clique para Ampliar

Orquestra de sopros de Pindoretama apresentou um concerto didático para a platéia que mostrou bastante interesse

Clique para Ampliar

No circo da música localizado no Largo do Theberge, participação da Banda de Música Municipal de Icó

Apresentações musicais, oficinas, concertos didáticos integram a programação do Janeiro da Música

Iguatu. O som dos instrumentos de sopro, corda, teclado e percussão em peças clássicas e populares invade o sertão da região Centro-Sul e Vale do Salgado até o próximo dia 20, numa programação especial da Secretaria de Cultura do Estado (Secult). O Janeiro da Música acontece nas cidades de Acopiara, Icó, Iguatu, Orós e Várzea Alegre e tem por objetivo contribuir para a formação musical nos municípios do Interior do Estado.

A programação do Janeiro da Música inclui o II Fórum Estadual de Bandas de Música do Ceará até o dia 19, em Icó, e o Seminário Rede de Formação e Desenvolvimento Estratégico da Música de amanhã a domingo, em Iguatu. Haverá ainda concertos com a participação de músicos da região e convidados, como forma de intercâmbio, e oficinas de instrumentos e técnicas musicais para alunos de escolas públicas nos cinco municípios.

Agenda de oficinas

O Janeiro da Música também oferece oficinas musicais de Violão Popular, em Acopiara; Técnica Vocal, em Orós; Percussão, em Várzea Alegre; Arte-Educação em Música, em Icó; e Acordeom e Cordas, em Iguatu – para alunos dos municípios da região Centro-Sul do Estado.

Ainda haverá concertos em Igrejas, no Teatro da Ribeira dos Icós, na Casa de Câmara e Cadeia, em Icó, e no anfiteatro do Serviço Social do Comércio (Sesc) e no abrigo metálico, município de Iguatu. Na cidade de Icó acontecem concertos no Theatro da Ribeira dos Icós da Orquestra de Sopros de Pindoretama; da Orquestra de Cabaças de Juazeiro do Norte; do Quarteto de Cordas da Solibel, do Crato; da Escola Maestro José Wilson Brasil, da cidade de Sobral; da Fundação Casa Grande, de Nova Olinda; e da Associação Ribuliço Ecoart, do município de Crateús.

No Largo do Theberge, ao lado da Igreja do Senhor do Bonfim, está instalado o Circo da Música, local que sedia apresentações de uma banda de música e três grupos da região Centro-Sul.

Em Iguatu, acontecem os Concertos Didáticos e os Diálogos Musicais, hoje e amanhã. Para esta quinta-feira, de 15h às 17h, no auditório do ABC Padrão, no Centro, está marcado um encontro com as Escolas de Músicas de Guaiúba e de Iguatu, além de apresentações, às 17h30, no mesmo local, da Camerata de Cordas Eleazar de Carvalho. Já para a programação de amanhã, às 20h, na Praça da Matriz, haverá concerto com a Orquestra de Sanfona de Guaiúba, com cinco sanfonas e três percussões. Na agenda para o domingo, no mesmo local e horário, apresentação de Ítalo e Reno dentro do Concerto Didático. As apresentações são abertas ao público.

Música de câmera

Nos últimos dois anos, sempre em janeiro, a Secult promoveu o Festival de Música de Câmera da região Centro-Sul e Vale do Salgado. Neste ano houve uma mudança. “O Festival foi transferido para uma data posterior porque houve dificuldades de captação de recursos em face na demora da aprovação do projeto”, explicou Pedro Domingues, coordenador de Ação Cultural da Secult.

Segundo ele, “o Janeiro da Música não substitui o Festival, mas surge como evento alternativo, mantendo o calendário e o foco na música”.

O Janeiro da Música é uma ação cultural da Secult, com promoção do Sistema Estadual de Bandas de Música (Sebam/CE) e da Associação Artística de Concertos do Ceará (AACC). A programação é feita a partir de uma parceria com as prefeituras municipais. Os recursos investidos são oriundos do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura (Siec), via Fundo Estadual da Cultura (FEC), e do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop).

Honório Barbosa
Repórter

Mais informações:

Programação completa do Janeiro da Música, que acontece até domingo em municípios do Centro-Sul, pode ser conferida no www.secult.ce.gov.br

Fonte: Diário do Nordeste: www.diariodonordeste.com.br
.

Aos que usam Velox (Vagarox).

Consegui um crédito dos 9 (nove) dias somados (dezembro e janeiro) que a Velox esteve nos chateando. Liguei e, pasmem! Me atenderam, adiaram o pagamento da fatura deste mês. Receberei uma nova fatura com o desconto. Convido todos a fazer o mesmo. Eles precisam respeitar os usuários do Cariri e quando tiver que acontecer isso de novo, passarem informações precisas.
Espero que todos consigam.

A Chama dos Velhos Carnavais

Há alguns anos, no assassino desmoronamento do edifício Palace II , no Rio, entre os oito mortos, havia uma mocinha que foi surpreendida, no interior do seu apartamento, quando tentava salvar a fantasia de carnaval que usaria no desfile do outro dia. Quão importante aquela festa para a mocinha que, ao invés de tentar resgatar bens mais duráveis, buscou desesperadamente salvar a sua fantasia! O Carnaval, que nos chegou com os portugueses ,aportou no Brasil como expressão máxima do anarquismo: festa onde cada um se fantasiava do que bem lhe aprouvesse, onde os escravos encharcavam os senhores e os súditos ridicularizavam os reis. Tudo era permitido naqueles quatro dias de trégua dos homens com o seu poder, seu status quo e suas regras sociais. Certo que, com o tempo, o capital começou a pôr leis e fronteiras na essência anárquica do Carnaval, vieram as arquibancadas, os cordões de isolamento, os trios elétricos, os abadás e a grande expressão da cultura brasileira foi se tornando burocrática, com uma alegria medida, uma transgressão controlada, uma anarquia regulada. Os reis já não se misturam com os súditos, os senhores já não se mesclam com seus escravos… o aparthaid brasileiro já não tem sequer um dia de trégua!
Soube de um tempo em que o Carnaval cratense tinha o doce sabor original dos velhos reinados mominos. Um tempo em que o Corso percorria toda a Rua do Commercio, em meio a guerra de serpentinas e confetes, entre pierrôs e colombinas que se espalhavam por toda avenida ou se encastelavam nas janelas dos velhos casarões e que , à noite, terminavam no baile carnavalesco no Clube Cariri, ali pertinho na Rua Formosa . O Lança-Perfume , na época, era um mero aromatizador e fazia as moiçolas lacrimejarem quando respingava nos seus olhos escondidos por trás das máscaras e corpos contidos pelos espartilhos. Vivi, depois, um tempo em que blocos organizados e Escolas de Samba desfilavam por toda a cidade e onde o Carnaval tinha seu apogeu nos Assaltos do Crato Tênis Clube, bailes comandados por figuras emblemáticas e inesquecíveis como Valdir Silva e Zé Maia e que terminavam, na madrugada da ingrata quarta-feira, em plena praça Siqueira Campos. Tempo que tão genialmente foi depois eternizado em dois frevos do nosso Abidoral Jamacaru. Época em que boêmios da nossa mais alta society roubaram, no romper do dia, um pato da Fonte Luminosa da Praça da Sé e foram saborear o petisco, após ser apetitosamente preparado pelas sábias mãos de Canena . O furto terminou em tanto alvoroço que rendeu uma Marcha:

“Levantaram um “falso”chato
Ao novo Clube das Rosas,
Só porque sumiu-se um Pato,
Lá da fonte luminosa”…
Quem paga o Pato?”

Depois o Carnaval cratense foi pouco a pouco esmaecendo, um pouco a cada ano, um tanto a cada gestão municipal. As poucas pessoas mais aquinhoadas arrefecem sua chama foliã nas praias do litoral e os foliões incorregíveis buscam Recife-Olinda que ainda conservam, como em um Museu, a chama inquebrantável dos velhos Carnavais. Ao povão resta seguir com seu eterno destino de escravo, sem poder sequer um dia mimetizar-se de marajá, de príncipe, de Rei. Resta-lhe tão-somente a velha e surrada fantasia de palhaço. Quem quiser um dia resgatar a nossa essência como cidade, terá que , necessariamente, resgatar nossos antigos e inesquecíveis carnavais. Precisamos trazer à tona a mesma chama que fez aquela mocinha , com todo perigo desse mundo, entrar no edifício que desmoronava, na vã tentativa de salvar sua fantasia para o Desfile do Carnaval…

J. Flávio Vieira

Foto: Arquivo Jurandyr Temóteo

???


O que você queria saber mas tinha vergonha de perguntar.

Por que a gente Soluça?

Soluço é a contração involuntária do músculo do
Diafragma, responsável pela respiração.
O soluço geralmente é causado por uma irritação no
Nervo frênico, responsável por ativar o diafragma
Devido a um aumento do volume do estômago.
E não é lenda a história de que um susto pode curar o
“soluçante”, pois libera adrenalina e ativa o nervo
frênico, outra saída é a água gelada, que provoca o
Mesmo efeito.

Ih!, Meu Pé Dormiu!

Isso acontece porque a compressão do fluxo sangüíneo
(ao cruzar as pernas, por exemplo) interrompe o tráfego
De impulsos nervosos.
Ao restabelecer o fluxo, acontece uma espécie de
“curto circuito” nos impulsos elétricos dos nervos,
daí a sensação de formigamento”.
Há até um problema conhecido como
“paralisia dos amantes”.
O casal dorme junto e um deles fica em cima
Do braço do outro.
O fluxo sangüíneo pode ficar interrompido por horas,
Comprometendo por meses ou até para sempre o
músculo do braço”.
A saída para o formigamento restabelecer o fluxo
sangüíneo, movimentando o músculo.
Dependendo do caso, é necessário fazer fisioterapia.

Por que tenho vontade de Urinar quando entro na Piscina?

Não é sacanagem.
Ao entrar na água, a pressão externa sobre o corpo
Aumenta.
“Os líquidos componentes do plasma que estão fora dos
Vasos são “empurrados” para dentro deles”,com o aumento
Do volume de sangue nos vasos – chamado volemia – vem a
Vontade de urinar.
É como beber água.
Por falar em água, é verdade que torneira aberta e
Chuveiro despertam a vontade.
“É psicológico, chamamos de reflexo da micção”.

De onde vem a Cãibra?

Segundo o neurologista Acary Oliveira, da Unifesp,
95% da população já experimentou esse espasmo muscular,
Em geral na barriga da perna.
“Após intensa atividade física, acaba a energia e a
Musculatura se contrai e não relaxa”.
Para passar, o segredo é contrair o músculo oposto ao
Que está doendo, como fazem os jogadores de futebol.
Se a cãibra for na barriga da perna, por exemplo,
Basta alongar os músculos da parte da frente,
Puxando a ponta do pé para cima, em direção a canela.

O que causa o Arroto?

Também chamado eructação, o arroto é causado pelo ato
De engolir ar (aerofagia).
“Falar ou comer muito rápido, engolindo ar, são as
Causas mais comuns”.
Ingerir alguma substância que contenha gás, como
Refrigerante, pode ser outra causa provável.
A cura não é muito educada.
Basta “eructar”.

Por que, às vezes, meu Olho Treme?

O espasmo das pálpebras é causado pela contração do
músculo orbicular (músculo responsável pelo fechamento
Das pálpebras).
A causa mais provável é que seja provocado pelo cansaço
Ou tensão.
“É como uma cãibra”, explica o oftalmologista Paulo
Henrique, da Unifesp.
O músculo se movimenta rápido para fazer circular mais
Sangue na região e dissipar o ácido lático, responsável
Pela irritação na terminação nervosa.

Por que há uma espécie de “Choque” quando se Bate o Cotovelo na Quina da Mesa?

A reação é causada pela compressão de um nervo
Chamado ulnar.
“No cotovelo, o nervo ulnar está muito exposto,
Ficando suscetível a pancadas”.
Esse nervo está ligado aos dedos mínimo e anular.
Por isso, a sensação de choque se espalha do cotovelo
até esses dois dedos.

Estalar os Dedos Engrossa as Articulações?

Não. “Ao esticar o dedo, o líquido sinovial lubrificante
Da articulação responsável por diminuir o atrito se
Desloca sob o vácuo formado entre as articulações,
Fazendo o barulho do estalo”, ensina o ortopedista
cirurgião de mão Luís Nakashima.
O mesmo fenômeno pode ser percebido nas
Costas e nos joelhos.
“Provocar o estalo no dedo não faz mal algum”.

Por que tenho a Impressão de já ter Visto um Lugar Onde
Nunca Estive?

A sensação de “déjá vu” pode acontecer com quase todos
E tem origem biológica.
O hipocampo – região do cérebro responsável pelo
Processamento da memória – é ativado fora de hora,
Exatamente quando está ocorrendo um fato novo, dando
A impressão de que aquilo já estava registrado,
De que é um fato do passado.
O evento é mais freqüente em pessoas com epilepsia
No lobo temporal e isso, provavelmente, está
Relacionado com” disparo “anormal do hipocampo, um dos
Centros cerebrais da memória”, explica o psiquiatra
Roberto Sassi.
Mas isso não implica que pessoas que tenham “déjá vu”
Sofram de epilepsia.

Por que a gente Boceja?

“É uma forma de ativar o cérebro e evitar o sono”,
afirma o coordenador do departamento de distúrbio do
sono da Unifesp, Ademir Baptista Silva.
Ao bocejar, o segundo e o terceiro ramo do nervo
trigêmeo (um dos nervos da face) são ativados,
estimulando o cérebro.
O mesmo efeito pode ser obtido mascando chiclete.
“O único mistério é o fator” epidêmico “do bocejo
ninguém sabe porque as pessoas bocejam quando vêem
outras bocejando”, diz Ademir.

Por que os Pêlos ficam Arrepiados?

“O frio e as fortes emoções são os principais
estímulos causadores da contração do músculo eretor
dos pêlos”, afirma a neurologista Cláudia Garavelli.
A origem pode estar na teoria darwinista e sua
explicação é que o arrepio é uma forma de defesa.
No frio, a camada formada pelos pêlos retém o ar
quente, aquecendo o corpo.
No medo, aumenta-se o volume do corpo, assustando-se
assim um eventual agressor, como fazem os gatos.

Por que a Pele da Mão Enruga quando ficamos na Água?

“Porque a camada externa da pele do dedo é composta por
uma proteína – a queratina – que pode absorver
“água como uma esponja”, explica o clínico geral
Luís Fernando.
A camada externa da pele da ponta dos dedos é “fixa”.
Para caber o volume de água absorvido, a pele enruga.

O que causa o Espirro?

“É um mecanismo de defesa, uma forma de o organismo
liberar bactérias e vírus alojados nas vias
respiratórias, especialmente no nariz, limpando-o”.
Explica o neumologista Clystenes Odyr Silva.
Não tente impedir o espirro e jamais bloqueie o
nariz para evitar fazer barulho.
A velocidade do espirro pode ser de 160 km/h; ao
tampar nariz, a pressão é transmitida para um canal
do ouvido e corre-se o risco de ter-se o tímpano
rompido.

É verdade que Orelhas e Nariz Crescem quando Envelhecemos?

Não. O problema é que o tecido de sustentação da pele
perde elasticidade.
“A partir dos 75 anos, a flacidez é mais acentuada
devido à perda da elastina, proteína responsável pela
elasticidade da pele”, afirma o geriatra Clineu Almada.
“Assim, tecido “cai”, dando a impressão de que o órgão
cresceu”.

CULTURA & CINEMA – 16.01.08

I Fauna Cariri

O Cariri mais uma vez sai na dianteira da realização em audiovisual.Está previsto para março de 2008 a realização do I Fauna – FestivalNacional de Cinema Ambiental e Eco Cidadania, que acontecerá nascidades de Crato e Juazeiro do Norte. A coordenadora do projeto, acineasta Verônica Guedes, vem desde o final do ano passado realizandocontatos e parcerias na região. O prefeito do Crato, Samuel Araripe, eo presidente do Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente, AndréEsmeraldo Barreto, firmaram apoio para a realização do evento.Previsto para durar seis dias, o Fauna incluirá, além da mostranacional de longas, médias e curta-metragens, uma Mostra Internacionalde Produções Ligadas à Ecologia; um Seminário Sobre Aquecimento Globale Oferta Hídrica na Região Nordestina; um Workshop Sobre TurismoEcológico, quatro Oficinas de Arte-educação e duas Oficinas deAudiovisual, de onde devem sair vídeos realizados e montados pelosparticipantes. O melhor filme do I Fauna vai receber um prêmio novalor de R$ 5 mil. A captação de recursos será viabilizada, viarenúncia fiscal, por meio da Lei Rouanet e o orçamento do Festivalestá calculado em R$ 639 mil.

Patrimônio e memória de uma cidade (I)

Um dos mais novos sócios efetivos do Instituto Cultural do Cariri –ICC, o arquiteto e engenheiro Waldemar Arraes de Farias Filho, faz jusà honrosa agremiação da intelectualidade caririense que o acolheu, nomomento da publicação de seu trabalho “Crato: evolução urbana earquitetura, 1740-1960″. O livro já nasce como obra de referência parageógrafos, historiadores, urbanistas e estudiosos das ciências sociaisque necessitem realizar investigações sobre o Crato enquanto espaçohistórico-social, além de poder subsidiar informações ao planejamentourbano local. O trabalho do autor é rigoroso sob o olhar sensível nãoapenas do engenheiro-arquiteto, mas incorporando também análisessócio-culturais na discussão bem ilustrada, com excelente arquivo deimagens, sobre a evolução urbana e arquitetônica de Crato desde oséculo XVIII até os anos 1960. Vale a pena adquirir e estudar a obrapela importância que representa no fomento da consciência depreservação do patrimônio material da cidade. Conforme o autor, “estepatrimônio tem grande importância para nossa comunidade, pois ele é oaspecto visual da história do município, a autobiografia do sistemaeconômico e das instituições sociais”.

Patrimônio e memória de uma cidade (II)

A realização de um documentário sobre o Crato de ontem e o de hojeestá sendo idealizado por Waldemar Arraes. Para este projeto, nossoarquiteto e autor de “Crato: evolução urbana e arquitetura,1740-1960″, contará com a parceria do grupo de pesquisa IMAGO –URCA/CNPq. O grupo IMAGO, agregado ao Laboratório de Ensino doDepartamento de Geociências da URCA, disponibilizará seu núcleo deprodução audiovisual para a edição do documentário.

De passagem

Encontra-se em Crato, Jefferson de Albuquerque Jr, cineasta caririenseque realizou diversos filmes nos anos 1970-80 na região. Hoje,residindo em Vitória, Espírito Santo, desenvolve permanente trabalhono audiovisual. No estado capixaba é o coordenador de oficinas daMostra de Vídeo Ambiental do Caparaó Itinerante. Recentemente, obtevereconhecimento social pelo seu trabalho, sendo-lhe conferido, atravésda Assembléia Legislativa, o Título de Cidadão Espírito Santense.Jefferson encontra-se realizando pré-produção e captação de imagenspara a realização de um documentário sobre a chapada do Araripe.Conforme Jackson Bantim (Bola), diretor de produção do projeto, odocumentário abordará diversos aspectos da Chapada, durante todo oano, sejam aspectos sociais e ambientais, incluindo imagens aéreas queserão realizadas ainda neste início de ano.

CineClubes

Segue uma boa sugestão para os amantes da Sétima Arte no Cariri.Sessões de cult movies, ou seja a de projeção de filmes que estão forado circuito comercial, ou que se constituem como obras exemplares degrandes diretores da história do cinema mundial, podem ser muito bemapreciadas a partir da formação de um cineclube. Há no Brasil o CNC -Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros, que mantém um site(http://cineclube.utopia.com.br/) para cadastro e orientações aosinteressados em criar ou manter um cineclube no país. Conforme o CNC,os cineclubes, nascidos nos anos 20, se vinculam a uma concepçãorevolucionária e democrática de organizar a relação do público com aobra cinematográfica – agora audiovisual. Cineclube é o espaço do novoe do povo. Por isso sempre foram perseguidos pelo autoritarismo,marginalizados pelo poder econômico, ignorados pela maior parte dasesferas institucionais.
—————
CULTURA & CINEMA (coluna do jornal “Contraponto” -16.01.08)
por Glauco Vieira – glauco.vieira@gmail.comhttp://glaucovieira.blogspot.com
(geógrafo e cineasta – prof. do depto de geociências da URCA)

O Carnaval no Crato de outrora

Aproxima-se o carnaval, festejo que teve origem na Europa medieval, mas que teve sua apoteose no Brasil.
No Crato, as folias mominas são festejadas há bastante tempo. Irineu Pinheiro, no livro O Cariri, dedica-lhe um capítulo inteiro, tecendo pormenores de como era brincado o carnaval no Crato de outrora. Tinha o nome de entrudo, e era de natureza irreverente e extremamente popular. A água era o elemento central, talvez por nítida influência da estação invernosa, que aumentava em muito o já forte potencial hídrico do local. Eis como Pinheiro descreve o entrudo:
Era (…) o triunfo mais completo da água.
“Percorriam as ruas grupos armados de bisnagas de flandre, de cerca de 50 centímetros de comprimento e de 5 de diâmetro, cheias de água, cujos jactos não respeitavam sexo nem posições sociais.
“(…)’Assaltavam-se’ casas amigas, que se defendiam do melhor modo possível, com bisnagas também, com baldes e caneco d’água etc.
“(…)Não raro se viam nas ruas tinas com água, em que se mergulhavam implacavelmente todos os que por ali passassem, fossem quem fossem
”.
Com base nos relatos de Irineu Pinheiro e Paulo Elpídio, o costume de banhar-se nas ruas deixou de fazer parte do entrudo, ao que parece, já no final do século XIX. Permaneceram as bisnagas, chamadas de laranjinhas, “feitas de cera colorida ao derreter com anilina de cores variadas”(1), e, quando os ânimos estavam exaltados, canecos, potes e jarras.
Alcancei, na infância, o objeto que deu continuidade a essa tradição, a que chamávamos de xeringador (ou seria cherigandor?), uma bisnaga de plástico para espargir água. A intenção da brincadeira era a mesma dos velhos tempos: travar batalhas com outras pessoas, visando molhar o oponente com o precioso líquido. A partir de certa época, passou-se a usar, além da água, o colorau e a farinha de de trigo ou a maisena, para atacar o adversário, numa prática que hoje chamam de mela-mela.
O uso de lança-perfumes foi introduzido no Cariri em 1912, vendido pelo farmacêutico José Gonçalves Rolim(2). Até hoje, o lança-perfumes continua sendo usado, apesar de ser uma contravenção.
O disfarce, característica dos bailes carnavalesco, era utilizado no entrudo. Usava-se uma espécie de máscara, geralmente feita de couro. O mascarado era chamado de careta, que falava em falsete e aterrorizava a criançada mais ingênua, manejando um chicote de couro cru.
A elite cratense promovia bailes, realizados nas casas de família e promovida por clubes sociais, nos quais só os homens participavam. Irineu Pinheiro fala de um clube chamado Água e Cera no qual, “aos pares, de braços dados, cantavam a plenos pulmões, ao som da música Zé Pereira, tocado por uma orquestra composta de uma rabeca, uma flauta, um bombardino, um trombone e um clarinete”.
Em 1909, o Correio do Cariri, citado por Irineu Pinheiro, publicou nota sobre o carnaval cratense, destacando o Clube Água e Cera, registrando “ter ele exibido um belo carro alegórico em que se via a figura da República empunhando o estandarte brasileiro tremulante ao vento”(3) .
A evolução do carnaval do Crato trouxe inovações década a década. Em 1910, foi registrada pela primeira vez a presença de cortejos carnavalescos nas páginas do Correio do Cariri. Nos anos de 1935 e 1936, o carnaval foi pura animação, com destaque para os cordões, que desfilavam pelas ruas com destino aos bailes promovidos no Crato Clube. Em 1942, arrefeceram os cortejos, e o divertimento se restringiu aos salões dos dois clubes locais: o citado Crato Clube e a Associação dos Empregados no Comércio do Crato. Um ano depois, elegeram e coroaram rainhas, em evento bastante aplaudido(4).
______
1. MENEZES, Paulo Elpídio. O CRATO DO MEU TEMPO, p. 29.
2. O Cariri, p. 197.
3. Op. citado, p. 196.
4. Idem ibidem, p. 197.

Se ligue! – Demutran vai anistiar multas em Crato !

Demutran informa que está em vigor a lei nº. 2.463/2007
DEMUTRAN vai anistiar multas em Crato
10/01/2008

O Departamento Municipal de Trânsito do Crato – DEMUTRAN informa que já está em vigor a lei nº. 2.463/2007 que concede a anistia de multas no âmbito do Demutran Crato para os condutores de veículos no período de janeiro de 2003 a 31 de novembro de 2007. Não poderão ser considerados os créditos inscritos na dívida ativa do Demutran que tenham sido pagos até a data em vigor da lei.

O diretor-geral do órgão Luiz Joatan de Souza avisa que os proprietários de veículos já podem ir ao Demutran para preencher o requerimento solicitando a anistia das multas. Não há burocracia e o atendimento será rápido.

É bom lembrar que as pessoas que tiverem veículos apreendidos devem se dirigir ao Demutran pagar o licenciamento e seguro obrigatório, colocar equipamentos obrigatórios do veículo e retirá-lo do depósito.

Fonte: Website oficial da PMC

.

Sábado tem JAZZ no Maria Café – Em Crato


Convidamos a todos para um delicioso happy hour ao som do melhor do

Jazz. Neste sábado (19/01) – A partir das 18 horas. Esperamos por vocês!
.

Classificados: Vende-se um JEEP FORD WYLLIS – De colecionador.


JEEP FORD WYLLIS

Caros amigos do Blog, uma oferta que nos convida a uma viagem ao passado e às lembranças que daí provêm. Quem não se lembra do velho Jeep – aquele carro durão, feito para enfrentar estradas difíceis, esburacadas e cheias de atoleiros. Ao mesmo tempo, porém, um carro simpático e querido por todos, que marcou época, deixando muita saudade naquelas pessoas que tiveram algum contato com ele, mesmo que tenha sido apenas através de uma fotografia de revista.

Pois bem amigos, se você sentiu saudades ou acalenta o desejo de possuir um jeep Ford Wyllis, chegou o momento. Encontra-se à venda um Jeep Ford Wyllis, 1975, cor verde, motor original, com seis cilindros, em excelente estado de conservação, como pode ser observado na foto (ou fotos).

Para maiores informações entrar em contato como o nosso amigo Océlio (088.8814.0883).

Por: Dihelson Mendonça
OBS – Quem quiser participar dos Classificados, mesmo sendo membro do Blog deve dirigir à mim via e-mail o anúncio.
.

Foto do Dia e Previsão do Tempo – Apresentando o fotógrafo: Haoni Caiena


Acima: Foto da esquina do Colégio Diocesano, tirada da sacada do msmo por Haoni Caiena.


Fonte: Climatempo: www.climatempo.com.br
.

Notícias para a População: Assinada ordem de serviço para a construção das 3 primeiras praças.

E agora, as notícias sobre a administração da cidade:

Prefeito assinou ordem para construção das 3 primeiras praças no final de semana passado:

O prefeito do Crato Samuel Araripe neste último final de semana assinou três ordens de serviços para a construção de praças no Conjunto Vitória Nossa, no Lameiro e no Baixio das Palmeiras.

Na sexta-feira o prefeito esteve no Conjunto Vitória Nossa onde assinou a ordem de serviço para uma praça que será construída em 150 dias, com espaço para lazer, uma quadra esportiva, ficando ao lado da capela da comunidade. No Lameiro a praça ficará ao lado da Igreja de São José.

Na próxima quinta-feira, 17/01, o prefeito assinará a ordem de serviço para construir ma praça no distrito da Bela Vista. Ao todo serão 16 praças a serem construídas em 2008.


Prefeitura do Crato vai reformar 20 escolas

O prefeito do Crato Samuel Araripe autorizou a Secretaria de Educação do Município trabalhar a recuperação das escolas municipais que necessitam de reparos. Nesta perspectiva a Secretaria de educação irá trabalhar a melhoria das escolas seja no aspecto físico e também a aquisição de novos equipamentos.
O Secretário de Educação Valentin Dantas acredita que com essas melhorias os alunos terão uma escola mais prazerosa e agradável para a atividade educativa. Pelo menos 20 prédios serão reformados nas mais variadas localidades do Município.

INFRA ESTRUTURA
Avenida Perimetral recebe novo asfaltamento

Foi iniciado em Crato, na última sexta-feira, o trabalho de pavimentação asfáltica da Avenida Perimetral Dom Francisco, em Crato. Segundo o secretário de Infra-Estrutura do Município, Jefferson Felício Júnior, serão 36 mil metros quadrados de asfaltamento, seguindo até o final da avenida Duque de Caxias, nas proximidades do Museu Histórico do Crato.
Conforme o Secretário, a meta é concluir os trabalhos até o final do mês, caso não haja impedimento por conta das chuvas. A melhoria do asfalto da Avenida Perimetral faz parte das ações da Prefeitura Municipal para a melhoria da malha viária da cidade.

Fonte: Website oficial da PMC.

OBS – As notícias sobre a adminstração do município são divulgadas no Blog do Crato como informação geral à população. São pegas no website oficial da prefeitura, e sem dia certo nem hora pra divulgar. As notícias são escolhidas por mim pelo grau de importância que possuem para a população do Crato. O Blog do Crato entende que como veículo de informação maior da cidade na internet, deve se constituir num ELO entre a população e a administração, qualquer que seja ela, e é dever de todo cidadão saber do que anda fazendo aqueles em quem depositaram sua confiança nas últimas eleições. Portanto, participem, cobrem, reivindiquem os compromissos de campanha. Este espaço aqui serve pra isso, não apenas para divulgar um lado da história!

Por: Dihelson Mendonça
.

Hoje no DN – Fim dos agentes rurais preocupa produtores

Clique para Ampliar

Na zona rural do Cariri, os pequenos produtores iniciam plantio e apontam possíveis prejuízos, caso não tenham mais a assistência técnica dos agentes rurais no manejo do solo e criação de animais (Foto: Elizângela Santos)

Clique para Ampliar

Comunidades ribeirinhas do Jaguaribe, em Limoeiro do Norte, enfrentam riscos com as chuvas (Foto: Melquíades Júnior)

A criação de uma cooperativa é uma das alternativas para o fim das bolsas dos agentes rurais no Interior

Juazeiro do Norte. A preocupação no campo aumenta com a saída gradativa dos agentes rurais, principalmente na região do Cariri, onde atuam 156 desses profissionais. Produtores rurais começam a se mobilizar e solicitam urgência do Estado para solucionar o problema. Com o fim dos contratos de três anos da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), os agentes deixam de receber o salário de R$ 900,00. Até o fim de março 70% deles deixam de atuar. Os agentes rurais foram contratados pelo Estado por meio de um processo de seleção. Uma das alternativas apresentadas durante os encontros que estão sendo promovidos com os agentes em várias cidades do Estado é a realização de concurso para efetivação de pessoal.

Produtores dizem que estão se sentindo prejudicados, por estarem sendo acompanhados pelos trabalhos dos agentes que já têm um conhecimento mais aprofundado de culturas específicas. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Crato, José Hildo Silva, já se sente um reflexo em relação a saída desses profissionais. “Eles, na verdade cobrem uma lacuna onde o técnico não chega. São pessoas treinadas e que estão dando conta do recado. São essenciais para o agricultor”, diz. No caso de inserção em custeio agrícola ou como pronafianos (Pronaf), segundo o dirigente sindical, são os agentes que elaboram o perfil dos produtores.

Conforme Hildo, a preocupação é grande e torna-se necessária uma solução para o problema, já que o momento é um dos mais propícios para a agricultura na região. O presidente da Associação dos Agentes Rurais do Estado do Ceará (Aagrece), José Araújo de Oliveira, afirma que este é um momento difícil para o campo no Estado e alguns agricultores estão pensando em entrar coletivamente na justiça por estarem se sentindo prejudicados. Ele cita alguns do município de Nova Olinda.

Mais de 100 agentes estiveram reunidos durante esta semana no Crato, para discutir a questão com técnicos da Ematerce, o deputado estadual Hermínio Rezende, o diretor administrativo e financeiro da Ematerce, Eduardo Aragão de Albuquerque e técnicos da região, além de alguns produtores. Eles deram depoimentos do trabalho desenvolvido pelos agentes em suas propriedades e a preocupação e os possíveis prejuízos para o campo com a saída dos agentes rurais.

Fora do campo

A situação é de urgência, conforme José Araújo de Oliveira. No Ceará já são cerca de 130 agentes fora do campo e isso significa prejuízo para o Estado. Só em dezembro, segundo ele, saíram 48 agentes. Ele destaca o Cariri com uma das regiões que exigem urgência no trato com essa situação por se configurar nesse período a quadra invernosa. Ressalta que, atualmente, com a saída de agentes, um dos setores mais prejudicados tem sido o da fruticultura, além dos plantios com oleaginosas como a mamona e girassol e o setor agropecuário. Na região se destaca a ovinocaprinocultura.

A rotina de trabalho dos agentes rurais é de oito horas ou mais. Os próprios agentes deram depoimentos da situação em que se encontram. Muitos dos que participaram da reunião estão sem perspectiva de trabalho e não terão encargos trabalhistas para receber. José Araújo destaca uma das medidas imediatas pensadas para uma contratação urgente: a criação de uma cooperativa. Outros municípios, por meio da Secretaria de Agricultura, estão tomando a iniciativa de contratar o agente rural que vinha dando assistência aos agricultores de suas respectivas áreas. Outra grande preocupação diz respeito aos financiamentos no campo, por conta dos possíveis prejuízos dos produtores desassistidos.

A diretoria da Ematerce destacou a preocupação maior com o homem do campo. Segundo o diretor Eduardo Aragão, 36 agentes foram enviados para a Funcap para serem contratados, sendo seis deles master. “O trabalho de vocês é importantíssimo e é por isso que estamos aqui”, disse diante dos apelos dos agentes.

Elizângela Santos
Repórter
– www.diariodonordeste.com.br

.

A INGERÊNCIA POLÍTICA COMO CAUSADORA DA POLUIÇÃO SONORA. Por: Mário Correia

CONTRA PONTO - Janeiro de 2008. ARTIGO

A INGERÊNCIA POLÍTICA COMO CAUSADORA DA POLUIÇÃO SONORA.

O Consumidor, como deverá agir nestes casos?

Para esta intromissão política, o Consumidor deve ficar alerta, exatamente nesta época festiva de início de ano, principalmente no carnaval. Como também, por se tratar de ano eleitoral. Não deixará de haver oportunidade para o mau político se aproveitar de pequenas festas com a finalidade de patrocínio. Quando de fato, quer “aparecer”. É exatamente onde reside o grande desrespeito aos Ordenamentos Jurídicos do nosso País, no que se refere à Poluição Sonora e infração à Lei Eleitoral. Portanto, o mau Político, acha que está agradando a população, mas, na realidade, está cometendo infração e levando consigo a Autoridade Pública a uma atitude ilegal e comprometedora de sua imagem perante a sociedade e as autoridades constituídas. Esta Autoridade Pública deu um jeitinho à brasileira, para a realização do evento.

-Primeiro: O Consumidor terá uma certa dificuldade, pois os infratores baixam o som com a presença da polícia e a grande maioria dos prejudicados não quer testemunhar, temendo represálias por parte dos infratores. Contudo, com um gravador sensível e uma câmera fotográfica fará o flagrante.

-Segundo: Fazer um levantamento minucioso para descobrir qual foi Autoridade Pública (Civil, Militar ou do Departamento de Trânsito) que autorizou o evento em local impróprio.

-Terceiro: O Consumidor fará uma Representação à autoridade Superior ou ao Ministério Público, como abuso de autoridade.

Pratica ABUSO DE AUTORIDADE, a autoridade pública Federal, Estadual ou Municipal, que autoriza proprietário comercial, seja este bar, restaurante ou similar a realizar evento de caráter comercial, interesse individual ou que não esteja albergado na Lei, em detrimento de toda a coletividade da circunvizinhança, área esta de alta densidade residencial e escolar, com o fechamento de Rua e emissão de sinais sonoros, em desrespeito a Lei. A Lei 9.636/98, em seu artigo 22, em que permite apenas a utilização de bens da União (Ruas), para a realização somente de eventos de curta duração de natureza recreativa, esportiva, cultural, religiosa ou educacional. Fora destes casos estará aautoridade infringindo a Lei das Contravenções Penais (Decreto-Lei 3.688/41) em seu artigo 42, inciso III – “Perturbar alguém, o trabalho ou sossego alheios” – “abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos”;

Para a Lei 6.657/79, autoridade é todo aquele que exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza civil ou militar, ainda que transitoriamente ou sem remuneração. Esta Lei, sujeita a autoridade à tríplice responsabilidade civil, administrativa e penal.

No caso de responsabilidade civil, o consumidor deve entrar com uma Ação Ordinária, perante a Justiça Comum Federal ou Estadual, conforme a autoridade que cometeu o abuso de autoridade.

Em se tratando de responsabilidade administrativa e a penal, o consumidor entrará com uma Representação à autoridade superior ou ao Ministério Público competente para a Ação Criminal (a autoridade cometeu um crime de desobediência à Lei), se for o caso.

E havendo dano a saúde do consumidor ou mesmo dano material, desvalorização de seu imóvel por mau uso da propriedade vizinha, deverá o consumidor entrar diretamente com uma Ação de Reparação de Danos Morais e Materiais contra o Órgão Federal, Estadual ou Municipal, exigindo reparação de tais danos, de acordo com o caso.

O Novo Código Civil, em seu artigo 186, é cristalino quando expressa: “Aquele que, por ação…, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”. “As penas por abuso de autoridade vão desde a advertência administrativa até a demissão”.

A autoridade, sabedora de seus deveres, e mesmo assim, autorizou ou não autorizou, e por omissão não impediu a realização do evento, que ato ilícito cometeu?

Cometeu crime de prevaricação. Prevaricação é a terminologia usada na Lei para definir o crime cometido por funcionário público, no caso citado como exemplo, Autoridade Pública, que não toma providências ou deixa de fazer aquilo que é seu dever e não o fez. talvez para atender ou apadrinhar solicitação de mau político. Encontramos o amparo legal no Código Penal em seu artigo 319 – Pena: de três meses a um ano de cadeia.

Em sendo esta autoridade da Polícia Civil ou Militar notifique a Corregedoria de Polícia do Estado. Os Órgãos Públicos são obrigados a fornecerem serviços adequados, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos. Nos casos de descumprimento, total ou parcial, das obrigações serão as pessoas jurídicas compelidas a cumpri-las e a reparar os danos causados, na forma do CDC.

Faça valer seus direitos, com dignidade, educação e nunca desista no primeiro revés. Procure as instâncias superiores de seu Estado.

Por: Mário Correia de Oliveira Júnior.

Presidente da Comissão de Meio Ambiente OAB-CRATO.

Perfil:

Economiário, Professor, Corretor de Imóveis, Bacharel em Direito-URCA, Advogado Pós-Graduado em Direito Privado – UECE e Pós-Graduando em Docência do Ensino Superior-FLS/ Faculdade Leão Sampaio.

.

O PEQUÍ NOSSO DE CADA DIA!

Não é atoa que o cidadão natural de crato é também conhecido por “Pequizeiro”. O município de Crato é de longe o maior a maior produtor da região do Cariri com 1.684, toneladas, segundo consta em informação colhida pelo jornalista Antonio Vicelmo. O Município do Cariri como um todo, produz nada mais nada menos do que 2, 3 milhões de toneladas. O melhor de tudo, é que por capricho da natureza, o Pequí não tem sua safra regular, ou seja, ela principia pelos terrenos arenosos do Sítio São José, em seguida dar-se notícias dos Pequís do Cruzeiro nas proximidades do Destrito de Sta Fé em Crato, passando para a Serra do Araripe, Barreiro Grande e acredita-se, que finda lá pelo município de Jardim, numa localidade conhecida por Barreiro Novo, onde acontece uma festa de despedida da safra. Assim sendo, é muita genorosidade desta mãe natureza, não? Eu que não sou besta, congelo em torno de mil Pequís, então tenho Pequí o ano todo! Sou o pequizeiro numero um, até que se prove em contrário, rs rs rs
Veja um ensaio sobre o tema em fotografias…






Alguma dicas:
• Deve ser levado a boca para então ser “raspado” – cuidadosamente – com os dentes, até que a parte amarela comece a ficar esbranquiçada e parar antes que os espinhos possam ser vistos.
• Jamais atire os caroços ao chão: eles secam rápido e os espinhos podem se soltar.
• A castanha existente dentro do caroço é muito saborosa; para comê-la, basta deixar os caroços secarem por uns dois dias e depois torrá-los.
• Importante: sob quaisquer circunstância, jamais morda o caroço.
• Com Baião de Dois ou a lá Pequizada, é tentação, é tradição!
• Segundo fontes extra-oficiais, o verdinho é muito afrodisíaco!!!

Bendito és o fruto que és,
Aonde a pé se vai aos pés,
Quando ainda a flor bela nas alturas,
Em romarias as abelhas vão…
Quando se quer dar,
Quedas ao chão,
E aí, vão os homens em procissão!

Fotos: Pachelly Jamacaru
Direitos reservados.

Hoje no DN – Transposição do Rio São Francisco – Por Antonio Vicelmo

Clique para Ampliar

Canteiro de obras do eixo norte da transposição do Rio São Francisco, em Cabrobó (PE). A meta é retomar o ritmo das obras para evitar possível atraso (Foto: Antônio Vicelmo)

O Exército mobilizou 190 homens, 150 militares e 40 civis, que trabalham de segunda a sábado, nas obras em Cabrobó

Cabrobó. O canal de transposição das águas do São Francisco está a caminho do Ceará, rasgando as entranhas da terra seca do sertão, passando por cima de preconceitos, indiferenças, cumprindo o destino do “Velho Chico” como rio da integração nacional e, sobretudo, alimentando a esperança de 12 milhões de nordestinos que sentem a falta da mais elementar de todas as necessidades humanas: água para beber. O milagre da transformação é observado a poucos metros do rio. De um lado, a caatinga cinzenta, o mato estorricado pelo Sol, o retrato em preto e branco da seca que assola o Nordeste.

Nas margens do rio, os projetos de irrigação, tingindo de verde, símbolo da esperança, a terra vermelha do agreste pernambucano. Na sua lenta caminhada, o canal fortalece o sonho de irrigar o semi-árido.

Estes contrastes naturais de riqueza e pobreza, alegria e desolação, se juntam ao desejo secular dos nordestinos de estender o braço amigo do São Francisco por este sertão afora, num abraço fraterno. É dentro dessa concepção que foram retomadas as obras no São Francisco, após o fim do recesso do 2º Batalhão de Construção e Engenharia do Exército.

A greve de fome do bispo de Barra (Ba), dom Luiz Flávio Cappio, contra a execução do projeto, a reação de alguns setores da sociedade, a oposição de políticos, a ocupação da área e as inúmeras ações judiciais não atrasaram o cronograma da obra.

O capitão Jair, comandante do Destacamento do 2º Batalhão de Engenharia do Exército e responsável pela execução da primeira etapa do projeto, garante que, no fim do ano, o canal de aproximação e, também, a barragem de Tucutu, localizados no município de Cabrobó, estarão concluídos.

De acordo com o Capitão Jair, o Exército mobilizou 190 homens (150 militares e 40 civis), que trabalham de segunda a sábado, no canteiro de obras, uma extensão de dois quilômetros, que corresponde ao tamanho do canal. Estão sendo acionadas 11 escavadeiras, 25 caçambas, quatro motoniveladoras, nove caminhões-pipas, três perfuratrizes e oito tratores.

O canal de aproximação terá 2.080 metros de extensão e a barragem de Tucutu ocupara uma área de 1.790 metros, cerca de 360 hectares. “Toda a área será inundada”, afirma o tenente Macena, acrescentando que a barragem vai fazer a distribuição de água para as bacias hidrográficas.

O tenente Uémerson, que acompanha a obra, diz que, para erguer o canal serão necessários o rebaixamento do lençol, escavações em solo e em rocha e o revestimento de talude (uma espécie de rampa inclinada) do canal em rocha.

Para a conclusão da barragem de Tucutu, o trabalho do Exército terá como foco a limpeza do reservatório, cujo tamanho corresponde a 489 campos de futebol, e as construções do maciço da barragem e da tomada d’água.

Nesta semana foram iniciadas as explosões para a retirada das pedras do leito do canal. Para isso está sendo usada, ao invés de dinamites, uma emulsão de nitrato de amônia, uma reação química de oxidação causada por conta do oxigênio do ar. O fenômeno ocorre em baixas velocidades e tem como exemplo a queima de um pedaço de carvão.

O capitão Jair explica que a presença das pedras já estava prevista no projeto. “Não vai, portanto, atrasar o prazo de conclusão da obra”.

Outro detalhe curioso é o surgimento de água ao longo do canal, com menos de três metros de profundidade. Mas o líquido é muito salgado. Quando seca, aparece uma crosta de sal na superfície.

Protestos

Nas ruas de algumas cidades da Bahia e Alagoas circulam veículos com adesivos, criticando o projeto de transposição. Os que são contrários apontam que, além de não resolver os problemas a que se propõe a transposição, ainda criam outros em várias esferas.

Argumentam que “o desvio de um rio degradado, a construção de barragens para controlar sua vazão, a supressão de mata nativa, a mudança no regime de cheias do rio, prejudicam a fauna”.

Porém, o capitão Jair explica que o projeto da transposição vem sendo acompanhado por um arqueólogo, um biólogo e um engenheiro florestal.

Indiferentes às discussões ideológicas e ambientais, os moradores ribeirinhos estão solidários com os seus irmãos nordestinos que serão beneficiados com o projeto.

O motorista Pedro Landim diz que “a coisa pior que tem é a falta d’água”. “Nós temos um mar a nossa disposição. Então, por que negar um pouco d’água para nossos irmãos que estão sofrendo”?, indaga. O agricultor Antônio Humberto Cavalcante também afirmam que, se depender dele a água “matará a sede do povo”.

SAIBA MAIS

Objetivo

O Projeto de Integração do rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional é um empreendimento do governo federal, sob a responsabilidade do Ministério da Integração Nacional, destinado à assegurar a oferta de água, em 2025, a cerca de 12 milhões de habitantes de pequenas, médias e grandes cidades da região semi-árida dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

Captação

A integração será possível com a retirada contínua de 26,4 m³/s de água, 1,4% da vazão garantida pela barragem de Sobradinho (1.850 m³/s) no trecho do rio onde se dará a captação. Este montante será destinado ao consumo da população urbana de 390 municípios dos quatro estados do Nordeste Setentrional.

Mais informações:
2º Batalhão de Engenharia do Exército
(86) 3221.4292
Prefeitura de Cabrobó (PE)
(87) 3875.1632

Antônio Vicelmo
Repórter

RECURSOS HÍDRICOS

Projeto é considerado prioridade

Cabrobó. O projeto de transposição das águas do rio São Francisco consiste na transferência de águas do rio para abastecer pequenos rios e açudes da região Nordeste que possuem um déficit hídrico durante o período de estiagem. As obras, de acordo com o Ministério da Integração Nacional, são prioritárias para o governo no setor de infra-estrutura.

A transposição do rio São Francisco é uma discussão antiga no governo federal. O projeto foi concebido inicialmente em 1985, ainda no âmbito do extinto Departamento Nacional de Obras e Saneamento (DNOS). Em 1999, foi transferido para o Ministério da Integração Nacional. Atualmente, vários ministérios acompanham as ações, assim como o Comitê da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco – formado pela sociedade civil e pelas três esferas de governo.

Com o Projeto de Integração do rio São Francisco, os grandes açudes como Castanhão (CE), Armando Ribeiro Gonçalves (RN), Epitácio Pessoa (PB), Poço da Cruz (PE), entre outros do Nordeste Setentrional, passarão a oferecer uma maior garantia para o fornecimento de água aos diversos usos das populações. Nos Estados beneficiados com o projeto, vários sistemas de distribuição estão operando, encontram-se em obras ou estão em fase de estudos, com o objetivo de levar água destes reservatórios estratégicos para suprir cidades e perímetros de irrigação.

No Estado do Ceará, o sistema de reservatórios que abastece a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) — açudes Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião — já está interligado ao rio Jaguaribe por meio do Canal do Trabalhador (capacidade de 5 m³/s). Em função da necessidade de se levar mais água da Bacia do rio Jaguaribe para a RMF, o governo do Estado está construindo o Canal da Integração (capacidade de 22 m³/s), interligando o açude Castanhão às bacias do Banabuiú (maior afluente do rio Jaguaribe) e Metropolitanas.

No Estado do Rio Grande do Norte, o açude Armando Ribeiro Gonçalves é responsável pelo abastecimento de uma grande quantidade de municípios das bacias do Piranhas-Açu, Apodi e Ceará-Mirim por meio de quatro grandes sistemas adutores que estão em operação: Adutora de Mossoró, Adutora Sertão Central / Cabugi, Adutora Serra de Santana, Adutora do Médio Oeste.

Encontra-se em fase de projeto, a Adutora do Alto Oeste que atenderá a maior parte dos municípios de abrangência da Bacia do Apodi, captando água no açude Santa Cruz.

Por: Antonio Vicelmo – www.diariodonordeste.com.br
.

Sofia aos dois meses de idade

O pospositivo sophía que compõe a palavra filosofia tem o significado de saber, ciência, sagacidade, habilidade manual. O primeiro significado, agora descobri, não é uma matéria do tempo. Ciência, sagacidade, habilidade manual são, massabernão. Este pelo que Sofia, aos doisidade, revela é o continente que regra os conteúdos no interior do cosmo. Desde a junção dos gametas que deram em Sofia, se encontravam duas sabedorias sobre o mundo. E Sofia as espalha entre nós. meses de

A primeira das duas sabedorias. Aos dois meses de idade Sofia se agita. Encolhe-se e se estica. Balança a cabeça, abre a boca, aproxima-se do corpo que a segura. Sofia franje o rosto, aperta os olhos e chora sem parar até que encontre o saber principal e universal a todos os seres vivos. E este saber é o de ser no mundo, estar no mundo e nele se ligar impreterivelmente. E porquetanto alerta com o conteúdo desta sabedoria? É que Sofia, como todos nós, é parte contínuanão descontínua da totalidade de todas as coisas. Ao contrário do que os sábios levam a crer emrazão do poder de abstração que os separa dos objetos de sabedoria. Na verdade a sabedoria de Sofia é o da nossa continuidade com as energias e massas do cosmo. Qualquer escassez nesta continuidade rompe com a sabedoria que Sofia nos revela. Sofia e

A continuidade de Sofia com o mundo é o ar que respira, a água que bebe, o leite que mama. Esteliame intocável é o que chamamos alimento e a falta dele, a terrível palavra fome. Sofia, aos doistal sabedoria em duas partes: a continuidade com o mundo e a descontinuidade da fome. E desta vem o choro de Sofia, o protesto sem parar até que algo oualguém venha em seu socorro. E se não vier, mesmo assim o grito da inanição se fotografa na cena da impiedade da sociedade geral humana que não chegou. meses, desdobrou

A segunda sabedoria. De um ponto qualquer, uma luz, um ventilador, uma pessoa e ela pára o olhar sobre tal. Ao lado, do outro, para cima, para baixo ou em frente o olhar de Sofia se dirige. Neste exercício dela com o conteúdo do cosmo, um brilho no olhar revela a intensidade daquele momento e daquele objeto. De alguém que tenta comunicar-se com ela. O olhar se aperta umpouco como em busca da apreensão do instante e toda a musculatura da face parece se abrir. Nisso, pelos cantos da boquinha desenhada como um coração de passarinho, começa ummovimento que ilumina Sofia com um riso para a vida. Um estado de plena satisfação, contentamento ou bem estar.

Sofia, aos dois meses de idade, sabe do grande destino da vida humana. A felicidade é o encontro, mesmo que temporário, entre a continuidade com o cosmo e a sensação plena do seu planisfério. Mesmo que as cotas do plano possam se elevar ou deprimir, a sensação de que se encontra em continuidade com o continente e o conteúdo do mundo é a fonte da felicidade. E este estado de sabedoria é tão importante que a maior nação do mundo moderno, os EUA, inscreverem seu objetivo na própria constituição. E Sofia compõe esta sensação em seu mundo.

PROFETAS DA CHUVA PREVÊEM BOM INVERNO EM 2008

Abaixo, matéria publicada no jornal O POVO desta 2ª feira, 14/01/2008


INVERNO TARDIO
Profetas da chuva prevêem inverno bom

Rita Célia Faheina, enviada a Quixadá

“Inverno” (quadra chuvosa) favorável este ano, com chuvas maiores entre os meses de março e abril. É a previsão dos 30 profetas populares da chuva que se reuniram no município de Quixadá. Eles usam a natureza para as previsões

]

Açude Cedro – Quixadá – No final do século XIX, entre 1886 a 1889 – período de grande seca – o imperador dom Pedro II ordenou a construção do primeiro reservatório de água do Ceará.

De mãos dadas, eles rezaram. Lourdinha, a única mulher do grupo, iniciava as orações: “Divino Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo de Vossa divina graça”. Depois rezaram o Pai Nosso e a Ave Maria. Olhando pro céu, sem nenhum indício de chuva, terminaram o momento de louvor com o sinal da cruz. Era hora de anunciar as profecias. E elas chegaram a um consenso: vai ter ‘inverno’ sim, embora tardio, lá pra março e abril. Mas vai ser melhor do que no ano passado. A previsão é dos profetas populares da chuva que fizeram o seu encontro anual em Quixadá, no Sertão Central.

No XII Encontro, último sábado, debaixo das árvores numa área bem pertinho do Cedro, o histórico açude que o imperador dom Pedro II mandou construir no fim do século XIX, o grupo de 30 profetas anunciou a boa nova: 2008, diferente dos anos terminados em 8, vai ter chuva suficiente para plantar e colher. A maioria está otimista com o que chamam de “inverno”. Na verdade, falam da quadra chuvosa que, historicamente, começa no próximo mês e vai até maio.

Diferente do ano passado, os profetas não contaram com a presença de meteorologistas da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), nem com a do professor Caio Lóssio Botelho, doutor em planejamento regional e geografia integral que estuda os fenômenos da região semi-árida.

O geógrafo enviou uma carta ao organizador do encontro, Helder Cortez, pedindo desculpas pela ausência, por motivo de viagem. Mas mandou a previsão por escrito concluindo que “o ano de 2008 será considerado um ano de chuvas”. Já a equipe da Funceme anuncia para o período de quarta-feira, 16, a sexta-feira próxima, um workshop, em Fortaleza, para fazer a avaliação da quadra chuvosa.

A novidade do encontro foi a presença dos novos profetas. Até crianças que estão aprendendo com os pais e avós a observar a natureza e fazer experiências em determinadas épocas do ano para prever a chuva. “É um prazer está no meio de vocês, profetas, pessoas que conhecem e fazem a previsão das chuvas. Estou aprendendo com meu avô os ensinamentos e também vou ser um profeta popular”, disse orgulhoso Renato Lino de Sousa Neto, 13, que acompanhou o avô Renato, 60, agricultor que aprendeu, também menino, a observar as árvores para fazer previsões.

Antônia Catarina Tavares da Silva, 12, está aprendendo com o pai Antônio Silva, no sertão do Custódio, em Quixadá, a observar os insetos e pássaros. “O inchu (colméia de forma globosa de abelha) quando enche de mel é sinal de chuva boa”. E o que pai e filha prevêem são açudes cheios com as precipitações que anuncia no período da segunda quinzena de fevereiro até a primeira quinzena de maio. “Até o Cedro (que está com 8,1% de sua capacidade de 126 milhões de metros cúbicos de água) vai pegar muita água”, diz Antônio e Catarina concorda.

O profeta Erasmo Barreira, de Cipó dos Anjos, a 50 quilômetros da sede de Quixadá fez uma homenagem ao pai José do Pino que completou 100 anos no último dia oito. “Foi ele que me ensinou a fazer as profecias do ‘inverno’ e, este ano, posso dizer com segurança depois de observar as plantas e o inchu, que vai ser bom, muito melhor do que no ano passado”.

Mesmo com a saúde abalada, a voz fraca, Chico Mariano, um dos mais antigos profetas populares de Quixadá foi ao encontro e apresentou seu sucessor: André Luis Rabelo Lopes, 18. “Nós vamos ter ‘inverno’. Este mês (janeiro) com pouca chuva, mas vai chover em março e abril. Dá pra criar legumes. Não é muita água, mas dá pra plantar e pra aumentar a água do Cedro (o açude)”. André se disse orgulhoso de ter sido escolhido como sucessor de Mariano, “que é um homem culto”.

Profetas de outros municípios como Luiz Gonzaga, de Camocim, que observa a circulação dos ventos, e Antônio Plácido Pinto, de Fortaleza, que estuda meteorologia há 20 anos, também foram ao encontro e anunciaram chuvas a partir de março. José Lázaro da Silva, de Jaguaruana, e Raimundo Marques, de Capistrano, também disseram que este será um ano com melhor quadra chuvosa do que em 2007.

E-MAIS

O segundo sábado do mesmo de janeiro é considerado o dia do profeta popular. Para fazer as previsões, ele se baseia em métodos de observação da natureza que aprenderam com seus antepassados. Há os que fazem previsões através do comportamento das formigas e abelhas, dizendo que se esses insetos começam a produção nos meses de agosto e setembro as chuvas já começam em janeiro.

Os profetas também observam a vegetação, a posição das estrelas, da lua, a cor do sol e das nuvens, a circulação dos ventos, além do comportamento e o canto dos pássaros. O encontro anual dos profetas da chuvas é promovido pela Câmara dos Diretores Lojistas de Quixadá e tem o apoio da Prefeitura de Quixadá.

O MUNDO DESORIENTADO QUE ESTAMOS CRIANDO E SEGUINDO


“Tudo passará, mas minhas palavras não passarão” – Jesus Cristo

Que mundo estamos criando, ou melhor ainda, que mundo desejamos construir? Tarefa difícil para qualquer um saber o rumo que estamos dando em nosso processo de criação humana. Estamos num grande e fantástico processo de inserção, adaptação e criação de uma realidade extremamente assombrosa. E na maioria do nosso tempo desocupado não nos damos conta o que de fato está acontecendo nessa realidade que se transforma, transmuta e se expande na direção de um imenso campo de possibilidades infinitas totalmente imprevisíveis e desconhecidas. Somos navegantes cósmicos em busca de um novo mundo de realização, evolução e conquistas. E nessa viagem perdemos o sentido, a orientação e o propósito do destino chamado vida. Os sinais dessa situação, de perda de consciência, podemos constatar com perplexidade quando se pergunta: qual é o propósito e sentido da vida? Poucos conseguem responder o enigma de estar consciente num mundo em construção e destruição – transformação dinâmica, cósmica e complexa! O ato de viver se torna um enigma, pois nada sabemos a respeito do que iremos encontrar lá na frente dessa viagem desconhecida. Sabemos aquilo que registramos num documento escrito por todos num processo coletivo de interpretação e codificação que denominamos de HISTÓRIA e CIÊNCIA. O passado é o tempo-espaço deixado para trás onde somente tomamos ciência do que foi feito, segundo a nossa ótica de viajante cósmico, mas não o que de fato foi ou é em si mesmo. Ser e fazer, paradoxalmente, se conectam e se desconectam no movimento super-dinâmico da grande obra-prima da vida criadora.

Somos e fazemos a vida num processo de construção ad infinitum. Lutamos, matamos, morremos, sofremos, amamos e fazemos coisas, objetos, artefatos de guerra, artefatos ideológicos, mecanismos sutis de dominação ideológica e psicológica etc. Acreditamos e desacreditamos, confiamos e desconfiamos, abrimos e fechamos nossos corações, enfim fazemos um mundo acontecer onde parte desse mundo controla e a outra parte é controlada. Exploramos e somos explorados por nossas convicções, ciências, filosofias, ideologias e religiões. Nada se mantém sustentável, tudo é provisório, efêmero e superficial. A essência se torna invisível num mundo onde a aparência é o foco ou centro de referência do que somos virtualmente e momentaneamente. A nossa identidade predominante é produto da nossa consciência comum como viajantes desorientados numa realidade que transcende a nossa capacidade de compreensão.

Partículas cósmicas nos atravessam, mas não vemos. Campos de energia nos envolvem, e nada sentimos. Mundos nos circundam e nada nos é perceptível. Deus nos aborda, e nada co-respondemos. Somos, portanto, uma gota de conhecimento tangível num oceano desconhecido intangível. O que é fundamento permanece e se eterniza como uma jóia preciosa que não perde – nunca1 – o seu brilho e valor, mas o que é circunstancial e temporal passa e morre na escuridão de sua desorientação ou entropia cósmica. É a lei da vida cósmica: somos criadores e devemos pagar um alto preço para a evolução de si mesmo! Por isso, não espere que lhe digam o que fazer – faça a sua evolução “aconte-Ser” aprendendo a escutar a si mesmo (intuição)!

Prof. Bernardo Melgaço da Silva
.

Pensamentos do Dia – Por Dihelson Mendonça

01 – “95% das pessoas que batem à sua porta é de gente que vem te pedir algum tipo de favor de graça, e na hora mais inoportuna. Neste mundo, dificilmente você irá ver alguém bater à sua porta que veio para te dar algo, sem pedir nada em troca.”

02 – “A impressora de computador é um treco que dificilmente se usa, mas no dia em que é realmente necessário usar para algo importante, ela estará quebrada.”

03 – “Diz-se que não se deve desligar computadores e outros aparelhos toda hora, ou ligá-los, pois isso causa desgaste nas peças. Ou se deixa ligado, ou se deixa desligado. Se vc passar o dia com seu computador ligado, ocioso, para poupar a vida útil dos compoenentes, irá gastar uma grana imensa em energia elétrica, e nada será realizado nele, mas na hora em que vc desligá-lo, surgirá algo que te obrigue a ligar todo o sistema novamente.”

04 – “Se o seu celular passar o dia sem tocar, ele irá tocar extamente quando vc estiver no banheiro, longe dele, fazendo suas necessidades fisiológicas. Se for atender, será de algo completamente inútil. Se não atender, era da única pessoa que você jamais poderia faltar! “

05 – “Nesta vida, só dê importância às críticas fortes das pessoas em que se vc precisar de um RIM, ela seja capaz de te doar. Aos outros, verifica primeiro se a crítica não passa de inveja ou ignorância !”

06 – “Um grande problema neste planeta, é que muita gente confunde amizade com troca de favores…”

07 – “Uma das melhores formas de ainda se viver neste mundo, é considerar que a maioria das coisas erradas que as pessoas fazem contigo, é fruto da ignorância, e não da maldade. Vive-se melhor, mesmo considerando que o mundo é um chiqueiro de imbecis à sua volta…”

08 – “Todos os livros de sabedoria mostram os caminhos mais corretos para se viver bem. Mas não há um só livro escrito que te convença a por em prática esses ensinamentos no seu dia-a-dia.”

09 – “Os maiores conhecedores das religiões ensinam em detalhes todos os passos da morte, e convencem os fiéis de que morrendo “é que se vive para a vida eterna”. Mas mesmo assim, nem esses maiores conhecedores gostam da idéia de morrer. Todos a temem!”

10 – “Na verdade, a morte ainda é o caminho mais largo por onde passam rios de dinheiro dos que vivem da exploração do comércio da Fé. O temor da morte é o maior garimpo de todos, para quem sabe explorá-lo!”

11 – “Se todos esses pensamentos tivessem sido ditos por Ghandi, ou um filósofo, ou ainda por um grande escritor como Dale Carnegie, eles estariam escritos em ouro e preservados no museu como obras-primas. Como foi apenas um João-ninguém daqui do Crato quem os disse, tudo isso não terá a menor importância. rs rs rs … E eu ligo ?”

Autor: Dihelson Mendonça
.

Foto do Dia – Ladeira da Rua dos Cariris…

Clique na foto para ampliar!


Acima: Foto da ladeira da Rua dos Cariris. Na verdade, pode-se fazer um ensaio fotográfico apenas com as inúmeras ladeiras do Crato.

Bom Domingo para todos!

Foto: Dihelson Mendonça
.

SESC Crato – Aviso de Cancelamento de Shows.


Aviso de Cancelamento – Espetáculo A Pena e a Lei

O SESC Crato comunica à sua clientela que a temporada do espetáculo A Pena e A Lei (dias 12, 13, 19 e 20 de Janeiro de 2008), foi cancelada por tempo indeteterminado. O motivo do cancelamento foi o falecimento de um parente de um dos integrantes do elenco do espetáculo. O SESC Crato e a Cia. de Teatro Fazendo Arte, agradece, desde já, a compreensão de todos.

Divulgação – SESC – Crato.
.

Notícias da Semana no Cariri – Coluna Tarso Araújo – Jornal "O Povo".


CIDADES - O Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria das Cidades, realizará no dia 17 de janeiro de 2008, 8 horas, na Rádio Educadora do Cariri em Crato, a apresentação dos aspectos sócio-ambientais do Programa Cidades do Ceará para a população dos municípios de Barbalha (foto), Caririaçu, Crato, Farias Brito, Jardim, Juazeiro do Norte, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri.(Foto: EDIMAR SOARES)

CIDADES – O Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria das Cidades, realizará no dia 17 de janeiro de 2008, 8 horas, na Rádio Educadora do Cariri em Crato, a apresentação dos aspectos sócio-ambientais do Programa Cidades do Ceará para a população dos municípios de Barbalha (foto), Caririaçu, Crato, Farias Brito, Jardim, Juazeiro do Norte, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri.(Foto: EDIMAR SOARES)

MELHORA, VERDÃO !

O time do Icasa para ficar ruim vai ter que melhorar muito. Espero que essa observação não seja vista como uma provocação aos dirigentes do Verdão do Cariri. Mas, como um alerta para que se faça novas contratações que venham a melhorar a equipe na sua arrancada pelo título de campeão cearense. Nos dois primeiros jogos ficou claro para a torcida que faltam alguns ajustes e atletas para melhorar o time. No segundo jogo contra o Horizonte escapou de perder dentro de casa. As coisas têm de melhorar.

ANOTE: DE QUEM É A CULPA?
O Cariri ficou meio às cegas nos últimos dias. Isso graças ao fato de a região ter ficado sem acesso à rede mundial de computadores, ou seja, Internet. Foram dias sem poder acessar a e-mails e resolver problemas que só podem atualmente ser resolvidos via Internet. Na realidade estamos ficando prisioneiros dessa importante ferramenta de informação e comunicação. Entretanto, e por isso mesmo, não se justifica várias cidade do Cariri ficarem sem acesso à rede. A Telemar nada informa, nada explica, nenhuma notinha explicativa, pedido de desculpas, nada. Uma vergonha. As informações dadas pelos atendentes sobre o fato de algumas cidades ficarem sem acesso à Internet completamente desencontradas. Alguns chegaram a dizer que o usuário estava com problemas no computador. Ou seja, colocando a culpa na população, quando a própria empresa era responsável. Uma perguntinha: nesses casos, de quem é a culpa? A quem recorrer num momento desses, quem pagará pelos danos causados, os prejuízos?

LEÃO DO MERCADO
O outro representante do Cariri na primeirona cearense, o Guarani de Juazeiro surpreendeu o Fortaleza com um empate na casa do adversário. Uma tabela ingrata fez par ao Leão do mercado. Dois jogos iniciais, duas pedreiras. Icasa e depois Fortaleza fora de casa. Se não fosse a tendência de Daniel Frasson em jogar retrancado poderia ter vencido o tricolor de aço.

VÁRZEA ALEGRE
A Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult) realiza em Várzea Alegre, no próximo dia 16, dentro do projeto Janeiro da Música, de 15h às 17h, na Escola Presidente Castelo Branco, os Diálogos Musicais, com o grupo Tambores de Guaramiranga. Já no dia 17, a partir de 19h, no mesmo local, apresentação dos alunos da oficina de Percussão, que aconteceu de 15 a 17 para alunos de escolas públicas, seguida de Concerto Didático com o grupo Tambores de Guaramiranga e coletivos locais.

OPERAÇÃO CARNAVAL
Importantíssima a ação da Polícia Militar na realização da Operação Carnaval 2008. Em Crato, por exemplo, aconteceu reunião n 5ª Companhia, comandada pelo major Santos para a discussão da segurança dos foliões na terra de Bárbara de Alencar. Na sexta-feira, dia 1º, o Carnaval no Cariri começa com o tradicional desfile das Virgens do Crato, quando os marmanjos resolvem vestir roupas femininas. Uma tradição que já ultrapassa duas décadas. Para isso, é preciso que a segurança seja garantida.

INDÚSTRIA DA MULTA
Há uma repressão exagerada do Detran e a CPRv contra os motoristas e motociclistas no Cariri. Digo isso porque não vemos na região nenhum tipo de campanha educativa para o trânsito. A preocupação é só parar veículos e multar. Uma verdadeira indústria de multas se instalou em nosso Cariri. Já no Detran, localizado na avenida Padre Cícero, é comum um usuário do Detran ficar horas aguardando atendimento e, quando é atendido, recebe informações pela metade. Um desrespeito aos cidadãos caririenses é praticado diariamente pelo Detran em Juazeiro do Norte. É o que dá nomear políticos para cargos onde deveria ter técnicos.

AUSÊNCIA SENTIDA
Na sexta-feira, 4, ocorreu um debate na TV Verde Vale com os prefeitos dos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. A idéia do jornalista Ronaldo Costa, apresentador do programa, era discutir as políticas de integração regional. Pois bem participaram os prefeito Rommel Feijó (Barbalha) e Samuel Araripe (Crato). A ausência do prefeito de Juazeiro Raimundo Macedo foi sentida. O mediador do debate, Vasques Landim, lamentou a ausência do representante de Juazeiro que perdeu a chance de falar de sua gestão.

A GREVE CONTINUA
Mais um episódio quente na greve da Urca. Após dar por encerrada a assembléia dos professores, os pró-reitores da universidade tomaram a palavra do presidente do Sindurca e fizeram uma assembléia só com eles e deliberaram o fim da greve. Das 85 pessoas que assinaram a lista de presença, apenas 25 concordaram e decretaram o fim da greve, de acordo com pedidos da reitoria. Os professores decidiram a continuidade do movimento e apresentaram, na última sexta-feira, uma pauta de reivindicações ao Governo do Estado do Ceará. A atual gestão da Urca está dividida entre fazer movimento e administrar a universidade. Entre ser oposição ou situação. Uma dilema que deve ser superado. A Urca é uma instituição regional que o Cariri precisa. Não pode se dar ao luxo de briguinhas por poder. Em tempo: ainda estamos aguardando divulgação de relatório da auditoria feita na Fundetec.

CAMINHADA CONTRA A VIOLÊNCIA
Acontecerá na próxima segunda-feira, 14, uma passeata contra a violência de gênero no Cariri. O evento começará com uma concentração às 8h30min na Praça São Vicente no centro do Crato. Em seguida uma passeata pelas principais ruas da cidade. O evento é uma promoção do Sindurca, Grunec, Casa Lilás, PSTU, PT, Conselho da Mulher do Crato e Conlutas. Na última quarta-feira, ocorreu uma reunião no pátio do curso de Pedagogia da Urca uma reunião com entidades e movimentos sociais que decidiram pela realização da passeata.

COMUNIDAADES EM DESTAQUE
A Central Única dos Movimentos Comunitários e entidades Associativas do Crato (Cemac) realizará amanhã uma reunião da diretoria da entidade. O objetivo da reunião é o de discutir a realização de uma conferência municipal do movimento comunitário do Crato. O evento vai debater as propostas da entidade para diversas áreas da cidade, como saúde, educação e meio ambiente. A Cemac vai realizar ainda em 2008 um grande encontro para discutir a Carta do Crato, documento que será entregue aos candidatos a prefeito com as propostas do movimento comunitário para a cidade.

NOVO DIRETOR
Luiz Joatam de Sousa é o novo diretor-geral do Demutran Crato. Ele assume o cargo no lugar do advogado Inaldo Bringel. Joatan é funcionário de carreira do órgão, é concursado e tem bastante experiência na área.

Por: Tarso Araújo – Radialista

.

Crato – Fotógrafa vive divas das telas de Hollywood – Telma Saraiva

Clique para Ampliar

Telma Saraiva: o cinema de Hollywood lhe influenciou na produção de imagens onde vive o glamour das divas (Foto: REPRODUÇÃO/ ANTÔNIO VICELMO)

No Interior do Ceará, uma fotógrafa registra suas imagens vivenciando divas como Vivian Leigh u Rossana Podestà

Crato. Marilyn Monroe e Telma Saraiva. Este é o título de uma Exposição de Fotopinturas, que será aberta, no próximo dia 25, em São Paulo, em homenagem a duas artistas que atuaram em palcos diferentes. Marilyn Monroe foi uma das mais famosas estrelas de cinema de todos os tempos, um símbolo de sensualidade e um ícone de popularidade no século XX.

Já Telma Rocha Saraiva nasceu no Crato, mas viveu, pela fotografia, todo o glamour das divas hollywoodianas. Ela é filha do fotógrafo Júlio Saraiva, proprietário do Foto Sorriso, primeiro laboratório fotográfico da cidade, e irmão do também fotógrafo e ator de teatro, Salviano Saraiva, que deu o seu nome ao Teatro Municipal do Crato. Cresceu dentro de um laboratório, sentindo o cheiro forte do hipossulfito de sódio, produto químico utilizado na revelação de fotografias, e o sabor incomensurável de documentar para a posteridade, imagens que seriam apagadas pela poeira do tempo.

Muito antes do surgimento das fotos coloridas, a artista plástica cratense já fazia fotos a cores no Cariri, um trabalho artesanal e artístico, que exige sensibilidade e paciência franciscana. É especialista em fotopintura, uma técnica, quase extinta, que fez muito sucesso na década de 40.

Telma é uma das mais conhecidas artistas plásticas do Ceará, com exposições no Brasil e no exterior. O seu acervo fotográfico, já em exposição no Centro Dragão do Mar de Cultura, em Fortaleza, participou recentemente de uma exposição de fotopinturas na Espanha, que durou quatro meses. Sua arte já saiu em seis revistas de circulação nacional.

Reclusa ao seu atelier, no Centro do Crato, Telma Saraiva está surpresa com o sucesso de suas fotos. Mais atônita ainda com a idéia de ficar ao lado de Marilyn Monroe, na exposição que será aberta em São Paulo. A princípio, ela relutou em aceitar a proposta. “Longe de mim a veleidade de me comparar a artista americana”.

Entretanto, diante da insistência dos amigos, como o alemão Titus Riedl, que tem sido o seu “empresário” em todas as exposições realizadas, Telma autorizou a exposição de seus auto-retratos vivenciando divas como Vivian Leigh, a famosa Scarlett O’Hara nas telas, ou Rossana Podestà, como Helena de Tróia, ou ainda Jane Frazee, namorada de Roy Rogers.

Reportagem de Hoje no caderno regional do Diário do Nordeste:
www.diariodonordeste.com.br

ANTÔNIO VICELMO
Repórter
.

Exposição no CCBN

A MORTE E O RENASCIMENTO DA ÉTICA – Por: Bernardo Melgaço


“O único tirano que aceito em minha vida é uma voz interior doce e suave”Gandhi

É muito triste ter que anunciar a morte da Ética. Ela morreu já faz muito tempo. Morreu rejeitada, caluniada, desrespeitada, humilhada e brutalmente perseguida. Ninguém acendeu uma vela para a sua alma esquecida. Ninguém rezou uma missa em sua intenção. Mas, é importante escutarmos a história da vida da Ética. A Ética nasceu da união entre o Rei-Senhor VERDADE e a Rainha-Senhora VIRTUDE numa morada da alma conhecida como ETHOS. Ela nasceu como fruto do AMOR verdadeiro. Ela possuía duas irmãs: Estética e Técnica. No início da vida da Ética as relações entre eles eram as melhores possíveis. Elas eram unidas no propósito e na verdade entre si. A Ética procurava fazer com que a sua irmã Estética fosse a mais bela perfeição da natureza, e em relação à irmã Técnica, a Ética procurava também colaborar no sentido de que a Técnica fosse um instrumento de perfeição da arte, da ciência e da religião em seus processos de criação e evolução.

É bom frisar que nessa relação familiar a Ética era uma nobre princesa. A Estética se esforçava arduamente para expressar os seus dons. Desse esforço nasceram belas pinturas, esculturas, arquiteturas e belos romances. A sensualidade, a sexualidade, a sutileza, as vaidades feminina e masculina foram realçadas e expostas como nunca. A Técnica inventava instrumentos poderosíssimos. E com muita sabedoria criou equações jamais imaginadas. Produziu imensas bibliotecas de conhecimentos racionais (técnicos!).

Eles viveram felizes por muito tempo, até que um dia como em qualquer história, começou o declínio da Ética – no seu momento de auge – pois o ciúme e a inveja ressuscitaram nas duas irmãs (Estética e a Técnica) do fundo da consciência escura e inconsciente de si mesma. Um imenso esforço de propaganda foi feito, no sentido de enaltecer as qualidades estéticas e técnicas e consequentemente diminuir ou reduzir o poder e as qualidades naturais da Ética. Uma vez tendo sido anulado ardilosamente o poder de encanto da Ética, o passo seguinte foi proliferar a verdade do poder técnico-estético. Nesse sentido, novos limites morais foram definidos filosoficamente na ausência da Ética, ou seja, os valores da Ética não foram mais observados. E assim tudo que não era permitido ou praticado pela Ética, tornou-se aceitável, inclusive, os valores mais mesquinhos (e podres) da natureza humana como a retórica, a obsessão pelo poder ideológico e a ganância acumulada que ganhou um novo nome e outra face “siliconizada”: “direito à riqueza e à propriedade exploradora do outro e da natureza”.

A Rainha-Senhora Virtude e o Rei-Senhor Verdade foram expulsos do castelo da Fraternidade. Tanto o castelo quanto a cidade receberam novos nomes: PROGRESSO e “ENFIM-CIÊNCIA” ou “EFI-CIÊNCIA”. As ideologias da Técnica e da Estética atualmente predominam no reino humano acelerado, consumista, doente e infeliz (porque sem a Ética tudo é triste, cruel, retórico, sem amor e, portanto, insensível e desumano (um retorno ao “estado de natureza instintiva”) e sem limites naturais. A Vida sem a presença da Ética se transformou num grande espaço diabólico “demo-crático socialistaxliberal” dominado pelas duas irmãs ambiciosas (Estética e a Técnica). E nesse espaço o homem “ideo-ego-lógico” vem construindo um mundo de crises e sofrimentos sem limites. Nada é verdadeiro em essência – apenas ilusão, divisão, conflito e sombra cavernosa! Pobres homens que lutam pelo poder mesquinho das ideologias sem ética – conquistam uma cadeira política importante mas perdem a alma e a conexão com tudo que é sagrado! Esses indivíduos fragmentados dentro de si acabarão destruindo a humanidade que existe na ética humana (espelho da ética verdadeira). Mas, num dia transcendente a ética (verdadeira) voltará a ser unida com a estética e a técnica nos homens e mulheres de bem. E nesse dia a divindade voltará a habitar entre os homens e mulheres da Terra. E aqui termina essa triste história da MORTE DA ÉTICA. Mas, existe uma esperança: a Ética ressuscitar nos corações amorosos. Então…QUE VIVA A ÉTICA! ÉTICA É VIDA-VOZ INTERIOR! E sem Ela tudo morre e nada floresce com amor e verdade interior.

Por: Prof. Bernardo Melgaço da Silva
.

Casar-se de novo – Por Arnaldo Jabor

Meus Amigos separados não cansam de perguntar como consegui ficar casado 30 anos com a mesma mulher. As mulheres sempre mais maldosas que os homens, não perguntam a minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo. Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo. Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário. Não sou um especialista do ramo, como todos sabem, mas dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue:

Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar. Ninguém agüenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade já estou em meu terceiro casamento – a única diferença é que casei três vezes com a mesma mulher. Minha esposa, se não me engano está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes que eu. O segredo do casamento não é a harmonia eterna. Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher.

O segredo no fundo é renovar o casamento e não procurar um casamento novo. Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal. De tempos em tempos, é preciso renovar a relação. De tempos em tempos é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, seduzir e ser seduzido. Há quanto tempo vocês não saem para dançar? Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial? Há quanto tempo não fazem uma lua-de-mel, sem os filhos eternamente brigando para ter a sua irrestrita atenção? Sem falar dos inúmeros quilos que se acrescentaram a você depois do casamento. Mulher e marido que se separam perdem 10 kg em um único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo?

Faça de conta que você está de caso novo. Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a freqüentar lugares novos e desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo, a maquiagem. Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.

Vamos ser honestos: ninguém agüenta a mesma mulher ou o mesmo marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas. Muitas vezes não é a sua esposa que está ficando chata e mofada, é você, são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração. Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo circuito de amigos. Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso. Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar. Isso obviamente custa caro e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento.

Mas se você se separar sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior. Não existe essa tal ‘estabilidade do casamento’ nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos. A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma ‘relação estável’, mas saber mudar junto. Todo cônjuge precisa evoluir estudar, aprimorar-se, interessasse por coisas que jamais teria pensado em fazer no inicio do casamento. Você faz isso constantemente no trabalho, porque não fazer na própria família?

È o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo.

Portanto descubra a nova mulher ou o novo homem que vive ao seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo interessante par. Tenho certeza que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças. Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso de vez em quando é necessário casar-se de novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par.

Texto de Arnaldo Jabor
.

Bissexto

Finalzinho de ano existe uma regra imutável e previsível para os próximos meses. Promessas de mudanças nos hábitos de vida ! Uns se comprometem a deixar o cigarro, outros encetam dietas rigorossíssimas, alguns afirmam como certo o começo do Cooper pela manhã. Ano novo ,vida nova ! Após o ribombar dos fogos do Reveillon, vêem-se todos assoberbados por tarefas não tão fáceis de cumprir e que geralmente começam a ficar menos regulares a partir do Carnaval e , o mais das vezes, não têm forças nas canelas para alcançar a Semana Santa.
No mês passado, Eufrázio, um contador de uma pequena loja de Secos & Molhados , nas comemorações do Natal da firma, firmou os pés nos seus propósitos. Os colegas de repartição comentaram depois que o nosso contabilista exagerou um pouco na dose de transformação. É que o nosso comerciário sempre fora um operário padrão, sério, compenetrado, desses que vivem eternamente para o trabalho. Possuía ainda uma pacata vida familiar, casado com Dona Nair Loreto, uma senhora temente a Deus e beata de carteirinha. Tinha dois filhos, já casados, que moravam ou sobreviviam para as bandas de São Paulo. Eufrázio não tinha vícios, vivia nos Encontros de Casais com Cristo e até estudava para formar-se diácono. Era preceptor dos Cursos de noivos na Igreja e um dos membros mais convictos da Ordem do Santíssimo. Já entrado nos sessenta, parece que ia plantando mais nas roças da vida eterna do que nos pomares terrestres. Pois bem, a transformação que ele realizou no último Reveillon , assim, pegou todos de surpresa. Quem lá diabos poderia imaginar uma reviravolta daquelas ? Sem qualquer explicação mais contundente, nas comemorações do Natal, um Eufrázio um pouco mais loquaz do que o habitual desejou os melhores votos para todos e vaticinou aquilo que parecia ser mais uma daquelas temporárias e fugazes promessas de fim de ano:
— Até o presente momento, meus amigos, não vivi, apenas trabalhei como um burro de carga para os outros. Até parece que vim à terra a trabalho e não a passeio. A partir de agora vou montar no alazão da minha vida e tomar as rédeas do meu destino !
Depois daquele dia, seguiu à risca a promessa natalina. Pediu demissão do emprego que o poria em pijama de aposentado nos próximos cinco anos. Largou a mulher, mudou de casa e de cidade. Soube-se depois que se transferira para Andaraí, na Chapada Diamantina, onde se unira a um rapazinho, design gráfico, e ali haviam instalado o Restaurante de Comida Natural: “Verde que te quero Ver-te”. Abandonou também as hostes católicas e agora freqüentava uma comunidade alternativa lá no “Vale do Capão” . O outrora sedentário Eufrázio agora trabalhava, nas horas vagas, como guia turístico, nas sinuosas trilhas do Vale do Sincorá. Ao invés da opa do Santíssimo envergava duas recentes e imensas tatuagens: um dragão vermelho e de unhas afiadíssimas nas costas e um carismático Fidel Castro no ombro esquerdo, além de um brinquinho discreto na orelha direita.
Alguns amigos ,que em viagem depois o visitaram, trouxeram a novidade de todas as imprevisíveis mudanças ocorridas no nosso contador. A cidade em peso o criticou e comentava que o homem tinha endoidado de vez, ninguém perdoava a sua coragem e, pior, todos abominavam a constatação de que os que o visitaram , liam uma incontestável felicidade nos seus olhos. A cidade impossibilitada, pela distância, de assassiná-lo em vida, resolveu encaminhar um abaixo assinado para Eufrázio, uma espécie de execração pública, condenando-o por sua atitude considerada irresponsável e vulgar. O contador respondeu com um pequeno bilhetinho que foi lido na Câmara de Vereadores.
— Infelizmente não posso fazê-los felizes. Cada um é o artífice da sua própria felicidade. Ninguém pode viver a vida pelo outro e nesta viagem a passagem é apenas de ida. Saiam do casulo das suas vidinhas estranguladas e vivam ! Quanto a mim as mudanças prometidas para este ano apenas começaram e lembrem : este ano, graças a Deus, é bissexto !

J. Flávio Vieira

POTOCAS. COM


Ditados do século 21

> A pressa é inimiga da conexão.

> Amigos, amigos, senhas à parte.

> Antes só que em chats aborrecidos.

> A arquivo dado não se olha o formato.
>
> Diga-me que chat freqüentas e te direi quem és.

> Para bom provedor uma senha basta.

> Não adianta chorar sobre arquivo deletado.

> Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse.
>
> Em terra off-line, quem tem um 486 é rei.

> Hacker que ladra, não morde.

> Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.

> Mouse sujo se limpa em casa.
>
> Melhor prevenir do que formatar.

> O barato sai caro. E lento.

> Quando a esmola é demais, o santo desconfia que tem
> vírus anexado.
>
> Quando um não quer, dois não teclam.

> Quem ama um 486, Pentium 5 lhe parece.

> Quem clica seus males multiplica.

> Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.
>
> Quem envia o que quer, recebe o que não quer.

> Quem não tem banda larga, caça com modem.

> Quem nunca errou, que aperte a primeira tecla.

> Quem semeia e-mails, colhe spams.
>
> Quem tem dedo vai a Roma.com .

> Um é pouco, dois é bom, três é chat ou lista
> virtual.

> Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.

Anúncio – Venda de uma câmera digital Olympus – Samuel Teles

Clique na foto para ampliar!
Ei, vc! É vc mesmo!

Eu não acredito que vc ainda não tem uma câmera digital.
Pois chegou a sua vez de adquirir uma pelo menor preço da internet.
Estou vendendo essa Olympus D-435, semi-nova, com todos os acessórios originais (veja foto abaixo):

http://www.olympusamericalatina.com/image/news/D435frontBack.jpg

Não perca tempo e adquira já essa câmera Olympus 5.1 megapixels

Por: Samuel Teles.

8803-1604
.

Parceiros do Blog do Crato – Empresas e pessoas que ajudam a divulgar a cidade e a tornar sonhos em Realidade !

Foto acima: “Boris”, músico e comerciante do “Empório dos Freios”.

Parceria. Esse é um termo sempre em moda, e muito importante. Principalmente quando se pretende montar um Portal para uma cidade, voltado para a divulgação das notícias, a cultura, a história e os valores de um povo. O Blog do Crato tem feito investimentos elevados em equipamentos para podermos manter toda essa estrutura funcionando e com ampliações que se farão notar em breve, como o nosso canal de TV, a TV Crato, o primeiro canal de webTV da região. Já estão sendo produzidos vários documentários para alimentar esse canal de TV, com programas semanais, videoclips, etc. Algumas reportagens já tem ido ao ar, e podem ser vistas na página da TVCrato, mas seguramente, o melhor ainda está por vir, quando inaugurarmos o nosso estúdio B, um estúdio completamente dedicado à produção audiovisual, com todo o aparato necessário: Câmeras, Tripés, Cenários, Iluminação… equipamentos que custam caro ao cidadão comum, e que só nos é possível adquirir mediante o auxílio de patrocinadores. [ Ao lado - Foto de Araújo da AraújoSAT ].

Com a TVCrato, esperamos produzir inúmeros documentários e a construção de um acervo audiovisual para o Museu da Imagem e do Som, e a preservação da memória da nossa era. Inúmeras personalidades de todas as áreas: Artísticas, Políticas, Históricas serão convidadas a ser entrevistadas, e sua vida e obra registradas em DVDcom a máxima qualidade. É um projeto ambicioso ?

Definitivamente, É.
Mas alguém tem que fazer. Já era pra ter sido feito.

Acima: Amilton da loja “Amilton Som”, proprietário da maior loja de CDs e DVDs do Cariri.

Alguém precisa registrar em vídeo o trabalho das pessoas da nossa geração. Com o ambiente apropriado do estúdio, e iluminação controlada, será possível realizarmos também shows e programas de auditório e portanto, valorizar o trabalho dos nossos artistas.

E para que isto tudo funcione na prática, é preciso investimentos, parcerias. Estamos começando uma grande campanha para conseguir parcerias para custeio das grandes despesas do investimento, ou pelo menos para a manutenção e ampliação do que temos realizado.

Cada parceiro do Blog do Crato, terá direito à sua própria Home-Page, seu endereço www, por um preço praticamente simbólico, pois toda a estrutura na web já está interligada. possuímos servidores ligados 24Hs que garantem a manutenção do nosso sistema e através de uma parceria com ARAÚJOSAT, estamos ampliando a conexão, além do tradicional acesso de 1 megabit atual.

Portanto, quero convidar mais empresas e pessoas que se interessarem por nosso projeto de patrocínio, para que nos procurem, e que possamos explicar em detalhes os benefícios de ser um patrocinador, um parceiro do Blog do Crato.

Acima: Dr. José Flávio Vieira, médico e escritor, atendendo no seu consultório em Crato.


Por: Dihelson Mendonça
.

Hoje no DN – Chuvas em 2008 – Não há consenso nos prognósticos dos profetas

Clique para Ampliar

Sinais da natureza são considerados pelos profetas populares. A floração do Flamboyant indica bom inverno para alguns (Foto: Alex Pimentel)

Clique para Ampliar

Francisco Eufrásio observa plantas nativas para fazer o prognóstico (Foto: Manoel Lima)

Clique para Ampliar

Francisco Souza considera os relâmpagos para prever pouca chuva (Foto: Manoel Lima)

Clique para Ampliar

Francisco Rodrigues confia na experiência com a posição da luz da vela

Quixadá. Encontrar nas estrelas, nos animais, pássaros, insetos, ou nas árvores, os sinais do ciclo de um dos mais importantes efeitos climatológicos da natureza para o homem do campo, o das chuvas, não é uma tarefa fácil. Uma observação mal feita pode abalar a reputação de qualquer um que se presta ao desafio de prever o tempo. A questão se torna ainda mais delicada quando a expectativa de milhares de lavradores se frustra diante de uma má perspectiva e de uma falsa previsão otimista.

Para quem aceitou esse desafio, há 11 anos, o tropeço diante de uma previsão errada não chegava a se transformar numa calamidade ou macular o nome de qualquer um desses profetas. A divulgação era tímida e despertava o interesse de poucos. Mas hoje em dia, diante da TV, de uma multidão de repórteres e dezenas de estudiosos, muitos confessam que na hora de anunciar meses de análises, dá um friozinho na barriga.

Mesmo assim, três protagonistas desse espetáculo popular que nos últimos anos ganhou considerável destaque e a estrutura de um festival, com direito a cantoria de viola nesta noite, mantém firmes suas previsões para a estação chuvosa a chegar. O agricultor Renato Lino, o dentista Paulo Costa e o aposentado Antônio Lima apresentarão prognósticos divergentes para o período.

O primeiro assegura que o inverno será fraco. Além de finas, as precipitações não se estendem de março a junho, como espera a maioria dos agricultores; o segundo apresenta um diagnóstico mais apurado. O dentista garante que o inverno chega cedo. Agora em janeiro vai cair chuva, em fevereiro também. No mês de março pode chover até duas vezes ao dia. Mas as boas chuvas serão curtas, provavelmente na segunda quinzena do terceiro mês do ano.

O último profeta, um dos mais assediados pela mídia, aponta que este ano os açudes vão acumular muita água. Segundo ele, quem plantar vai ter boa colheita.

Saber como esses homens descobrem esses segredos — e ainda se divertir com as tiradas dos que ousam se apresentar diante do público afirmando que se chover muito o inverno vai ser ótimo e se não cair um gota de água é porque vai ter seca braba, no mais bem humorado espírito nordestino — é uma atração imperdível na manhã deste sábado na atrativa “Terra dos Monólitos”.

O QUE ELES PENSAM

Previsões mostram-se diferenciadas

“Se a chuva vai ser pouca este ano, como afirmam a catingueira, o cumarú e o pau mocó, vamos insistir com o governo para abrir alguns poços e construir mais cisternas por aqui. É a única maneira de diminuir o sofrimento no fraco inverno que teremos”
Renato Lino
Agricultor

“O prazer de auxiliar o homem do sertão é tão gratificante quanto poder garantir que o inverno deste ano será bom. Herdei do meu pai o interesse em observar as estrelas, o movimento solar e outras metodologias que muitos consideram místicas, mas são eficazes”
Paulo Costa
Dentista

“Desde que me entendo por gente compartilho com os bichos, os insetos e as plantas a alegria da vida. Não será diferente poder anunciar para todos que este ano teremos um inverno arretado. Que me desculpem os pessimistas e cautelosos, mas a natureza não mente”
Antônio Lima
Aposentado

OBSERVAÇÃO POPULAR
Fenômenos indicam inverno irregular

Tejuçuoca. Inverno irregular, com chuvas isoladas e espaças. Estes foram alguns dos prognósticos apresentados ontem, na pequena cidade de Tejuçuoca, durante o V Encontro Anual dos Profetas Populares da Natureza e das Chuvas. No evento, realizado na Casa da Cultura, iniciativa da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, profetas populares apresentaram algumas observações de fenômenos da natureza que indicam a próxima estação invernosa. O evento reuniu também profetas das cidades de Apuiarés, Canindé, Quixadá e Itapajé. Também participaram do encontro agricultores e técnicos da Cagece e da Funceme.

Os profetas, em sua maioria, são agricultores do semi-árido nordestino que aprenderam a reconhecer se um ano vai ser de bom inverno ou não a partir da observação dos fenômenos naturais. Alguns acompanham o comportamento dos animais, bem como outros seres vivos, outros preferem observar a lua, o sol, a direção dos ventos ou o céu. O encontro dos profetas já integra o calendário anual de eventos de Tejuçuoca e tem como objetivo valorizar a cultura popular do semi-árido — com algumas manifestações não bem preservadas — e divulgar as pesquisas sobre o período invernoso do ano, segundo explica Elizeu Joca, coordenador do evento no município.

A maioria dos profetas deixou claro que suas avaliações são baseadas em observações da natureza e no comportamento dos seres vivos. O profeta Francisco Eufrásio Rodrigues, 53 anos, residente no Assentamento Choro, não perdeu a oportunidade para anunciar: “teremos um inverno irregular”. Segundo ele, quando o galho do mufumbo é cortado e inclinado para baixo, se o caule jorrar água em abundância é sinal de bom inverno. A experiência, que é realizada sempre nos meses de outubro e novembro, não apresentou bons resultados. “Fiz várias vezes e o galho só pingou na palma da minha mão”, conta, apostando nas previsões com base em outras observações feitas com o pôr-do-sol.

“Os relâmpagos que surgiram espaçadamente no início de setembro apontam para uma quadra invernosa irregular”, observa Francisco Souza Vaz, um dos profetas mais populares da região. No entanto, faz questão de dizer que aguardará a posição da lua cheia de janeiro para poder fazer uma avaliação mais precisa.

Manoel Lima
Colaborador

CRENÇA

Profeta aguarda dia de N. Sra. das Candeias

Tejuçuoca. Francisco Rodrigues Andrade, 82 anos, que mora na localidade Riacho das Pedras, zona rural do município de Tejuçuoca, se orgulha: “nunca errei nas minhas previsões”. Chico Anastácio ou “Mata Onça”, como é popularmente conhecido na região, enfrentou a primeira seca, aos sete anos de idade. Foi a seca de 1932. Também conheceu os horrores e efeitos das secas de 1958, 1980 e os três primeiros anos da década de 90. Considerado um dos profetas mais experientes da região, ele diz que prefere não fazer previsão antes do dia 2 de fevereiro, dia dedicado a Nossa Senhora das Candeias.

Com base nas experiências realizadas nos últimos três anos, ele diz observar a terra e a direção dos ventos e da luz de vela como pontos fundamentais para as suas previsões proféticas. Antes do sol nascer ele observa a temperatura da terra. “Não há segredo nisso. Se o solo, a uma profundidade de 30 centímetros, estiver gelado é sinal de seca; quente é inverno na certa”, mostra confiante. Em algumas experiências já realizadas nos primeiros dias de janeiro, mostra que a terra está morna, o que significa para ele “que o inverno será irregular”. No entanto, ele aposta na experiência da vela que será acesa na madrugada do próximo dia 2 de fevereiro. “ Se o fogo ficar para cima é seca; para o norte, inverno irregular; para o poente, sul, ou nascente, bom inverno”, acredita.

Diário do Nordeste – www.diariodonordeste.com.br
.

DUAS CRÔNICAS DE PEDRO ESMERALDO

Renovação de Valores

No início da década 1970, prevendo a escassez de líderes jovens, fiz uma crônica, lida na Rádio Educadora e publicada no Jornal A Ação. Alertava aos senhores políticos que instruíssem os jovens a ingressarem na política, pois o Crato merecia ter novos líderes com mentalidade progressista. Infelizmente, isso não ocorreu já que os homens políticos da época tinham medo de perder o comando da cidade do Crato.
Possuidor de vasto conhecimento dos problemas do Crato venho falar sobre as verdades dos fatos. A partir disso estabelecer os princípios éticos que devem nortear o seu desenvolvimento equilibrado e firme.
Queria formar forças propulsoras de um movimento de resistência em defesa desta cidade, embora com dificuldade, mas com coragem, lutarei, enaltecendo toda a camada cratense de boa vontade e de espírito jovem e partir para a guerra. Devem reagir com vigor e enfrentar barreiras, expulsando dos quadros políticos essa velharia arcaica e subserviente.
Certo dia conversando com o jornalista Nezim Patrício solicitava para que lutasse pela criação de uma bacia leiteira aqui no Crato, visto que esta cidade foi antigamente grande produtora de cana de açúcar, em tempos próximos passados.
Com os desenvolvimentos cultural e social, não havendo modernização na indústria rapadureira, Crato perdeu o ritmo do desenvolvimento econômico.
Por esta razão, Crato foi privado na economia, caindo, portanto o índice de emprego, não podendo acompanhar o desenrolar de várias atividades econômicas. Sempre com a economia ofuscada vive debatendo com dificuldade, pois não há interesse de qualificar os jovens em suas atividades.
Por isso, quero apelar para os jovens, mesmo a contra gosto, a ingressar na política, agora pra valer, afastando essas pessoas lenientes do quadrilátero político-social.
Creio que com muita luta e esperança, no Ano 2008, essa moldura será revestida e a juventude venha assumir com disposição o comando administrativo do Crato, deixando de lado costumes ultrapassados e obsoletos.

04/01/08

Prata de Casa

Quando o cidadão comum comparece as urnas no dia da eleição, ambiciona que candidatos façam jus aos seus anseios e contribuir com infra-estruturas tecnológicas a fim de melhorar a aparência de sua terra.
Numa cidade que se diz cultural, não se deixa intimidar pela falta de interação desses cidadãos e não tolerar privações de obras dignas que satisfaçam aos desejos do povo.
Não entendemos por que motivos o nosso alcaide, ou seja, o chefe desta cidade paralise as obras, iniciadas há meses. Consequentemente essas obras paradas impedem de seguir o nosso caminho de crescimento do progresso. Por essa razão, o Crato sai perdendo já que não acompanha o desenvolvimento ficando embaraçado, sem prumo, seguindo numa trajetória de desequilíbrio e de desenvolvimento aumentado. Há pressa em lutar, pois temos o desejo de usufruir com muita brevidade.
Desejamos que esses políticos tenham mais amor a terra. O que mais nos contraria é vermos os políticos desinteressados no assunto. Tentamos saber por qual motivo o nosso chefe do Poder Executivo não tolera, por falta de habilidade colocando uma assessoria incapacitada e não valoriza os filhos da terra para auxiliar no seu trabalho. Afirmamos que isto acontece há anos, pois políticos anteriores fizeram a mesma coisa.
Isto trás desavenças entre os filhos da terra, pois se julgam desmerecidos e subestimados. Queremos avisar que esta cidade, com cerca de 130 habitantes terá pessoas capacitadas para exercerem cargos de confiança. Será possível que vai permanecer sempre assim? Deixando desprestigiar os filhos daqui para valorizar pessoas de outras plagas que não sabem a onde fica nem a Ladeira do Tamanqueiro? Infelizmente, esses homens insensíveis, alheios os nossos problemas trazem desencantamento entre os habitantes. Para se ter uma idéia como esses homens são indiferentes ao trabalho sério, há deles que só pensam em fechar escolas em áreas densamente povoadas, ocasionando um atraso constante em pleno Século XXI.
Em decorrência desses fatos deselegantes, lançamos protesto e da mesma maneira fazemos apelos a esses políticos que tenham mais interesse pela nossa terrinha, e venham substituir com pressa esses homens incapacitados e indesejáveis pela população. Haja vista todos pesam em esvaziar Crato, não lutam, não trabalham, têm baixo desempenho acarretam o desequilíbrio moral e social.
É preciso mudar essa idéia torpe de valorizar os filhos de fora. Vamos contribuir com o nosso desenvolvimento dando valor todas as pessoas capacitadas desse Município.

10/01/08

pra quem estiver vindo

(clique na imagem pra ver melhor)

Hoje no DN – Seminário lembra 80 anos de morte de cangaceiros

Clique para Ampliar

Netas e o filho, Antônio Cassiano, de um dos cangaceiros mortos, Manoel Toalha (Foto: Elizângela Santos)

Clique para Ampliar

I grupo de pesquisadores visitou o Sítio Alto do Leitão, onde foram mortos os cangaceiros

O evento ainda debateu a idéia de que o município de Barbalha também está incluindo na história do cangaço

Barbalha. Os 80 anos dos fuzilados no Alto Leitão, neste município, insere o Cariri em mais um episódio marcante na história do cangaço, no sertão brasileiro. O Centro Pró-Memória de Barbalha Josafá Magalhães, com a finalidade não só de lembrar o período do sangrento acontecimento, mas divulgar a inserção do município de Barbalha no contexto do cangaço, está iniciando um trabalho com outras instituições, a exemplo da Universidade Regional do Cariri (Urca), Sebrae, Secretaria de Cultura, Fundação Cabras de Lampião e Museu do Cangaço de Serra Talhada e Sociedade Brasileira para Estudo do Cangaço, em Mossoró, e Instituto José Bernardino (IJB).

Estudiosos do assunto realizaram, no último dia 5, um seminário no intuito de debater o assunto e relembrar o episódio — durante o I Seminário sobre o tema, tendo à frente o Centro Pró-Memória — em que foram mortos os cangaceiros Miguel e Pedro Miranda, João Marcelino e Manoel Toalha, além do mais famoso deles, Lua Branca. Ainda hoje existem remanescentes dos mortos, a exemplo de Antônio Belo da Silva, seu Antônio Cassiano, que aos seis meses de idade perdeu o seu pai, Manoel Toalha. Seis meses depois sua mãe. Com mais de 80 anos, seu Antônio, acompanhado por suas netas e bisnetas, representam a memória viva de um momento que pode ser inserido no calendário turístico da região do Cariri.

Segundo o articulador do Sebrae no Cariri, Édio Callou, é de grande importância se trabalhar a vertente do cangaço nesse contexto, por haver um interesse nacional a respeito do assunto. “Os turistas que chegam na região perguntam se há algo no Cariri sobre o tema. Isso desperta uma atenção das pessoas”, diz. Ele ressalta a necessidade de formação de operadores de turismo também no resgate da história da presença indígena no Cariri, além de serem criados equipamentos voltados para esses momentos da história regional.

Uma visita foi realizada no último sábado, como parte da programação do seminário, no local onde morreram os cangaceiros. O sítio Alto do Leitão fica localizado há cerca de três quilômetros de Barbalha. Cerca de 20 pessoas estiveram no local da emboscada.

Os homens foram enganados. Segundo relata o médico e escritor barbalhense, Napoleão Tavares Neves, presidente de honra do Pró-Memória, o fato se passou na fria madrugada do dia 5 de janeiro de 1928.

Napoleão conta que Lua Branca, acompanhado de mais quatro companheiros foram retirados da Cadeia Pública de Barbalha, sem ordem judicial, a pretexto de serem levados para Fortaleza. “Foram sumariamente fuzilados pelo pelotão policial no Sítio Alto do Leitão, à margem da chamada ‘estrada de feira’, do Crato-Barbalha”, após cada um ser obrigado a cavar sua própria sepultura”, comenta o escrito.

Tavares ressalta as características reunidas de “queima de arquivo”, envolvendo um mesmo “caldo de coronelismo, política e cangaceiros”. Essa página da história coloca o município de Barbalha na saga do cangaço, conforme relata o médico, e transforma a cidade em um referencial. Os integrantes do grupo dos “Marcelinos”, como ficaram conhecidos, tinham um reconhecimento de Lampião. “Trata-se da primeira experiência de extermínio patrocinado pelo Estado aos movimentos de resistência à estrutura de poder coronelística e que se antecipa ao massacre do Caldeirão, no município de Crato, e do assassinato de Lampião em Angicos, no Estado de Sergipe”, explica.

Um dos aspectos ressaltados durante o debate pelos pesquisadores é que a intenção de resgatar a história desse momento sangrento não é fazer apologias à violência praticada e muito menos cultuar o cangaceirismo, mas dar ênfase ao contexto histórico e sociológico do Cariri. A intenção, com o avanço dos estudos sobre o assunto, é promover o tombamento do local onde se deu o fuzilamento, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como um dos lugares representativos da história do cangaço no Cariri.

O médico Magérbio Lucena, autor do livro “Lampião Estado Maior do Cangaço” e os escritos de Napoleão Tavares contam, em minúcias, durante o debate, situações relacionadas ao acontecimento, a exemplo da morte de dois soldados antes do episódio. Na verdade, o que acabou causando a fúria das milícias para o fim trágico do grupo dos Marcelinos, além da relação de Lua Branca com Virgulino Lampião.

Outro momento que marca a passagem de Lampião pelo Cariri foi no fim da década de 20, em que recebe a patente de capitão do Padre Cícero. A finalidade era o combate da Coluna Prestes. Segundo Magérbio Lucena, na verdade era uma patente temporária. O cordelista e integrante do Centro Pró-Memória, Francisco Sousa, lançou, no seminário, cordel sobre os 80 anos do fuzilamento.

ENQUETE

A importância do cangaço

Francisco de Assis Sousa
Cordelista
“O evento é importante para que o tema saia do entendimento popular e passe a fazer parte da visão acadêmica.”

Maria de Lourdes Belo da Silva
Neta de Manoel Toalha
“Foi um episódio cruel. Meu pai tinha seis meses. Foi criado pelos tios, porque a minha avó morreu seis meses depois.”

Karl Max Santos Sousa
Fundação Cabras de Lampião
“É importante resgatar a história do cangaço, presente na cultura do povo sertanejo, na culinária, artesanato, dança.”

Elizângela Santos
Repórter

Matéria do Jornal Diário do Nordeste – www.diariodonordeste.com.br
.

E AINDA TEM GENTE QUE ACREDITA NESTAS IDÉIAS

Dois filmes que abordaram o Estado Comunista da Alemanha Oriental fizeram sucesso nos últimos anos nos cinemas brasileiros: “Adeus Lênin” de Wolfgang Becker (2003) e agora “A vida dos outros” – Das Leben der Anderen de Florian Henckel Von Donnersmarck (2006). Ao se tratarem de narrativas que fogem aos padrões estético do massivo cinema americano estes filmes já agradam. Agradam ainda mais pelo nível de denúncia e crítica que fazem do regime socialista da Alemanha Oriental. As classes médias das grandes cidades, aquela que freqüenta os cinemas dos shoppings center, sai taciturna ou eufórica com o desvendamento de um regime que ela, ideologicamente, tanto abomina.

O “Adeus Lênin” é um filme tragicômico, se limita a observar o inevitável da história que foi o fim do regime socialista e a queda do muro de Berlim. No filme os personagens principais vivem a fantasia de uma suposta evolução do regime socialista, com os alemães ocidentais fugindo em massa para oriente, a manutenção do sistema de consumo e das engabelações da propaganda oficial do regime. Ao final a fantasia cai e aquele esforço se mostrou desnecessário, pois a mãe que saíra do ar por um acidente neurológico e que retornara para viver a fantasia preparada pelo filho, nem gostava do regime, embora fosse uma dos seus mitos de propaganda. O regime da Alemanha Oriental já era, às vésperas da queda do muro de Berlim, desprovido de conteúdo, era uma casca continental vazia e dependente da URSS.

Sobre a “A vida dos outros” a narrativa é mais engajada em explicações. As críticas ao regime são mais profundas e o diretor não se limita a observar os fenômenos, os interpreta e conclui a narrativa. As primeiras cenas do filme nos remetem, imediatamente, para a estética do sangue e do sofrimento que tanto os americanos exploram, simplificam e no final nos deixam no meio de um deserto de idéias e contemplações. O cinema americano ao final só nos deixa com as carnes trêmulas, funcionam como um brinquedo de algum parque da Disneyworld, pura emoção. Para quê? Para nada. Mas voltando ao “vida dos outros”, foi justamente ao final da sessão que ouvi de um jovem morador da Barra da Tijuca: e ainda tem gente que acredita nestas idéias.

Olhei para trás, ele abraçado á namorada, reflexivo, concluía que o filme era uma brutal denúncia das idéias socialistas. Tive vontade de dialogar com ele. Era um jovem, nascera ou pelo menos crescera no triunfo do neoliberalismo, da queda do muro de Berlim, da idéia que a liberdade era consumir, ter ar condicionado, vidro blindado e viver o agito da vida urbana com boa grana. Como sabemos, na Barra da Tijuca (e em muitas cidades brasileiras), criou-se uma espécie de jovem mimado. Vivem às custas das famílias, pouco estudam, nada lêem, reflexão nenhuma, mas gostam de dar porrada em pessoas frágeis e andam em bando para se tornarem potência de destruição. São os chamados Pitboys, uma associação entre a violenta raça de cães Pitbull e a palavra inglesa para rapaz.

Aliás, foi preconceito. O rapaz até poderia ser universitário, estudioso e dedicado a uma profissão técnica de sucesso. Um “especialista” em alguma coisa. Mas isso no mundo atual é quase o mesmo que o anterior. O denominador comum é a restrição, a pouca disposição para pensar, refletir e a falta de conhecimento e cultura para raciocinar com a complexidade da vida em geral e desta civilização em particular. A verdade: o menos abordado no filme, “A vida dos outros”, é a condenação das idéias socialistas. Ele critica os desvio do regime, as causas do seu desvio e como a burocracia, o oportunismo desprovido de crítica e objetivos coletivos, permeava o regime da Alemanha Oriental próximo de sua queda. O filme critica os “especialistas” da Stasi (a polícia do regime) que não têm consciência do socialismo, até brincam com os símbolos do regime, dominaram o aparelho repressivo e passaram a perseguir os próprios socialistas.

No final o regime da Alemanha Oriental não era diferente (a não ser pelo padrão que diferenciam os povos e suas culturas) de qualquer regime autoritário de direita naquela altura. As pessoas conscientes, que tinham por referência a vida e o amor pelo outros, tinham a verdade de se viver em sociedade é que foram perseguidos. No desfecho da narrativa, o personagem objeto da investigação policial escreve um Livro com o título “Uma sonata para um homem bom” e este homem bom é o funcionário da Stasi destacado para vigiá-lo.

O jovem de quem ouvi o comentário na saída da sala de cinema, não entendeu nada e fiquei muito preocupado com nível em que a juventude se encontra. Não tem capacidade sequer para entender uma narrativa cinematográfica. Mas talvez eu esteja enganado, existe um tipo de gente que aprende ideologia para se dogmatizar, para deixar de pensar, mesmo que contradições surjam no seu mundo de pensamento. E o que o filme tratou de gente consciente da realidade, gente que olha para a realidade, até sofre por ela e por causa dela, mas tem clara capacidade de analisá-la e não se afastar do amor, o princípio em que se assenta a civilização.

A atual chanceler da Alemanha unificada fez discurso recente em que chama a atenção para os altos ganhos dos executivos do país. Qualifica o momento alemão como um momento de brazilianização, altíssimos salários num mar de baixa renda. Usando esta referência, talvez se possam explicar os resultados encontrados por uma pesquisa feita com mil pessoas que nasceram e se criaram nas duas Alemanha e publicada pela revista alemã Der Spiegel. O resultado surpreendeu a revista que comemorava a data da queda do muro de Berlim. O resultado é que mesmo depois de 18 anos do fim do regime, 92% dos germânicos de 35 a 50 anos que se criaram na Alemanha oriental preferiam o regime comunista ao capitalista. Por outro lado 60% dos jovens 14 a 24 anos que moram no leste, lamentam que nada tenha restado do comunismo em sua pátria.

Enfim, o capitalismo continua a todo vapor com suas contradições e é a ele que as críticas se voltam.

ÚLTIMA HORA


Música de Qualidade - 24h!

300x250advert

VIDEOS EM DESTAQUE

GALERIA DE FOTOS

Previsão do Tempo


EDIÇÕES ANTERIORES

outubro 2014
D S T Q Q S S
« set    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Rede Blogs do Cariri




Clique no Logo acima e visite o site oficial da Rede.

Mural Chapada do Araripe



TV CHAPADA DO ARARIPE



A TV Chapada do Araripe é composta por uma coleção de vídeos, entrevistas e reportagens. Escolha o vídeo que deseja assistir, clicando sobre o título. Veja mais detalhes na página da TV Chapada do Araripe.

HOMENAGEM DA SEMANA


CORREINHA

O Chapada do Araripe presta homenagens a um dos maiores mestres da cultura popular que faleceu em Crato recentemente, Francisco Correia de Lima, o Correinha, artista de várias linguagens atuante no município do Crato. Mestre Correinha nasceu no município de farias Brito no dia 14 de fevereiro de 1940, mas era um amante inveterado do Crato, município ao qual costumava fazer referências em suas canções. Talvez por não ter tido seu nome incluído nas listas anuais de mestres reconhecidos pelo Governo do Estado desde 2004, mestre Correinha tenha sido sepultado em meio a homenagens comoventes de moradores do município, mas, como ressaltaram amigos e familiares, sem o devido destaque por parte do Poder Público. Situação destacada durante a sua missa de corpo presente, enriquecida pelo acordeon de Hugo Linard, com quem Correinha gravou recentemente, 15 canções que agora constituem o último registro de sua obra. Segundo o próprio Hugo Linard, as canções registradas nesse último trabalho de Correinha em estúdio são, na maioria, inéditas. ´Ele gravou também ´Belezas do Crato´, mas as outras não tinham registro´, diz, citando canções como ´Coisas do meu sertão´, ´Exaltação a Barbalha´, ´Crato de Açúcar´ e ´Meu Cariri´ e ´Balanceio´. ´Fazia tempo que a gente tava cutucando ele, dizendo que ele tinha que gravar de novo. Ele fez dois compactos e outros discos, no tempo do vinil, além de vários cordéis´. Hugo Linard chama atenção para aspectos peculiares da trajetória de Correinha. ´Ele mantinha um bar aqui no Crato e ainda trabalhava como agente carcerário. Era tão querido que os presos pediram à família por ocasião do seu velório, para deixar um pouco o corpo dele lá na cadeia, para eles o homenagearem´.
Dalwton Moura

Jornal do Vicelmo

Todos os dias na Rádio Chapada do Araripe - Internet, a partir das 07:00, ouça o Jornal do Cariri com Antonio Vicelmo. O Jornal é retransmitido da Rádio Educadora do Cariri em tempo real. Você pode ouvir o programa através da nossa imensa rede de Blogs e websites. Alguns programas antigos estão disponíveis no nosso website Jornal do Vicelmo.

AUXÍLIO À LISTA

Dicas de Filmes



Por trás de todo o grande homem se esconde um professor, e isso era certamente verdade para Bruce Lee que aclamava como seu mentor um expert em artes marciais chamado Ip Man. Um gênio do Wushu (ou a escola de artes marciais da China), Ip Man cresceu numa China recentemente despedaçada pelo ódio racial, radicalismo nacionalista e pela Guerra. Ele ressurgiu como uma Fênix das Cinzas graças à suas participações em lutas contra vários mestres Wushu e lutadores de kung-fu - finalmente treinando icones de artes marciais como Bruce Lee. Esta cinebiografia do diretor Wilson Yip mostra a história da vida de Ip.

Como Publicar seu Artigo


Agora você pode entrar em contato conosco diretamente. Se vc deseja publicar algum artigo que julgue importante para o Cariri, entre em contato conosco. Todos os artigos aprovados serão devidamente creditados aos autores. Os melhores artigos merecerão destaque, e se continuados, os escritores e cronistas poderão se tornar membros permanentes doportal Chapada do Araripe. Contatos: MSN e E-mail: blogdocrato@hotmail.com

Quem somos Nós

O Chapada do Araripe é um site sem fins lucrativos, que visa promover a imagem da região do cariri cearense na Internet. Se você deseja publicar algum artigo no portal Chapada do Araripe, entre em Contato conosco.

Direitos Autorais:

DM Studio – Comunicação & Marketing. Algumas partes do Chapada do Araripe estão sob uma “Licença Creative Commons”, e outras, de acordo com seus respectivos autores, com “Todos os Direitos Reservados” –

www.chapadadoararipe.com - 2012

Contatos: Dihelson Mendonça – MSN e E-mail: blogdocrato@hotmail.com

© 2014 Chapada do Araripe - -