Terremoto do Chile encurtou os dias na Terra, diz Nasa – postado por Armando Lopes Rafael

Redação Terra
02 de março de 2010 • 12h22 • atualizado às 12h45


O terremoto chileno aconteceu nas latitudes abaixo do equador, o que o torna mais eficaz na mudança do eixo do planeta
Foto: Getty Images

Cientistas da Agência Espacial Americana (Nasa), afirmam que o terremoto de magnitude 8,8 que atingiu o Chile no dia 27 pode ter reduzido a duração dos dias na Terra. Segundo a Nasa, o terremoto deve ter encurtado a duração de um dia a Terra por cerca de 1,26 microssegundos (um microssegundo é a milionésima parte de um segundo). Os responsáveis pelo estudo fazem parte da equipe do cientista Richard Gross e realizaram um cálculo por meio de complexo modelo computadorizado sobre como o abalo teria modificado a rotação do nosso planeta.
O dado mais impressionante levantado no estudo é sobre o quanto o eixo da Terra foi deslocado pelo terremoto. Gross calcula que o abalo sísmico deve ter movido o eixo do planeta (o eixo imaginário sobre o qual a massa da Terra se mantém equilibrada) por 2,7 milisegundos (cerca de 8 centímetros). Esse eixo da Terra não é o mesmo que o eixo norte-sul.
O cientista afirma que o mesmo modelo computadorizado foi usado para estimar que o terremoto de magnitude 9,1 que atingiu Sumatra em 2004 deve ter reduzido a duração do dia de 6,8 microsegundos e deslocado do eixo da Terra em 2,32 milisegundos (cerca de 7 centímetros).
Segundo o cientista, apesar do terremoto chileno ter sido muito menor do que o terremoto de Sumatra, prevê-se que ele tenha alterado mais a posição do eixo da Terra por dois motivos. Primeiro, ao contrário do terremoto de Sumatra localizado perto do equador, o terremoto chileno aconteceu nas latitudes abaixo dele, o que o torna mais eficaz na mudança do eixo do planeta. Em segundo lugar, a falha responsável pelo terremoto Chileno foi mais profunda e em um ângulo ligeiramente mais acentuado do que a falha responsável pelo terremoto de Sumatra. Isso faz com que a falha no Chile seja mais eficaz para deslocar verticalmente a massa da Terra e, portanto, mais eficaz na sua mudança de eixo.
Os cientistas afirmam, porém, que devem aguardar maior refinamento dos dados para que ter resultados definitivos.
Redação Terra

A Paixão que Mudaria o Nordeste Por: Manoel Severo

Carmela Eulina


Um dos personagens mais marcantes da história do nordeste sem dúvidas foi o cearense de Ipu, Delmiro Gouveia; abaixo trazemos um dos capítulos impressionantes da vida desse grande visionário e espetacular empreendedor.

Partimos de seu retorno da Europa, quando em Recife se apaixonou perdidamente pela bela Eulina.


Aqui nasceria uma paixão que iria mudar a história do nordeste. Ao retornar da Europa, com sérias dificuldades financeiras, Delmiro Gouveia se apaixonaria por uma jovem de nome Carmela Eulina do Amaral Gusmão, filha do governador de Pernambuco, Segismundo Gonçalves, (Foto acima) este, forte aliado do senador Rosa e Silva, inimigo declarado de Delmiro Gouveia. De temperamento forte e impulsivo, Delmiro Gouveia resolve raptar Eulina, seria processado e pronunciado em Juízo, assim; foge para Alagoas, mais precisamente para a localidade de Pedra, município de Água Branca, uma pequena estação ferroviária da Great Western, construída por D. Pedro II em 1878, com poucas casas e habitantes, bem próximo às cachoeiras de Paulo Afonso, às margens do Velho Chico.

Dali, Delmiro Gouveia realiza o sonho de ter Eulina e manda um cabra seqüestra-la em Recife e traze-la para Pedra. Naquela época foi acolhido pelas famílias Torres e Luna, a primeira, do lendário Barão de Água Branca, cuja viúva veria a ser em 1922 a primeira vítima de Lampião, investido de chefe do bando de Sinhô Pereira.

Delmiro Gouveia


Estabelecido comercialmente, retoma o negócio de peles e couros e viria novamente a se tornar um dos maiores empresários do nordeste; naquela época a localidade de Pedra recebia cerca de 200 a 400 burros carregados da matéria-prima, só a empresa Iona & Cia. possuía mais de 200 animais que atuavam no transporte de diversas cargas. Foi por essa época que os irmãos Ferreira mantiveram contato com o comércio de couros e peles de Delmiro Gouveia.

Vislumbrando o potencial do Velho Chico e de Paulo Afonso, Gouveia em 1909, trouxe ao Brasil a missão Moore, americana; além de realizar contatos com as empresas Bromberg, do Rio de Janeiro, e W.R. Brand & Company, de Londres; ali encomendava projetos de eletrificação via rio São Francisco. Depois de ver o insucesso de sensibilizar o governador de Pernambuco, Gal. Dantas Barreto, para a empreitada da eletrificação de boa parte do estado e da região, acabaria redeuzindo o seu projeto inicial e mesmo assim, sendo o pioneiro na construção de usinas hidroelétricas, através da usina Angiquinho em 1913, com turbinas e geradores alemães e suíços, instalada num dos saltos da cachoeira de Paulo Afonso. A usina foi fundamental para o empreendimento de Delmiro Gouveia e os irmãos Rossbach, a Fábrica da Pedra; Cia. Agro Fabril Mercantil; unidade industrial que produzia linhas para costura, renda e bordados, da marca “Estrela”.



A fantástica Usina de Angiquinho, sonho e realidade de Delmiro Gouveia




Delmiro Gouveia viria a modificar inteiramente o cenário da antiga Pedra que logo se transformaria em uma próspera comunidade de mais de 250 casa e uma população de cerca de 5 mil pessoas. Já no primeiro ano de seu funcionamento, com uma produção entre 1.500 e 2.000 carretéis/dia, a unidade fabril chegou a empregar cerca de 800 operários, entre homens e mulheres, chegando a trabalhar três turnos diários. Já em 1916 Delmiro Gouveia começava a exportar para países da América Latina, ali a Companhia Agrofabril empregava 3.500 pessoas. Naquela época “se dizia que grande homem no sertão não havia quatro, só três: Lampião, na valentia; Padre Cícero, na grandeza de coração; e Delmiro, no trabalho”.

Delmiro Gouveia viria a ser o responsável por outras inusitadas inovações da modernidade para a outrora pequena vila da Pedra. O automóvel, que possuia cinco; o telégrafo, a máquina de gelo, o carrossel, a tipografia, bandas de música e até o cinema estariam entre as novidades do Midas do sertão.




A Companhia Agrofabril contruiu uma vila operária, a primeira do nordeste, onde Delmiro impunha normas e regras rígidas para seus moradores. Os cuidados e rigor para com a postura e o comportamento de todos muitas vezes era fiscalizado pelo próprio Gouveia. A disciplina, a higiene, o rigor com os horários, até o fato de cuspir no chão era motivo para que o transgressor fosse multado. O estudo dos meninos e meninas era acompanhado severamente, caso faltassem, os pais eram advertidos. Tamanho rigor acabou trazendo para seus funcionários o pânico com a simples presença do coronel da Pedra. Com referência a esse rigor vamos encontrar na obra de Mario de Andrade o curioso trecho: “Macunaíma (…) pensou em morar na cidade da Pedra com o enérgico Delmiro Gouveia, porém lhe faltou ânimo. Para viver lá, assim como tinha vivido era impossível”.

Dentre as Conferências presentes ao Cariri Cangaço 2010; evento de cunho histórico, turistico e cultural, entre os dias 17 e 22 de agosto; aqui na região do Cariri, teremos os conferencistas; Professor David Bandeira, de Maceió e Professora Eloisa Farias do Distrito Federal abordando o tema: Delmiro Gouveia, o coronel dos coronéis.



Por: Manoel Severo

cariricangaco.blogspot.com



CRATO – Notícias do dia 02 de Março de 2010


Prefeito Samuel Araripe recebe Prêmio Selo Município Verde para o Crato

O prefeito do Crato, Samuel Araripe, esteve durante a manhã de ontem, em Araripe, participando do Governo Itinerante, em que o município do Crato, mais uma vez, foi contemplado com o Prêmio Selo Município Verde, graças ao trabalho que vem desenvolvendo com uma atenção voltada para o meio ambiente. O prefeito Samuel Araripe, esteve recebendo a certificação com o secretário de Meio Ambiente, Nivaldo Soares. Para a conquista do Selo, o Crato passou por uma série de avaliações, feitas pelos integrantes do Comitê Gestor do Programa Selo Município Verde – PSMV, que estiveram em Crato para constatar, in loco, os projetos desenvolvidos no âmbito do meio ambiente. As avaliações foram feitas juntamente com o Conselho Municipal de Meio Ambiente. Essas avaliações ficaram parte da primeira etapa do programa. O prêmio possibilita a certificação pública do Governo do Estado do Ceará e classifica, anualmente, os municípios cearenses que atendem aos critérios pré-estabelecidos de conservação e uso sustentável dos recursos naturais, promovendo melhor qualidade de vida para presentes e futuras gerações. Nos anos de 2007 e 2008 o Crato foi premiado com o Selo Município Verde. Apenas 34 deles se qualificaram, após a análise do Questionário de Avaliação da Gestão Ambiental, na primeira etapa, respondendo questões referentes à legislação ambiental, instrumentos de gestão, infra-estrutura, saúde pública, biodiversidade e educação ambiental.

Obras beneficiam bairros Pinto Madeira e Seminário

Mais obras foram autorizadas para serem desenvolvidas em diferentes áreas do Crato. As solenidades para a autorização das ordens de serviço aconteceram na noite e ontem, nos bairros Seminário e Pinto Madeira, com a presença de diversas autoridades, contando com o Governador, que foi recepcionado pelo prefeito do Município, Samuel Araripe. No Pinto Madeira, foi autorizada a obra de construção de uma escadaria que ligará a Avenida Perimetral à Rua Teopisto Abath. No Seminário, onde ainda este ano deverá ser iniciada a obra da Encosta do Seminário, de mais de R$ 10 milhões, foi assinada ordem de serviço para melhoria do acesso ao alto do Seminário, com a construção de escadaria. Em seguida, assinada ordem de serviço para construção da sede do Geopark Araripe, em área da Universidade Regional do Cariri (URCA). A escadaria da Avenida Perimetral, que garantirá a melhoria da acessibilidade para a população local, terá investimento de R$ 161.208,64, com recursos do tesouro do Estado. Já a obra do Bairro seminário, há muito solicitada pelos moradores do bairro, está orçada em R$ 204.822,21, também com recursos do Governo do Estado.

Secretaria de Meio Ambiente do Crato participará da I Conferencia Estadual de Defesa Civil

A Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano do Crato, representada pelo assessor técnico Wyldevanio Vieira, participará da I Conferencia Estadual de Defesa Civil, que será realizada nos próximos dias 4, 5 e 6 em Fortaleza. A Conferencia Estadual será uma das etapas para a Conferencia Nacional de Defesa Civil que acontecerá em Brasília e tem como proposta preparar o país para enfrentar os problemas da sociedade e minimizar o sofrimento humano decorrente de suas conseqüências, e assim viabilizar estratégias adequadas de prevenção de desastres e ações voltadas à construção de comunidades mais seguras. O tema central da conferencia será “Prevenção e Assistência Humanitária: Fundamentos para a organização da Defesa Civil Brasileira”.

Secretaria da Cultura do Crato e Cine SESI Cultural promovem nesse final de semana exibição de filmes gratuitos para toda a população

No próximo final de semana, mais precisamente nos dias 5, 6 e 7, sexta, sábado e domingo, no Centro Cultural do Araripe no Largo da RFFSA em Crato, acontecerá o Cine SESI Cultural, um projeto de exibições cinematográficas gratuitas para toda à comunidade. O projeto vem obtendo sucesso em todos os locais onde está sendo exibido. A etapa no Crato, que corresponde aos dias 5, 6 e 7 de março tem o apoio da Prefeitura Municipal, através da Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude. Os filmes começarão a ser exibidos as 18 horas e 30 minutos seguindo a programação dessa forma:

Sexta feira 05 de março – Desenho sócio-educativo do Sesi Filme da Oficina Audiovisual realizada no Crato Curta metragem :Vida Maria. Longa metragem:Tapete Vermelho: a emocionante viagem de pai e filho pelo interior em busca do cinema, com Matheus Nathergalle e Gorete Milagres. Sábado 06 de março – Desenho sócio-educativo do Sesi Filme da Oficina Audiovisual realizada em Icó – CE. Curta metragem; Os filmes que não fiz – Longa metragem: Se Eu Fosse Você 2 As loucuras de um casal que tem seus corpos trocados mais uma vez, com Toni Ramos e Gloria Pires. Domingo 07 de março- Desenho sócio-educativo do Sesi Filme da Oficina Audiovisual realizada no Crato Curta metragem : Câmara Viajante. Longa metragem: A Era do Gelo 3: As aventuras de uma turma de bichos bem diferentes em uma nova era. Toda a comunidade cratense está convidada a participar desse momento de diversão e apreciação de arte.

Secretaria de Ação Social inicia próximo dia 8 atividades do Bolsa Família

O Governo Municipal do Crato por meio da Secretaria de Ação Social, iniciará na próxima segunda-feira, dia 8 as atividades do Programa Bolsa Família. Os atendimentos estarão sendo realizados na própria secretaria. É importante lembrar que os interessados têm de estar munidos de seus documentos pessoais para que possam resolver assuntos como desbloqueio de cartão e mudança de escola.

Governo Municipal do Crato
Fone/Fax – (88) 3521.9960
Mais informações:
http://www.crato.ce.gov.br
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

DICA – Vejam sempre as Edições Anteriores !

As matérias da página principal se resumem às postagens do Dia. Para ver e ler as matérias postadas nos outros dias, leiam sempre as edições anteriores. Na entrada do Blog, na parte superior, há sempre um calendário com as edições anteriores. basta clicar numa data específica, ou clicar na seta CONTINUAR, ao final de cada página.

Edições Anteriores:

Fevereiro ( Dias ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28

Por: Dihelson Mendonça

Você Gosta de Fotografia ? – Aprenda a Fotografar, Dicas e Divulgue seus Trabalhos ! – Site OLHARES DO CARIRI

O Novo Site da Fotografia no Cariri

Olhares do Cariri logo

Se você gosta de fotografia, de conversar sobre fotografia, aprender mais, ler artigos sobre o assunto, apreciar e publicar os seus trabalhos, participe do Novo Site da Fotografia do Cariri: O OLHARES DO CARIRI.

OLHARES DO CARIRI é um site desenvolvido especialmente para os fotógrafos do Cariri mostrarem suas cirações. Nele, não há limitações de trabalhos. Todos são bem-vindos: principiantes, amadores, profissionais… O que importa é a sua participação. O Olhares do Cariri já conta com vários fotógrafos do Cariri, que mostram seus trabalhos diariamente.

Se você gosta de fotografia, não deixe de participar da nossa nova comunidade. O Ponto de encontro da Fotrografia no Cariri agora num lugar Livre, Amistoso e Descontraído. E vem muita coisa boa por aí…

Visite agora mesmo e participe:

www.olharesdocariri.blogspot.com

Entre em contato conosco pelo E-mail
blogdocrato@hotmail.com

Se você fotografa e deseja expor seus trabalhos.

Abraços,
Dihelson Mendonça

Vai à web protesto de cubanos contra Lula, em Miami – Por: Samuel P. Teles


A cena exibida no vídeo acima foi pendurada no Youtube por um grupo chamado Assembléia da Resistência Cubana. Opera desde Miami, nos EUA. Congrega algo como cinco dezenas de organizações que se opõem à ditadura dos irmãos Raúl e Fidel Castro. Gravadas na última sexta (26), as imagens mostram o protesto realizado na sede do consulado brasileiro em Miami. Uma reação ao “silêncio” de Lula diante da morte do preso político Orlando Zapata Tamayo, ocorrida durante a visita do presidente brasileiro a Havana.

Um manifestante portava bandeira de Cuba. Outros, fotos de Zapata e imagens de Lula ao lado de Fidel. Sob a face de Fidel, o vocábulo “assassino”. Abaixo do rosto de Lula, a inscrição “cúmplice”. Gritavam, entre outras palavras de ordem: “Lula, cúmplice!”; “Vergonha para Lula!”; “Viva Orlando Zapata Tamayo!”; ”Direitos humanos para os cubanos!” Barulhento, o grupo atraiu a presença de um funcionário do consulado. Perguntou se os manifestantes desejavam entregar algum documento.

Em resposta, ouviu um dicurso inflamado da ativista Sylvia Iriondo. Disse que o protesto, de natureza pacífica, destinava-se a expressar repúdio a Lula. E quanto ao documento? Entregaram a foto em que o presidente brasileiro, ao lado de Fidel, é tachado de “cúmplice”. De passagem por Cuba, Lula já havia sido informado da reação dos dissidentes locais ao silêncio dele. Dera de ombros: “Se eles são dissidentes de Cuba e agora querem ser dissidentes do Lula, não tem problema nenhum”. Conseguiu. A neodissidência lulista dos protodissidentes cubanos já não se restringe a Havana. Soa também em Miami. E ecoa na internet.

Fonte: Blog do Josias de Souza
Por: Samuel P. Teles

Ex-tupamaro assume Presidência do Uruguai – Postado por: José Flávio Vieira



Mujica toma posse no Uruguai e promete estabilidade econômica

da Reuters, em Motevidéu

O ex-guerrilheiro José Mujica assumiu nesta segunda-feira a Presidência do Uruguai com a promessa de manter uma macroeconomia “ortodoxa e prolífica” e amplas políticas sociais, naquele que será o segundo governo consecutivo da esquerda no país. Com uma multidão nas ruas erguendo bandeiras uruguaias e da coalizão de esquerda Frente Ampla, Mujica fez um chamado para um diálogo entre os partidos a fim de estabelecer políticas de Estado e facilitar a governabilidade, deixado de lado os conflitos. “Seria uma aberração nos dedicarmos ao confronto e não ao ajuste. As batalhas pelo tudo ou nada são o melhor caminho para que nada mude e tudo se estanque”, disse Mujica no discurso de posse, amplamente aplaudido por políticos de todas as forças no Congresso e dignitários estrangeiros. O líder de 74 anos prometeu uma condução rigorosa da economia e do sistema bancário, vital para o Uruguai, país com 3,3 milhões de habitantes que vive da agricultura, da pecuária, do turismo e do investimento de não residentes. “Uma macroeconomia prolífica é um pré-requisito para todo o resto (…) Vamos ser ortodoxos na macroeconomia e vamos compensar isso sendo inovadores e atrevidos em outros aspectos”, disse Mujica. Com o estilo franco que o caracteriza, Mujica disse que passou a manhã anterior à posse “tomando uns mates com a velha” e garantiu que não estava nervoso, já que passou “por muitos testes.”

Desafios

Em relação aos desafios que deverá enfrentar como presidente, entretanto, ressaltou que “hoje é o céu, amanhã começa o purgatório.” Entre os desafios, Mujica deverá buscar a solução a um prolongado conflito ambiental com a vizinha Argentina, que tem afetado a relação bilateral, o comércio e o turismo. O governo também deverá enfrentar uma situação fiscal apertada e grandes vencimentos da dívida. Alguns analistas econômicos afirmam que ele deverá realizar um ajuste de gastos que poderá afetar as amplas políticas sociais do Estado uruguaio. À cerimônia de posse estiveram presentes seis mandatários de países da América Latina, além do príncipe Felipe da Espanha, e a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, que se reuniu previamente com Mujica para lhe oferecer cooperação nas áreas de educação, tecnologia, negócios, comércio e investimentos. “Seu país, presidente eleito Mujica, é um modelo para muitos outros, não apenas no nosso Hemisfério, mas em todo o mundo”, disse Hillary. Em seu discurso, Mujica criticou o estado atual do Mercosul, integrado também por Brasil, Paraguai e Argentina, e pediu um compromisso maior com o bloco por parte dos sócios maiores.

Chile e Brasil

Membro da guerrilha urbana Tupamaros, Mujica passou mais de uma década na prisão durante a ditadura que governou o Uruguai na década de 1970 até o começo dos anos 80 e ganhou as eleições de novembro com 52,3% dos votos.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse que um grande revolucionário chegava à presidência uruguaia. “Hoje é um grande dia para o Uruguai. Chega à presidência um revolucionário também”, assegurou Chávez. Considerado um político mais radical que o presidente Tabaré Vázquez, que deixou o cargo, Mujica moderou o discurso durante a campanha, na qual disse se sentir mais próximo a governos como os do Brasil e do Chile do que do modelo socialista da Venezuela, e se comprometeu a continuar as políticas econômicas que permitiram ao Uruguai evitar a crise econômica mundial. O novo presidente estará acompanhado em seu governo pelo vice-presidente Danilo Astori, artífice da rigorosa política econômica de Vázquez, que supervisionará de seu posto a economia. Astori disse recentemente que seguirá insistindo em estreitar os laços econômicos com os EUA. O Uruguai conseguiu escapar da recessão em 2009, apesar da crise financeira global. O país cresceu 2% em 2009 e espera uma expansão econômica de 4% neste ano.

Postado por: José Flávio Vieira

Estudantes do Polivalente do Crato terão contato com Arte Contemporânea

Na sexta-feira, dia 05, os estudantes da Escola de Ensino Fundamental e Médio Polivalente Gov. Adauto Bezerra, no Crato participam de palestra do Projeto Fazendo Arte, no Teatro Saviano Arraes, a partir das 19 horas. O Projeto Fazendo Arte tem como realizadores as instituições alemãs Aktionskreis Pater Beda, Kinder Missionswerk e a Missionswerk Die Sternsinger e o Projeto Nova Vida e a parceria da Universidade Regional do Cariri – URCA, Secretárias Municipais da Educação e da Cultura,Coletivo Camaradas e SESC e visa gerar uma maior aproximação com o universo da produção e circulação da arte, proporcionando assim, formação sócio-cultural, através de ações de qualificação artística e fruição estética.

A Palestra da sexta-feira que terá como tema “Arte Contemporânea pensando a partir do Cotidiano” terá como palestrante o professor Alexandre Lucas, que é coordenador do Coletivo camaradas. Alexandre Lucas nasceu no Crato , é poeta,professor,artista/educador, ativista cultural, coordenador do Coletivo Camaradas e trás no seu discurso e na sua pratica artística a defesa de uma arte sociamente comprometida e emancipadora.

A coordenadora do Projeto Fazendo Arte, a cantora Fatinha Gomes destaca que a palestra é de suma importância ,pois possibilita que a juventude busque sua identidade artística dentro dos mais variados contextos. Além de participarem, das atividades do Projeto Fazendo Arte, será desenvolvido na Escola Polivalente no Crato o projeto “Conversa de Artista”, o qual visa aproximar os artistas da comunidade escolar e o projeto do “Coletivo de Estudos e Vivência em Arte Contemporânea – COLEPOLI”, ambos visam contribuir com processo pedagógico do Ensino de Artes na Escola.

Texto enviado por: Alexandre Lucas

Planejamento do projeto eleitoral do PCdoB chega ao Cariri

No último final de semana em Juazeiro do Norte, sul do estado do Ceará, o PCdoB realizou um encontro com diversos vereadores da região, contando com a presença da presidente da câmara municipal de Potengi, lideranças sindicais e estudantis e dirigentes do partido de 10 municípios caririenses, além da presença do Carlos Augusto Diógenes (“Patinhas”), presidente do PCdoB do Ceará.

Patinhas destacou os efeitos positivos da eleição do Presidente Lula, em 2002, e no Ceará do Governador Cid Gomes, e do senador Inácio Arruda, em 2006, afirmando que contribuíram para a ampliação da força do PCdoB no cenário político. Segundo ele, “a disputa eleitoral deste ano é estratégica porque escreveremos uma nova página na história dos comunistas cearenses. É chegada a hora de aumentar a participação na Câmara Federal e na Assembléia Legislativa”, enfatizou Patinhas. A direção do partido definiu como objetivo a eleição de dois deputados federais e dois deputados estaduais. Para tanto a região do Cariri terá um papel fundamental, tendo o nome do vereador de Juazeiro, Professor Antonio Ferreira como candidato importante para uma cadeira na Assembléia porque conduzirá o processo de campanha do principal projeto, que é o da ampliação de candidatos a deputados federais. Em relação à reeleição do governador Cid Gomes, o partido buscará o entendimento para manutenção da base partidária PSB, PT, PMDB e PCdoB. Lutará também para eleição de dois senadores integrantes da frente democrática e progressista e comprometidos com a continuidade do projeto de construção de um novo Ceará e de um Brasil melhor para todos. O PCdoB vem ocupando um importante espaço no cenário político da região do Cariri. Além do prefeito de Potengi, Samuel Alencar; o vice-prefeito de Penaforte, Avelar Ângelo, e vários vereadores em diversas cidades da região, e secretários municipais em diversas prefeituras, conta ainda com fortes lideranças movimentos sociais. Os comunistas do Cariri entrarão com bastante força na batalha eleitoral que se aproxima e querem sair vibrando com a vitória do povo.

Por: Paulo Cesar Cariri

Frederic Chopin é o Homenageado do Hoje na História

HOJE NA HISTÓRIA

Os 200 Anos do Poeta do Piano, Frederic Chopin

Frédéric Chopin (Żelazowa Wola, 1 de Março de 1810 — Paris, 17 de Outubro de 1849) foi um pianista polaco e compositor para piano da era romântica. É amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história. Sua técnica refinada e sua elaboração harmônica vêm sendo comparadas historicamente com as de outros gênios da música, como Mozart e Beethoven, assim como sua duradoura influência na música até os dias de hoje.

Preâmbulo

Fryderyk Franciszek Chopin ou Szopen (nome em polaco, em francês Frédéric François Chopin (AFI: /ʃɔpɛ̃/) nasceu na aldeia de Żelazowa Wola, Ducado de Varsóvia, filho de mãe polonesa e pai francês-expatriado. Aclamado em sua terra natal como uma criança prodígio, aos vinte anos Chopin deixou a Polônia para sempre. Em Paris, fez carreira como intérprete, professor e compositor, e adotou a versão francesa dada a seus nomes, Frédéric-François.[carece de fontes?] De 1837 a 1847 teve uma relação turbulenta com a escritora francesa George Sand (pseudônimo de Amantine Aurore Lucile Dupin). Sempre com a saúde frágil, morreu em Paris aos 39 anos, vítima de tuberculose.

Toda a obra existente de Chopin inclui o piano assumindo algum papel (predominantemente como um instrumento solo), e suas composições são amplamente consideradas como repertório essencial para este instrumento. Na maioria das vezes sua música é tecnicamente exigente, mas seu estilo, no geral, enfatiza mais a nuança e a profundidade expressiva do que o virtuosismo técnico.

Ele inovou com novas formas musicais, como a balada, e introduziu significantes inovações nas formas existentes, como a piano sonata, a valsa, o noturno, o estudo, o improviso e o prelúdio. Alguns citam suas obras como “os principais pilares” do romantismo na música erudita do século XIX. Além disso, Chopin mostrou-se nacionalista mesclando sua música com elementos eslavos; hoje suas mazurcas e polonesas são fundamentais para a música clássica nacional polonesa.

A Vida de Chopin

Chopin nasceu em Żelazowa Wola, uma aldeia próxima a Sochaczew, na região de Mazóvia, que faz parte do Ducado de Varsóvia. Era filho de Mikołaj (Nicolas) Chopin (1771-1844), um francês de descendência polonesa distante, proveniente de Lorena, que adotou a Polônia como sua terra natal após imigrar em 1787. Nicolas casou-se com a pianista Tekla Justyna Krzyżanowska (1782-1868), uma mulher de família aristocrata, porém empobrecida. De acordo com a família do compositor, Chopin nasceu em 1 de Março de 1810. Não há certidão de nascimento conhecida. Foi batizado no dia 23 de Abril do mesmo ano, na paróquia de Brochów, perto de Sochaczew, cerca de oito semanas após o seu nascimento, embora o seu certificado de batismo liste a sua data de nascimento como sendo em 22 de Fevereiro de 1810, o que provavelmente foi um erro por parte do padre. Seus pais tiveram outros três filhos: Ludwika (em polonês: “Louise”, 1807-?), Izabella (1811-?) e Emilia (1812-1827). Frédéric foi seu segundo filho, e o único homem.

Em Outubro de 1810, quando Frédéric tinha sete meses de idade, sua família mudou-se para Varsóvia, onde seu pai assumiu a posição de professor de língua e literatura francesa, em uma escola situada no Palácio Saxão. Sua família morou nas imediações do palácio.
Entre 1817 a 1827, a família de Chopin morou nesta construção da Universidade de Varsóvia, agora decorada com o perfil de Fryderyk (ao centro), ao lado do Palácio Kazimierz.

Em 1817, seu pai tornou-se professor de francês no Liceu de Varsóvia, situado no Palácio Kazimierz, da Universidade de Varsóvia. Sua família viveu em um espaçoso apartamento no segundo piso de uma construção vizinha. Entre 1823 e 1826 o próprio Fryderyk freqüentou o Liceu de Varsóvia. A família — incluindo seu pai, professor de francês — falava polonês em casa. Chopin cresceu culturalmente no polonês e nunca atingiu igual domínio da língua francesa. Foi em Varsóvia que, no final de sua vida, ele literalmente deixou seu coração.

Era uma criança “aluada, pálida e sentimental”, dotada de um instinto musical quase tão agudo quanto o de Mozart, e uma habilidade para arremedar os outros, o que lhe teria assegurado um cargo de ator, e uma predisposição para perturbações pulmonares, indício de uma morte prematura. Durante seus anos de escola, há rumores de que Chopin foi um talentoso retratista e mordaz escritor de cartas. Um professor ficou alegremente surpreso em saber que Chopin desenhou um magnífico retrato seu durante a aula. Durante suas férias no interior, em que se familiarizou com as melodias folk — as quais ele, mais tarde, refinaria em suas composições musicais — Chopin escreveu cartas para casa parodiando o jornal de Varsóvia. Em 1827, sua família mudou-se para os aposentos do Palácio Krasiński, hoje a Academia de Belas Artes (Akademia Sztuk Pięknych w Warszawie), na rua Krakowskie Przedmieście, número 5. Chopin morou ali até deixar Varsóvia, em 1830. Assim, a partir dos sete meses de idade até sua partida de Varsóvia e da Polônia, com vinte anos, Chopin sempre viveu com sua família ou em um palácio ou em seus arredores.

O jovem Chopin recebeu suas primeiras aulas de piano de sua irmã mais velha, Ludwika, e foi posteriormente ensinado por sua mãe. Seu talento musical logo apareceu, ganhando em Varsóvia a reputação de “segundo Mozart”. Aos sete anos ele já era autor de duas polonesas (sol menor e si bemol maior); a primeira foi publicada no ateliê de gravuras do Padre Cybulski, diretor uma escola de organistas e um dos poucos editores musicais da Polônia. O prodígio foi destacado nos jornais de Varsóvia, e o “pequeno Chopin” tornou-se uma atração nos salões da aristocracia da capital. Ele também começou a dar concertos públicos para a caridade. Diz-se que uma vez lhe foi perguntado sobre o que pensava que a platéia mais gostava nele; o garoto de sete anos de idade replicou: “a gola da minha camisa”. Ele apareceu pela primeira vez em público como pianista aos oito anos de idade.

“Não é costume incluir os compositores de música no número dos escritores (embora eles sejam também autores). Todavia, não podemos passar em silêncio as seguintes composições, gravadas e postas em circulação por mãos amigas: Polca para pianoforte, dedicada a Sua Excelência, a Condessa Luisa Skarbekowa, por Frederico Chopin. O compositor desta dança, que apenas conta 8 anos, é verdadeiramente um gênio, do ponto de vista musical. É filho de Nicolas Chopin, professor de francês e de literatura do Liceu de Varsóvia. Não só executa ao piano, com uma facilidade e um gosto notáveis, os trechos mais difíceis como já compôs diversas danças e variações que enchem de espanto conhecedores e críticos, sobretudo se se considerar a pouca idade do autor. Se tivesse nascido na Alemanha ou na França já se teria celebrizado por todos os países do mundo. Possa este artigo lembrar ao autor que o nosso país, também, é suscetível de produzir os seus gênios. Bastaria, muitas vezes, apontá-lo à atenção do público para os tornar conhecidos”. ”

Chopin recebeu suas primeiras aulas de piano profissionais, entre 1816 a 1822, por Wojciech Żywny. Mais tarde Chopin falou muito bem de Żywny, embora as habilidades do rapaz logo ultrapassariam as de seu professor. O desenvolvimento posterior do talento de Chopin foi supervisionado por Wilhelm Würfel. Esse renomado pianista, um professor do Conservatório de Varsóvia, deu a Chopin lições irregulares, embora valiosas, de como tocar órgão, e, possivelmente, também piano. No outono de 1826, Chopin começou a estudar teoria musical, baixo cifrado e composição musical com o compositor Józef Elsner, do Conservatório de Varsóvia, que era afiliada à Universidade de Varsóvia (por isso Chopin é contado entre os ex-alunos notáveis da universidade). O contato de Chopin com Elsner pode datar do início de 1822 e é certo que Elsner foi dando orientação informal a Chopin, em 1823. Chopin completou três anos de curso, no conservatório, em 1829.

Naquele ano, em Varsóvia, Chopin ouviu Niccolò Paganini tocar e conheceu também o compositor e pianista alemão Johann Nepomuk Hummel. Também em 1829, Chopin conheceu seu primeiro amor, uma estudante de canto chamada Konstancja Gładkowska. Em agosto de 1829, três semanas depois de sair do Conservatório de Varsóvia, Chopin fez uma brilhante estréia, em Viena. Ele fez duas apresentações de piano e recebeu muitas opiniões e comentários favoráveis, juntamente com outros que criticaram o baixo tom que ele produziu com o piano.

Em dezembro de 1829, no Merchant’s Club de Varsóvia, ele realizou a première do seu Concerto para piano em fá menor. Em 17 de março de 1830, no Teatro Nacional de Varsóvia, ele fez a primeira apresentação de seu outro concerto para piano, em mi menor. Em 2 de novembro de 1830, Chopin deixou Varsóvia para dar concertos na Europa Ocidental. Ele nunca retornou à Polônia. Ao fim do mês, eclodiu o Levante de Novembro e sua companhia de viagem Titus Woyciechowski voltou para casa para participar. Chopin permaneceu em Viena, em certa ansiedade pelos seus entes queridos. Então, visitou Munique e Estugarda (onde ele teve conhecimento da ocupação da Polônia pelo exército do Império Russo) e em setembro de 1831 chegou a Paris. Ele já tinha produzido um portfólio de importantes composições, incluindo seus dois concertos para piano e alguns de seus estudos Op. 10.

Chopin em Paris


Em Paris, Chopin foi saudado pelos eminentes exilados poloneses, incluindo o Príncipe Adam Jerzy Czartoryski, que morava no Hotel Lambert, e por artistas destacados como Heinrich Heine, Alfred de Vigny e Eugène Delacroix. Ele foi apresentado a alguns dos principais pianistas da época, incluindo Friedrich Kalkbrenner, Ferdinand Hiller e Franz Liszt, e formou amizades pessoais com os compositores Hector Berlioz, Felix Mendelssohn, Charles-Valentin Alkan e Vincenzo Bellini (ao lado de quem ele está enterrado no cemitério Père Lachaise). A música de Chopin já era admirada por muitos de seus compositores contemporâneos, incluindo Robert Schumann que, em sua revisão da Variações na “La ci darem la mano” (da ópera de Mozart Don Giovanni), Op. 2, escreveu: “Chapéus ao alto, cavalheiros! Um gênio.”

Durante seus anos em Paris, Chopin participou de vários concertos. As programações fornecem uma idéia da riqueza da vida artística parisiense durante esse período, como o concerto de 23 de março de 1833, em que Chopin, Liszt e Hiller tocaram trechos solos em uma execução de um concerto de Bach para três clavicórdios, e o concerto de 3 de março de 1838, quando Chopin, Alkan, seu professor, Pierre Joseph Zimmerman, e o aluno de Chopin, Adolphe Gutman, tocaram o arranjo a oito mãos de Alkan para a Sinfonia nº 7 de Beethoven. Ele também participou na composição do Hexameron (1837) — a sexta (e última) variação do tema de Bellini é de Chopin.

Um ilustre pianista amador inglês descreveu sua impressão de Chopin no salão:

“Imagine um homem de grandíssimo refinamento no modo de ser e de se portar, sentado ao piano e tocando sem qualquer movimento do corpo e raramente algum movimento dos braços, dependendo inteiramente de suas cuidadosas mãos femininas e seus dedos finos. Os amplos arpejos de sua mão esquerda, mantidos em um fluxo contínuo de tom por um legato preciso e fino e o constante uso do pedal de sustentação, formavam uma subestrutura harmoniosa, de uma maravilhosa cantabile poética. Sua delicada dinâmica musical, as modificações constantes na troca de tom e tempo (tempo rubato) são de efeito indescritível. Mesmo nas passagens mais enérgicas ele praticamente nunca ultrapassou um mero mezzo-forte. ”

No mesmo ano de 1833, Chopin publicou cinco Mazurcas, o Trio para piano, violino e violoncelo, três Noturnos, os doze grandes estudos dedicados a Liszt e o Concerto em Mi menor. Em 1834, publicou a grande Fantasia sobre árias polonesas, o Krakowiak para o piano e orquestras, três outros Noturnos e o Rondó em Mi bemol maior. Em Paris, Chopin fez várias visitas e passeios. Neste mesmo ano, com Hiller, visitou um Festival Musical Rhenish em Aachen, organizado por Ferdinand Ries. Lá, Chopin e Hiller se encontraram com Mendelssohn, e os três passaram a visitar Düsseldorf, Koblenz e Colônia, usufruindo da companhia uns dos outros e tocando e aprendendo música juntos.

Em 1835, Chopin organizou um encontro de sua família em Karlsbad. Lá ele conheceu o Conde Franz von Thun-Hohenstein, cujas filhas Chopin havia ensinado em Paris. O conde convidou Chopin e seus pais para ficarem em seu castelo familiar no Elba, Děčín. Depois os pais de Chopin voltaram a Varsóvia; ele nunca os veria novamente. Voltou a Paris passando por Dresden, onde permaneceu algumas semanas, e, depois, por Leipzig, onde se encontrou com Mendelssohn, Schurmann e Clara Wieck. Na viagem de volta, ele teve um ataque brônquico tão grave que alguns jornais poloneses informaram que ele havia morrido.

Em 1836, Chopin tornou-se noivo de uma jovem polonesa de 17 anos, Maria Wodzińska, cuja mãe insistiu para que o compromisso fosse mantido em segredo. No ano seguinte, o noivado foi cancelado por sua família.

George Sand

Em 1836, em uma festa organizada pela condessa Marie de Agoult, amante do compositor Franz Liszt, Chopin conheceu Amandine-Aurore-Lucile Dupin, baronesa Dudevant, mais conhecida por seu pseudônimo, George Sand. Ela foi uma escritora romântica francesa, conhecida por seus inúmeros casos amorosos com Prosper Mérimée, Alfred de Musset (1833-1834), seu secretário Alexandre Manceau (1849–1865) e outros, possivelmente incluindo a atriz Marie Dorval. Chopin inicialmente não encontrou atrativos nela. “Algo sobre ela me repele”, disse ele a sua família. Sand, entretanto, em uma carta datada de junho de 1837 a seu amigo o conde Wojciech Grzymała, discutiu sobre o que fazer para libertar Chopin de sua namorada Maria Wodzińska ou para abandonar outro caso, a fim de começar um relacionamento com Chopin. Sand tinha grandes sentimentos por Chopin e o persuadiu até começar um relacionamento.

Um notável episódio, no período em que estiveram juntos, foi um turbulento inverno em Maiorca (1838-1839), onde tiveram problemas para encontrar acomodação e acabaram se alojando no cênico, mas frio mosteiro de Valldemossa. Chopin também teve problemas com seu piano enviado por Ignaz Pleyel. Ele chegou de Paris depois de um grande atraso e foi retido pela alfândega espanhola, o que resultou em um grande imposto de importação. Ele pôde usá-lo por pouco mais de três semanas; no resto do tempo teve que compor em um piano alugado para completar seus prelúdios (Op. 28).

Durante o inverno, o mau tempo teve um sério efeito sobre a saúde de Chopin e sua doença pulmonar crônica que, para salvar sua vida, ele, George Sand e seus dois filhos foram obrigados a retornar à Espanha continental, chegando a Barcelona, e depois a Marselha, onde permaneceram alguns meses, até ele recuperar-se. Embora sua saúde tenha melhorado, Chopin nunca se recuperou totalmente desse ataque. Queixou-se da incompetência dos médicos em Mallorca: “o primeiro disse que eu iria morrer; o segundo, que eu tinha um último suspiro; e o terceiro, que eu já estava morto”. Chopin passou o verão de 1839 até 1843 na propriedade de Sand, em Nohant. Esses foram tranqüilos, mas produtivos dias, durante os quais Chopin compôs muitos trabalhos. Entre eles está a Polonesa em lá bemol maior, Op. 53 “Heróica”, uma de suas mais famosas peças. Na volta a Paris, em 1839, ele conheceu o pianista e compositor Ignaz Moscheles.

Em 1845, com uma maior deterioração da saúde de Chopin, um grave problema surgiu em sua relação com George Sand, que azedou em 1846 por problemas envolvendo a filha de Sand, Solange, e o jovem escultor Jean Baptiste Auguste Clesinge. Este foi o ano em que Sand publicou Lucrezia Floriani, cujos principais personagens (uma rica atriz e um príncipe de saúde frágil) podem ser interpretados como sendo Sand e Chopin. Em 1847, os problemas familiares finalmente puseram fim às relações entre Sand e Chopin que duraram 10 anos, desde 1837.

A Morte de Chopin

Em 1848, Chopin deu seu último concerto em Paris, além de visitar a Inglaterra e a Escócia com sua aluna e admiradora Jane Stirling. Eles chegaram a Londres em novembro, e, embora tenha conseguido dar alguns concertos e apresentações de salão. Ele voltou a Paris, onde em 1849 tornou-se incapaz de ensinar e se apresentar. Sua irmã, Ludwika, que tinha dado a ele as primeiras lições de piano, cuidou dele em seu apartamento na Praça Vendôme, nº 12. Nas primeiras horas de 17 de outubro Chopin morreu. Até 2008 acreditou-se que morreu de tuberculose, estudos de Wojciech Cichy, da Faculdade de Medicina da Universidade de Poznan atribuíram a sua morte a uma fibrose quística. Depois do amanhecer, Clesinger fez sua máscara da morte e os moldes de suas mãos. Antes do funeral de Chopin, de acordo com seu desejo ao morrer, seu coração foi retirado devido a seu medo de ser enterrado vivo. Ele foi posto por sua irmã em uma urna de cristal selada, com Cognac, destinada a Varsóvia. O coração permanece até hoje lacrado dentro de um pilar da Igreja da Santa Cruz (Kościół Świętego Krzyża) em Krakowskie Przedmieście, debaixo de uma inscrição do Evangelho de Mateus, 6:21: “onde seu tesouro está, estará também seu coração”. Curiosamente, seria salvo da destruição de Varsóvia pelos nazis, em 1944, pelo general das SS, Erich von dem Bach-Zelewski.
Túmulo de Chopin no cemitério Père Lachaise, em Paris.

Chopin havia pedido que o Réquiem de Mozart fosse tocado em seu funeral. Os principais trechos do Réquiem foram compostos para cantoras, mas a Igreja de Madeleine nunca havia permitido cantoras em seu coro. O funeral foi atrasado em quase duas semanas até que a igreja aceitou, contanto que as cantoras ficassem atrás de uma cortina de veludo preto. O funeral foi realizado em 30 de outubro, onde compareceram cerca de três mil pessoas. Os solistas no Réquiem incluíam o baixo Luigi Lablache, que tinha cantado o mesmo trabalho no funeral de Beethoven e que também tinha cantado no funeral de Vincenzo Bellini. Também foram tocados dois prelúdios de Chopin, o nº4 em mi menor e o nº6 em si menor.

Chopin foi enterrado, de acordo com seu desejo, no Cemitério Père Lachaise. Junto ao túmulo, a Marcha Funeral da Sonata Op. 35 foi tocada, em instrumentação de Napoléon Henri Reber .Depois, alguns de seus amigos poloneses foram a Paris, com um jarro de terra proveniente de sua terra natal, e a espalharam por seu túmulo, para que Chopin se mantivesse em solo polonês. Sua sepultura atrai numerosos visitantes e é invariavelmente enfeitado com flores, mesmo na calada do inverno.

Música

A música de Chopin para o piano combinava um senso rítmico único (particularmente o seu uso do rubato), e o uso freqüente do cromatismo e do contraponto a partir do qual associava à beleza melódica uma não menos bela e vigorosa linha do baixo. Essa mistura produz uma sonoridade particularmente delicada na melodia e na harmonia, que são, todavia, sustentadas por sólidas e interessantes técnicas harmônicas. Ele levou o novo gênero de salão do noturno, inventado pelo compositor irlandês John Field, a um nível mais aprofundado de sofisticação. Três de seus vinte e um noturnos foram publicados apenas após sua morte, em 1849, contrariando seus desejos. Ele também manteve formas de dança popular, como a mazurca polonesa e a valsa, a valsa vienense, com uma maior variedade de melodia e de expressão. Chopin foi o primeiro a escrever baladas e scherzi como peças individuais. Chopin também tomou o exemplo dos prelúdios e fugas de Bach, transformando o gênero em seus próprios prelúdios. Comparação entre o estilo de Bach (Prelúdio I) e Chopin (Op. 10, nº 1).

Muitas das peças de Chopin tornaram-se bastante conhecidas — por exemplo, o Estudo Revolucionário (Op. 10, nº 12), a Valsa Minuto (Op. 64, nº 1) e o terceiro movimento de sua sonata Marcha Fúnebre (Op. 35), que é freqüentemente utilizada como uma representação icástica de luto. O próprio Chopin nunca nomeou uma obra instrumental para além do gênero e número, deixando todas as suas potenciais associações extra-musicais para o ouvinte; os nomes pelos quais nós conhecemos muitas de suas peças foram inventados por outros. O Estudo Revolucionário não foi escrito tendo-se em mente a fracassada revolta da Polônia contra a Rússia; ele simplesmente surgiu naquela época. A Marcha Fúnebre foi escrita antes do resto da sonata na qual foi contida, mas a ocasião exata não é conhecida; aparentemente não foi inspirada em qualquer perda pessoal específica. Outras melodias foram utilizadas como base de suas canções populares, como a lenta passagem de Fantaisie-Impromptu (Op. posth. 66) e a primeira seção do estudo Op. 10 nº 3. Essas peças muitas vezes contam com um cromatismo intenso e personalizado, bem como uma curva melódica que lembra as operas nos dias de Chopin — as óperas de Gioacchino Rossini, Gaetano Donizetti e especialmente Bellini. Chopin utilizava o piano para recriar a graciosidade da voz que cantava, e sempre falava e escrevia sobre os cantores.

O estilo e os talentos de Chopin tornaram-se crescentemente influentes. Robert Schumann foi um grande admirador da música de Chopin, e utilizou suas melodias, até mesmo nomeando uma peça de sua suíte Carnaval após Chopin. Essa admiração não foi recíproca. Franz Liszt foi outro admirador e amigo pessoal do compositor, e transcreveu para o piano seis canções polonesas de Chopin. Apesar disso, Liszt negou ter escrito Funérailles (subtitulada “Outubro de 1849″, o sétimo movimento da suíte para piano Harmonies Poétiques et Religieuses, de 1853) em memória de Chopin. Embora a seção do meio aparentasse ter sido modelada sobre a famosa seção de três oitavos da Polonesa em La bemol maior, Op. 53, Liszt disse que a peça tinha sido inspirada pelas mortes de três dos seus compatriotas húngaros no mesmo mês.

Chopin interpretou suas próprias obras em salas de concerto, entretanto com mais freqüência em seu salão, para amigos. Já no final da vida, como a sua doença havia progredido, Chopin desistiu por completo das apresentações públicas. As inovações técnicas de Chopin também tornaram-se influentes. Seus prelúdios (Op. 28) e estudos (Opp. 10 e 25) tornaram-se rapidamente obras-modelo, e inspiraram tanto os Estudos Transcendentais de Liszt como os Estudos Sinfônicos de Schumann. Alexander Scriabin também foi fortemente influenciado por Chopin; por exemplo, seus 24 prelúdios (Op. 11) são inspirados pelo Op. 28 de Chopin.

Jeremy Siepmann, em sua biografia do compositor, nomeou uma lista dos pianistas que ele acreditava terem feito gravações dos trabalhos de Chopin, largamente conhecidas por estarem entre as maiores performances de Chopin já preservadas: Vladimir de Pachmann, Raoul Pugno, Ignacy Jan Paderewski, Moriz Rosenthal, Sergei Rachmaninoff, Alfred Cortot, Ignaz Friedman, Raoul Koczalski, Arthur Rubinstein, Mieczysław Horszowski, Claudio Arrau, Vlado Perlemuter, Sviatoslav Richter, Vladimir Horowitz, Dinu Lipatti, Vladimir Ashkenazy, Martha Argerich, Maurizio Pollini, Murray Perahia, Krystian Zimerman e Evgeny Kissin.

Arthur Rubinstein disse o seguinte sobre a música de Chopin e sua universalidade:

“Chopin fez uma revolução na música tradicional para piano e criou uma nova arte do teclado. Era um gênio de enlevo universal. Sua música conquista as mais distintas audiências. Quando as primeiras notas de Chopin soam por entre o salão de concerto, há um feliz suspiro de reconhecimento. Todo os homens e mulheres do mundo conhecem sua música. Eles amam isso. Eles são movidos por isso. No entanto, não é uma “música romântica”, no sentido byroniano. Não conta histórias ou quadros pintados. É expressiva e pessoal, mas ainda assim um arte pura. Mesmo nesta era atômica abstrata, onde a emoção não está na moda, Chopin perdura. Sua música é a linguagem universal da comunicação humana. Quando eu toco Chopin eu sei que falo diretamente para os corações das pessoas! ”

Estilo

Embora Chopin tenha vivido no século XIX, foi educado na tradição de Beethoven, Haydn, Mozart e Clementi. Ele usou o método de piano de Clementi com seus próprios estudantes e também foi influenciado pelo desenvolvimento da técnica do piano virtuoso de Hummel, ainda mozartiano. Um de seus estudantes escreveu o seguinte em seu diário sobre o estilo de tocar de Chopin:

“Sua apresentação foi sempre nobre e linda; seus tons cantados, ora em um forte ou no mais suave piano. Ele foi tomado de infinitas dores para ensinar a seus pupilos o seu legato, seu estilo cantábile de tocar. Sua crítica mais severa era “Ele—ou ela—não sabe como combinar duas notas simultaneamente.” Ele também exigia a precisa aderência ao ritmo. Ele odiava tudo o que fosse vagaroso e demorado, como rubatos fora de lugar, bem como exagerados andamentos… e é precisamente a esse respeito que as pessoas cometem os maiores erros ao tocar suas obras. ”

A série de sete polonesas publicadas durante sua vida (além de nove publicadas postumamente), começando com a Op. 26 par, estabeleceu um novo padrão para a música na forma e foram criadas na vontade de Chopin de escrever algo para celebrar a cultura polonesa depois de o país ter se submetido ao controle russo. A polonesa em lá maior Op. 40 Nº1, “Militar”, e a polonesa em lá bemol maior Op. 53, “Heróica”, estão entre as obras mais amadas de Chopin e as mais executadas.

Romantismo

Chopin considerava a maioria dos seus contemporâneos com alguma indiferença, apesar de ter muitas amizades com aqueles ligados ao romantismo na música, na literatura e nas artes (muitos deles através de sua ligação com George Sand). A música de Chopin é, entretanto, considerada por muitos como um ponto culminante do estilo romântico. A pureza clássica relativa e a discrição em sua música, com pouco exibicionismo extravagante, em parte reflete sua reverência por Bach e Mozart. Chopin nunca cedeu à explícita “pintura cênica” em sua música ou usou títulos programáticos, punindo os editores que renomearam suas peças desta forma.

Fonte: Wikipedia

Inscrições abertas para o curso gratuito de Documentação e Acervo do Museu da Imagem e do Som – Postado por Océlio Teixeira

O Museu da Imagem e do Som do Ceará (MIS-CE) promove de 15 a 17 de março um curso gratuito de Documentação de Acervos. O curso é ministrado pelo professor Albino Barbosa de Oliveira Junior, graduado em Museologia pela UFRJ e atual presidente da Comissão Permanente de Expografia da DIDOC. O número de vagas é limitado e direcionado para profissionais ou interessados em museologia. As aulas acontecem de 9h às 12h e das 14h às 18h.
As inscrições já estão abertas e podem ser efetuadas no período 01 a 10 de março de 2010, de segunda a sexta, das 08 às 17h, através de preenchimento de ficha pelo telefone (85) 3101-1204 (85) 3101-1204 , diretamente no MIS à Av. Barão de Studart, 410 Meireles Fortaleza Ceará ou acessando o endereço www.misceara.blogspot.com
O professor Albino Barbosa de Oliveira Júnior, é graduado em Museologia pela UFRJ. Durante dez anos ocupou o cargo de Museólogo da UFPE, como responsável pela parcela do acervo na Pró-Reitoria de Extensão. Presidiu a Comissão para Avaliação das Obras de Arte pertencentes a UFPE e a Comissão de Levantamento dos Bens que compõem o Atelier de Vitrais da UFPE. Em 2008, passou a exercer suas atividades na Fundação Joaquim Nabuco – FUNDAJ, lotado no Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira – CEHIBRA, da Diretoria de Documentação – DIDOC. Atualmente, desde fevereiro de 2009, preside a Comissão Permanente de Expografia da DIDOC.
Serviço:
Curso de Documentação e Acervo do Museu da Imagem e do Som (MIS-CE)
Inscrições: de 1 a 10 de março
Custo: Gratuito
Aulas: de 15 a 17 de março
Horário: de 9h às 12h e 14 às 18h
Local: Auditório do MIS-CE
Informações pelo telefone 3101.1204
Blog: http://www.misceara.blogspot.com/

Fonte: http://www.secult.ce.gov.br/

Governo do Estado autoriza obras no Crato – Postado por Océlio Teixeira

O secretário adjunto da Secretaria das Cidades, Jurandir Santiago assina, nesta segunda-feira (01), às 19h, Ordem de Serviço para Construção de uma escadaria que ligará uma Avenida Perimetral à Rua Teopisto Abath, no Crato. Em seguida, Serão assinadas ordens de serviço para construção de uma escadaria sem Bairro Seminário e execução das obras de construção da Sede Administrativa do Geopark Araripe, às 20h, no Bairro Seminário.

A escadaria da Avenida Perimetral, que garantira uma Melhoria da acessibilidade para uma população local, terá investimento de R $ 161.208,64, com recursos do Tesouro do Estado. Já a obra do Bairro Seminário, há muito solicitada pelos moradores do bairro, está em ORÇADA R $ 204.822,21, também com recursos do Governo do Estado.

Para a construção da Sede Administrativa do Geopark Araripe, o investimento será de R $ 386.007,53, com recursos do Governo do Estado e do Governo Federal, por meio do Ministério da Integração Nacional. Além da construção do prédio, nas dependências da Universidade Regional do Cariri – Urca, o convênio com o Ministério da Integração Nacional prevê aquisição de mobiliário, equipamentos e veículo, bem como uma produção de material promocional. No total, o investimento não Geopark Araripe será na ordem de R $ 778.000,00.

Serviço:

Assinatura da ordem de Serviço da escadaria que ligará uma Avenida Perimetral à Rua Teopisto Abath

Horário: 19h
Local: Rua Teopisto Abath

Assinatura das ordens de serviço para construção de uma escadaria no Bairro Seminário e Sede Administrativa do Geopark Araripe

Horário: 20h
Local: Travessa Aurora, esquina com Padre Lemos

Fonte: http://www.ceara.gov.br/

A partilha ajuda a combater a fome no mundo? – Por Magali de Figueiredo Esmeraldo

Sabemos que o mundo em que vivemos é injusto e desigual, pois o sistema econômico capitalista visa a acumulação de riquezas. Em conseqüência gera a exclusão social e a fome. Essa desigualdade social do mundo contribui para que muitas pessoas morram de fome. Segundo estatísticas internacionais, diariamente morrem de fome trinta mil crianças e esse número aumenta dia após dia. As pessoas não partilham os alimentos porque têm medo que faltem para elas. Por isso, elas acumulam cada vez mais. Além do mais, os países ricos se apossam das riquezas da terra, deixando os países pobres na miséria. Gastam muito com armas, em vez de destinar o dinheiro para alimentar os que passam fome. E ainda há desperdício de alimentos que daria para matar a fome de muitos.

Por que ninguém não se sensibiliza com essa situação? O egoísmo está tão impregnado na sociedade que ninguém se abre para a solidariedade. Vemos pessoas com o coração tão fechado para o outro que são contra as políticas para distribuição de renda. Programas de governo para diminuir a fome são sempre combatidos pelas elites dominantes.

Somos pais e mães que não gostaríamos de ver nossos filhos passarem fome. Portanto, devemos entender que todos nós somos filhos de Deus. Toda a população do mundo tem direito ao alimento. Mas são bilhões de pessoas que passam fome no mundo todo. Observamos que tem gente muito rica que é infeliz. Por que será isso? Porque a fonte da felicidade é o amor e não o dinheiro.

Quando há grandes catástrofes, como a do Haiti e recentemente a do Chile, a solidariedade se manifesta através dos países que enviam alimentos e dinheiro para os sobreviventes. Entretanto, é importante que sejamos solidários em todos os momentos da nossa vida. Se nós partilhássemos um pouco do que temos com alguém que passa fome, estaríamos exercitando o amor ao próximo e contribuindo para acabar com a fome no mundo. Se estiver sobrando alimento na nossa mesa é porque falta na de alguém.

É uma pena que nem todo mundo conheça a mensagem de Jesus que é libertadora. Segundo uma missionária católica que trabalha na África, três bilhões de pessoas nunca ouviram falar de Jesus. Se toda a população do mundo conhecesse a mensagem de Jesus e a colocasse em prática, o mundo seria muito mais humano, mais justo, e solidário. E não teria tanta gente passando fome, nem tantas guerras, que também são causas da fome no mundo.

O Evangelho de Jesus Cristo narrado por Lucas relata o milagre da partilha que é a multiplicação dos pães. (Lc. 9,10-17). Quando Jesus estava numa cidade chamada Betsaida, a multidão o seguia e Ele falava para ela sobre o Reino de Deus e curava os doentes. Como já estava ficando tarde os doze apóstolos pediram a Jesus que despedisse a multidão, para que ela fosse arranjar comida e procurar alojamento no povoado vizinho, pois estavam num lugar deserto. Mas Jesus disse que eram eles que tinham de lhes dar o que comer. Os discípulos disseram que só tinham cinco pães e dois peixes. E responderam que poderiam ir comprar comida, para toda a gente. Havia ali, mais ou menos cinco mil homens. Jesus pediu aos discípulos que mandassem o povo sentar em grupos de cinqüenta. Depois Ele pegou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu, pronunciou a bênção sobre eles e os partiu. Em seguida entregou para os discípulos que iam distribuindo para toda a multidão. Foram suficientes para que todos ficassem satisfeitos e ainda foram recolhidos doze cestos com os pedaços que sobraram.

O milagre da multiplicação dos pães ocorreu no deserto. O povo foi saciado pelo alimento que é dom de Deus. Mas Jesus deu oportunidade aos seus discípulos para organizarem o povo para que recebessem o alimento e ficassem saciados. Os discípulos se preocuparam em comprar alimento. Mas onde iriam arranjar dinheiro para comprar comida para tanta gente? E Jesus lhes disse: “vocês é que têm que lhes dar o que comer”. Como podemos entender essas palavras? O Evangelho é anúncio, cura e alimento material para todos. O que Jesus desejava era mudar a relação do poder de compra para uma relação de partilha. Pois quando cada um reparte o que tem, nem que seja um pouco, todos ficam saciados e ainda sobra. Diferente da acumulação, onde poucos têm tudo e a maioria nada. Jesus continua a anunciar o Reino de Deus através da palavra e da ação e mostra que é a favor da partilha e contra a acumulação.

Por que Jesus é contra a acumulação? A resposta é simples, é porque a acumulação gera a riqueza que cria a pobreza. Podemos afirmar que nos dias de hoje Jesus seria contra o capitalismo. Basta observar nesse relato, a quantidade de pessoas que acompanhava Jesus para ouvir suas palavras libertadoras. Toda essa multidão era de pobres que vinham depositar confiança e esperança nas palavras de Jesus, que falava tanto do pão espiritual, quanto do pão material.

Seria maravilhoso que hoje as pessoas fossem educadas para a prática da partilha em vez de acumular. Através da partilha as necessidades de todos seriam atendidas; saúde, educação, habitação, alimentação, justiça e paz. Era o Reino de Deus de que Jesus tanto falava. Ele queria transformar a sociedade individualista em uma sociedade de partilha.

Infelizmente a sociedade em que vivemos está impregnada de falsos valores como o ter, o poder e o prazer. Como seria bom se vivêssemos numa sociedade solidária, em que todos soubessem partilhar e distribuir as riquezas. Assim sendo, todos viveriam com dignidade, conforme a vontade de Deus.

Por Magali de Figueiredo Esmeraldo

BlogHumor: Pelo menos 10 coisas dessa lista você já fez – Por: Samuel P. Teles

1 – Ficar rabiscando alguma coisa enquanto fala no telefone.
2 – Pausar a música por 1 minuto e 1 hora depois perceber que ela ainda tá pausada.
3 – Todo fim de ano, dizer que o ano passou rápido
4 – Receber a prova, dar uma lida rápida por cima de todas as questões e pensar: ME LASQUEI!
5 – Responder: “Não” quando alguém te pergunta “Tudo Bem? só pra ter assunto pra conversa.
6 – Sempre quando está jogando vídeo game em uma parte muito importante sentir coçar o braço e o nariz
7 – Falar para a mãe do meu amigo, que estava sem fome, mas estava com muita fome.
8 – Ficar empolgado na hora de comprar o material pra começar o ano, e na primeira semana não aguentar mais aula.
9 – Ficar até o final do filme no cinema para ver se tem cena extra.
10 – Ter sempre a última folha do caderno rabiscada.
11 – Fazer um barulho com o pé/cadeira, parecer que foi um peido e continuar fazendo pra perceberem que não é o que estavam pensando.
12 – Tentar abrir a porta do carro no exato momento que ela está sendo destravada, não consegue tenta de novo e acontece a mesma coisa.
13 – Estar no meio de um sonho e saber que aquilo não é real , que é só um sonho.
14 – Fazer moicano, no banho, com o cabelo cheio de espuma.
15 – Lamber os dedos sujos de Doritos.
16 – Abaixar o som do PC achando que alguém estava te chamando, e não era ninguém.
17 – Entrar na farmácia só pra me pesar.
18 – Chamar o Faustão de gordo-chato, quando ele interrompe alguém
19 – Clicar com o botão direito no emoticon do MSN só pra ver o significado que a outra pessoa colocou.
20 – Ficar irritado quando a banda que você gosta vira modinha.
21 – Acordar 10 minutos antes do horário marcado no despertador e dormir de novo até ele tocar.
22 – Ficar comendo milho que sobra da pipoca.
23 – Colocar de volta a pontinha do lápis quando ele quebra e não tem apontador por perto.
24 – Trocar o toque do celular e ligar pra ele do fixo pra ver como ficou.
25 – Procurar alguma coisa loucamente e só achar depois que já desistiu de procurar.
26 – Salvar arquivos com o nome asdasfasfdasd por preguiça.
27 – Não olhar diretamente pra professora quando ela está perguntando algo pra turma ou chamando na frente, com medo de escolher voce.
28 – Sair do banho, notar que esqueceu a toalha e ficar gritando: ‘mããããe..!’
29 – Falar pro professor:”Tá, já entendi” mesmo que não tenha entendido. Só pra ele parar insistir em tentar te explicar.
30 – Apagar tudo que estava escrevendo, quando vê que a outra pessoa está digitando alguma coisa no MSN.
31 – Ficar desconfortável quando está assistindo TV ou um filme com os pais e começa uma cena de sexo
32 – Assistir a ‘Polishop TV’ quando não tem nada passando de mais interessante.
33 – Fechar a porta da geladeira devagar e ficar olhando para ver quando a luz apaga.
34 – Entrar no banheiro com a luz apagada, e quando sair, acender.
35 – Enviar o Relatório de Erros do Windows na primeira vez que viu isso, depois se dar conta que não adianta nada.
36 – Dar uma de DJ aumentando e diminuindo o volume do rádio.
 
Por: Samuel P. Teles

FUTEBOL:O JOGO FOI UM SACO…Por Wilson Bernardo.

CRATO(O saco) 3×2 BOA VIAGEM
O SACO quer dizer Testículos,isso mesmo irritado,com a torcida e principalmente com alguns diretores,o jogo foi marcado por um fato inusitado,o que seria comum,vindo de torcedores,o treinador,esvaziando os bolsos,e colocando os polegares para baixo,em virtude clara,de que os mesmos não estão recebendo salários e a partilha das rendas,em seguida em um gesto pra lá de obsceno,mostrou para torcida os tão inusitados o SACO…Valeu treinador,cada qual se manifesta com as armas que tem,os bem dotados é claro.Enfim o Crato vence apertado tal qual os sacos do treinador,nesta Terça o Crato vai a campo e enfrentara o Guarani de Juazeiro cidade vizinha,e preparem os senhores o SACO.
A TORCIDA aflita e o saco…

No final a lua nos presenteia uma tarde infeliz de SACO.
Wilson Bernardo(Texto & Fotografia)

AMEPS DEFINE: SÓMENTE PONTA DA SERRA CONSTARÁ DO SEU PROJETO EMANCIPATÓRIO

Aconteceu neste domingo, 28/02, de 9 hs, ao meio dia , mais uma Assembléia Geral Extraordinária da AMEPS- Associação do Movimento Emancipalista de Ponta da Serra, nas dependências do Pólo de Atendimento Vereador Edvardo Ribeiro da Silva, na sede deste distrito.

A reunião teve como pauta a discussão sobre a possível adesão de outros distritos ao movimento emancipalista, pleiteado até então pelo distrito de Ponta da Serra. Essa era uma idéia defendida por alguns membros da Associação, com também, pelo grupo político de Dom Quintino encabeçado pela família Brasil, que tem como seu líder maior o José Ailton Brasil.

Após as exposições das propostas defendidas pelas duas alas, a que defendia o projeto emancipalista com apenas Ponta da Serra e a que defendia a anexação de Dom Quintino e Monte Alverne, houve a votação, tendo sido vitoriosa a primeira, com o resultado de 24 contra 11 votos. Dessa forma, fica decidido que o projeto compreenderá apenas a área territorial do distrito de Ponta da Serra, que gira em torno de 116km2.

Dentre os argumentos mais consistentes da ala vitoriosa, esteve o fato de que Ponta da Serra, por si só, preenche todos os requisitos exigidos pela lei Complementar Nº 84 que regulamenta a criação de novos municípios no Ceará, aprovada e sancionada recentemente e o fato que a inclusão dos dois distritos viria causar percas substanciais ao município mãe, o Crato e , conseqüentemente, mais dificuldade no plebiscito, que será realizado em todo o município.

Esteve presente ao evento o Deputado Estadual Sineval Roque, que deverá ser o autor do requerimento, que por sinal fez seu pronunciamento reafirmando sua disposição em dar entrada ao projeto na Assembléia Legislativa. Estiveram presentes também os jovens Allekson Ramon Saraiva Cavalcante, Tales Macedo e Moacir Alves, ambos assessores dos deputados Vasques Landim, que subscreverá o requerimento, e do Deputado Federal Manuel Salviano. A AMEPS deverá solicitar o apoio de outros parlamentares com influência política na região.

Apesar do projeto de emancipação de Ponta da Serra está um pouco atrasado, visto que 38 distritos já deram entrada em seus projetos, até sexta – feira, 26.02, a AMEPS deverá concluir seu projeto até o final da semana.

Texto de Antonio Correia Lima

HISTÓRIA DO CRATO – Primeiros Habitantes

O Crato está situado na região do Cariri sul do Ceará , ao sopé da Chapada do Araripe. É irrigado, em grande parte, por dezenas de fontes perenes, brotadas daquela Chapada que o separa de Pernambuco. É causa principal da situação privilegiada, que sua natureza desfruta, em contraste com a caatinga ressequida que o circunda. Crato oferece uma feição original e bem caracterizada, quer se considere a sua fácies geográfica, quer as suas origens e sobrevivência étnicas, quer o seu aspecto social. A diferença entre a sua natureza e a da circunvizinhança é bem flagrante. Daí o filho do Cariri, apesar de bem interiorano, sentir que sua região é inteiramente fora do sertão propriamente dito. “Não fica satisfeito o caririense quando alguém o chama de sertanejo, e seu Cariri de sertão. Não toma a palavra sertão no seu sentido mais amplo, na acepção de zona do interior, afastada da faixa litorânea. O Cariri, do Ceará, é uma espécie de zona da mata pernambucana, ou dos brejos da Paraíba”. Procede a sua denominação e o de um dos ramos indígenas do Brasil, classificados pelo grande historiador cearense – Capistrano de Abreu, nestes oito grupos: TUPIS GUARANIS,GUAICURUS, NU-ARUAQUES , CARIRIS, GÊS ou TAPUIAS, CARAIBAS, PANOS e ETIAS. Os Cariris (KIRIRIS-SABUJAS de Ehrene¡ch) primeiros habitantes do Crato, estendiam-se do Paraguaçú ao Itapicuru e ai foram encontrados; desde os primeiros tempos da colonização. Senhoreavam, a princípio, o litoral nordestino, onde ainda os viram os portugueses. O nome, no dizer de Porto Seguro, significa TRISTONHO: CALADO, silencioso, outros, o que indica característica etnográfica tanto mais notável, quanto sabido que os outros índios eram terríveis, diz Rodolfo Garcia. (Estevão Pinto – OS INDÍGENAS DO NORDESTE). Esta família foi encontrada ocupando uma área não muito extensa, que se estendia do sul do Ceará ao centro da Bahia e do oeste de Pernambuco as quebradas orientais da Borborema. Mas, nem todo este território estava senhoreado pelas bordas Cariris: elas se tinham localizado nos melhores sítios, nas regiões mais férteis e menos áridas, nos vales frescos ou úmidos, como o que tem o seu nome, no Ceará , nas serras frescas, no vale do rio São Francisco às cabeceiras de alguns rios baianos, da drenagem atlântica, ao norte do rio das Contas. Viviam naquele âmbito, interpostos aos Cariris, tribos Gês, Tupi, fulnil, Tarairiú e outras de origem ainda não determinadas. Ao que se supõe, teriam chegado a esta região, vindos do norte, como era tradição entre eles, e do noroeste. O caminho provável, mais ajustado as condições de vida e a sua cultura neolítica, teria sido o curso navegável de rios caudalosos, no nosso entender o próprio Amazonas e o Tocantins.

Uma vez estabelecidos nas margens e ilhas do São Francisco, depois de algum tempo tiveram de expandir-se, premidos pela necessidade de espaço, com o crescimento das tribos, seguiram então levas para o norte, pela serra de Borborema até alcançarem o rio Salgado, afluente do Jaguaribe, no Ceará , onde foram ocupar o vale entre as serras do Araripe e de S. Pedro, abundante d’água, e todo o vale do rio Salgado, que era então perene. Possivelmente, ainda no Ceará, moravam em trechos limitados das bacias dos rios Cariris, dos Porcos ou Podi-mirim, Rio das Antas, do Rosário E.D. outros, afluentes do Rio Salgado. Viveram no oeste da Paraíba, nas cachoeiras do rio das Piranhas, nos melhores tratos da Serra da Borborema. Outras levas preferiram marchar para o sul e os Cariris, se espalharam pelos sítios mais férteis do oeste de Sergipe, por tratos bem escolhidos das bacias dos rios Itapicuru e Paraguaçu.

Quase nada se sabe da somatologia do Cariri, além de que tinha estatura baixa e cabeça curta. A sua cultura, porém, é bem melhor conhecida, como veremos oportunamente. Por enquanto, basta referir que, como neolítico, praticava a agricultura e usava uma cerâmica relativamente desenvolvida, embora bem inferior a dos Aruaques e Tupis. A família decompunha-se em 4 dialetos seguintes: 1) – Kipéa, na serra dos Cariris: 2) – Dzubucuá , no rio São Francisco; 3) – Camuru, falado na aldeia de Pedra Branca, na Bahia; 4) -Sabujá , na serra da Chapada, na Bahia. Estes dialetos foram mais ou menos estudados, especialmente os dois primeiros. Possivelmente, devem ter existido outros, que se perderam. Os índios dos Cariris Novos, no Ceará , provavelmente usavam um dialeto algo diferente dos referidos, como alguns topônimos deixam suspeitar. Há duas regiões nordestinas com a denominação de Cariri. Uma fica na Paraíba, em zona de natureza inteiramente diferente da do Ceará , e onde impera a caatinga braba, e outra, no sul do Ceará . A região cearense recebeu o nome de CARIRIS NOVOS, uma vez que foi conhecida e colonizada após sua homônima paraibana. Thomaz Pompeu Sobrinho, autoridade incontestável no assunto, de parecer que os primeiros grupos de índios Cariris estabeleceram-se no sul do Ceará, precisamente em Crato, provavelmente no IX e X séculos da era cristã. Vieram do São Francisco, onde teriam chegado no século IV e V, conforme o mesmo cientista e emérito pesquisador.O seu caminho foi o do Riacho da Brígida e do Pajeú, o mesmo que, em parte, seria utilizado pelos povoadores brancos, após a descoberta. Como sucedeu mais tarde com o colonizador, os recursos naturais da terra, com suas fontes a jorrarem perenemente, foram convite eficaz ao invasor aborígene a fixar-se na terra, de acordo com as primitivas condições de vida selvagem. De conformidade com Estevão Pinto, autor de INDÍGENAS DO NORDESTE, os Cariris dividiam-se, de acordo com os respectivos dialetos, nos grupos: Tremembés. Pacajus, Icós, Cariris, Carirés, Jucás, Jenipapos, Jandáias, Sucurus, Garanhuns, Chocós, FuIniês, Acenas, Romaria. Fora desses grupos havia os Calabaças, Curianês, Quixerês, Icosinhos, no Cariri Cearense e circunvizinha: (Pe. Antonio Gomes, A PROVINCIA, Crato).

Muito influíram antigos silvícolas na formação do Cariri. A própria habitação pobre e copiada, em parte, do aborígene e o mocambo, nome de origem africana, que nos veio de Pernambuco, feito de palha palmeira e as paredes de muitas, até do mesmo material, encontrem abundância nas intermináveis matas de babaçus do sul do Ceará. Em desconforto, pouco supera ao selvagem, o morador dos sítios dos subúrbios citadinos. Muitos dos utensílios domésticos nos vieram dos habitat primitivos das selvas. A cerâmica é filha ainda do tosco Cariri nato, as populações se servem ainda das cabaças, cuias e coités, qual os nossos remotos antepassados do mato. O pilão de socar urupemba, abano, esteira de palhas de palmeira e mil outras coisas que se integraram a civilização sertaneja e mesmo das capitais, vieram-nos do selvagem. A cultura da mandioca, com preparo da farinha, foi outra boa herança do índio. Evoluímos pouco no tocante ao seu preparo. Agora, que estamos introduzindo processo mais modernizado na fabricação da farinha, com a utilização do motor para o acionamento da roda do aviamento, o que já é melhoria no método da taba, conforme diz a maioria dos historiadores, a própria Missão do Brejo Miranda criou-se e cresceu à sombra da casa de farinha, em sistema mais rudimentar. As culturas do milho e do algodão foram também conhecidas do índio. No Cariri – Crato, tudo concorria à vida fácil e primitiva, com a natureza a fornecer, em abundância, a macaúba babaçú, piqui, araçá e outras frutas silvestres, além da caça farta das matas, tudo Isso, nessa espécie de paraíso terreal, com dezenas e dezenas de córregos, riachos ; extensos brejos. Restam ainda, sensíveis vestígios da vida do silvícola por estas passagens. Entre a praça da Sé, berço do Crato, e o atual prédio Universidade Regional do Cariri, foram encontradas em escavações alicerces, igaçabas e mais igaçabas. Infelizmente não se pode aproveitá-las inteiras. O trabalhador, ao descobri-las, julga estar diante de botijas, escondidas por ricaço da antiguidade, em sua fuga de lutas armadas constantes. Sem mesmo examiná-las cuidadosamente trata logo de arrebentá-las a enxadecos ou picaretas. Restam, apenas, daquele tesouro que cobiçavam, em sua vida de pobreza, ossos pulverizando-se, em parte, e cacos de barro, alguns com desenhos bem vistosos. Em todo o Vale Caririense, encontram-se colares de pedra sílex ou machadinhas de índios, aos quais o povo chama sempre de corisco. São bem feitos, contornados, atestando assim que seu possuidor já passava pela fase mais evoluída da pedra polida. Haveria inscrições em toda a zona.

Em Exu, município pernambucano, vizinho ao Crato, encravados em zona primitivamente povoada por índios da nação Cariri, na rodovia da ladeira da Gameleira, foram encontradas três igaçabas, que tiveram o mesmo destino das que sempre são descobertas nesta região – destruição. Numa delas, havia cachimbo de pedra entalhado com o máximo de perfeição, inteiramente em estilo incaico. Gameleira fica nas proximidades do chamado Exu Velho, povoação fundada por Capuchinhos e mais antiga que a Missão do Miranda, que deu origem ao Crato. O objeto, pelo bom acabamento, mostra que tivemos, em tempos remotos, povoadores mais adiantados do que o aborígene Cariri, que foi encontrado pelo colonizador, em fins do século XVII para o começo do XVIII. Também podia se dar o caso de sua importação com os índios Cariris, em sua migração da Amazônia para o Nordeste. O elemento autóctone vive, ainda, no meio, através dos seus topinimos de riachos, serras, povoados, fazendas, sítios e, sobretudo, na denominação de inúmeras espécies da rica flora e da fauna caririense , O indígena, que vivia aqui, como em outras importantes regiões nordestinas, era de bravura inexcedível e a significação de seu nome que alguém diz ser covarde, apelido que lhe fora dado pelos tupis, não passa de mentira indigna de registro. Terrível a resistência dos Cariris, diz Capistrano de Abreu em CAMINHOS ANTIGOS E POVOAMENTO DO BRASIL, talvez a mais persistente que os povoadores encontraram em todo o país. Para domá-los, foi preciso que os atacassem no Rio São Francisco, no Jaguaribe, no Parnaíba, por gente de São Paulo, da Bahia, de Pernambuco, da Paraíba, do Ceará. (Irineu Pinheiro – O CARIRI). Como vimos, até bandeirantes paulistas tiveram de romper longos e ínvios caminhos a fim de destruir os mais bravos indígenas que encheram as selvas do Brasil. E este destemor, provado em mil lutas e vicissitudes, ficou também em seu descendente, depois do caldeamento com o branco e, em pequena cota, com o negro. O mestiço do Cariri, pela sua afoiteza em lutas individuais, de cacete ou de facas, com o nó na camisa, ou nos movimentos típicos da guerra da Independência, dos campos do Paraguai, do desbravamento da Amazônia, nos embates contra a natureza hostil, e autêntico herói nacional. – digno de ser amparado pelos poderes públicos para que tanta energia indomável não venha a soçobrar, pela miséria coletiva.Lord Cochrane, o almirante inglês a serviço da independência do Brasil, chegou a conhecer alguns dos seus elementos, em Fortaleza, no mês de outubro de 1824, quando abafou a Confederação do Equador no Ceará . Tais índios, que acompanharam Filgueiras e Tristão Gonçalves até Fortaleza, durante os acontecimentos heróicos e trágicos de 1824, naturalmente procediam do Cariri, pois constituíam a gente de confiança com que sempre contaram eles nas memoráveis lutas de1822, 1823 e 1824.

As tribos pertencentes aos Cariris apareceram contra ou a favor, nas expedições de Garcia d’Avila, o bandeirantes da Casa da Torre e também acompanharam as duas facções em litígio na terrível luta entre as famílias Feitosa e Monte, responsáveis por muita sangueira nos sertões cearenses. Conforme afirma o Conselheiro Tristão de A. Araripe, os indígenas do Cariri e Inhamuns ficaram com a primeira, enquanto Calabaças e Icós agruparam-se em torno dos montes. O escritor Gustavo Barroso, secundando outros historiadores, Fala-nos de uma Confederação dos Cariris entre os séculos XVII e XVIII, a qual ia pondo em perigo .a colonização lusitana no Nordeste. O móvel principal da luta foi a guerra sem trégua que o índio fazia à criação que considerava caça comum e que podia ser abatida como qualquer animal do mato Vejamos pequeno trecho de Gustavo Barroso, que foi um dos maiores cronistas que o Ceará já possuiu, recolhida de seu livro póstumo ‘A MARGEM DA HISTÓRIA DO CEARA.’ “No Sul do Brasil, a famosa Confederação dos Tamoios, decantada em prosa e em verso, ameaçou a dominação portuguesa. No Nordeste, especialmente no Rio Grande do Norte e no Ceará , a Confederação dos Cariris, embora muito menos falada, quase destruiu, em seus fundamentos, a colonização lusa. Os Cariris eram uma nação indômita e inquieta, de língua travada, como se dizia, isto é, que não falava o idioma tupi. Habitavam o sertão, mas ao longo dos rios, de suas cabeceiras se estendiam até as proximidades da costa. Ocupavam a vastíssima região compreendida entre a margem esquerda do Rio São Francisco e as quebradas das serras do Araripe e da Ibiapaba. Combatidos pelos bandeirantes baianos da Casa da Torre de Garcia d’Avila, com eles as vezes se aliaram para dar caça a outros indígenas seus inimigos. Escuros, altos, membrudos, ornados de penas negras, carrancudos e tristonhos, figuram nos documentos antigos com os vários nomes de Cariris, Cariris, Kiriris e até Alarves. Essas denominações cabiam ao seu ramo principal. Com outros ramos do mesmo sangue. usavam apelidos diferentes. Evangelizaram-nos no alto do São Francisco, no século XVII, os capuchinhos franceses Martin de Nantes, Teodoro de Luci, Bernardo de Nantes, Boaventura de Becherel, Anastácio de Audieme e José de Ploermel. Deve-se ao primeiro a interessantíssima Relation succinte e sincére de la Mission du Pe. Martin de Nantes, prédicateur capucin, missionaire apostolique dans le Brasil parmi les indiens appelés Cariris. No Ceará , aldearam-nos, no século XVIII, os franciscanos italianos Carlos Maria de Ferrara, Francisco de Palermo e Joaquim de Veneza, os frades carmelitas fundadores de Missão Velha e Missão Nova e o jesuíta Jacob Cochle. Todavia, em 1780, restavam poucos descendentes dessas tribos bravias, que foram transferidos para as vilas de índios mansos das cercanias da sede da Capitania do Ceará : Paupina ou Messejana. Arronches ou Parangaba, Caucaia ou Soure, onde foram, dentro de algum tempo, absorvidos pela população local. O historiador cearense Catunda achava os Cariris de inteligência inferior e incapazes de receber o menor grau de cultura. Também os considerava mais antropófagos do que os outros índios e sem qualquer noção de propriedade. O Padre Mamiani que foi grande estudioso do Cariri afirma que ele não praticava a antropofagia e Beton que era hábil na tecelagem do algodão. Sua agricultura era bem desenvolvida . Conforme assegura Walter Pompeu, no CEARÁ COLÔNIA, o dialeto Cariri é extremamente simples e, como o Tupi, faltavam-lhe as letras do alfabeto F, L, J, Z, e V.

Fonte: O Crato Virtual – website construído por Dihelson Mendonça, Josane Garcia, Sérgio Ribeiro Bastos e Haoni Caiena em 1998, sob supervisão de Huberto Cabral para a administração Raimundo Bezerra. Agora, parte integrante da seção “História do Crato”, do Blog do Crato.

FUTEBOL – Crato Ganha em Jogo Emocionante – Amilton Silva

O Crato iniciou o luta pela classificação para o quadrangular final do segundo turno do campeonato Cearense, neste sábado, no Mirandão, diante do Boa Viagem. Apesar de ocupar a lanterna do campeonato cearense , o Boa Viagem, valorizou muito a vitória cratense, apresentando um bom futebol. Com uma presença de um pequeno público, a vitória foi de suma importância. O azulão começou a partida pressionando o seu adversário, e logo aos 4 minutos , abriu o placar com seu artilheiro Djalma , em cobrança de falta,após perder vários gols para ampliar o marcador, mas, numa falha da defesa cratense o Boa Viagem conseguiu o empate aos 15 minutos com gol do veterano Esquerdinha, aos 43 minutos Rodrigo virou para os visitantes. Com as mudanças efetuadas pelo seu treinador, o Crato pressionou o adversário durante todo segundo tempo disperdiçando uma oportunidade de sair com goleada histórica.Chininha que entrou após o intervalo marcou logo aos quatros minutos o gol de empate, já nos acréscimos Chininha marcou o gol que deu a vitória ao Crato. O principal jogador da equipe, o meia Djalma , em jogada faltosa, foi expulso a um minuto do final da partida, e desfalca a equipe na próxima terça feira , contra o Guarani de Juazeiro , no Mirandão. Mais duas partidas foram realizadas na tarde e noite de ontem, pela primeira rodada do segundo turno , O Limoeiro recebeu a visita do Maranguape e perdeu por 1 X 0, o Ceará venceu por 1 X 0 o Itapipoca, gol marcado por Esley aos 14 minutos do segundo tempo.

Fortaleza e Guarany de Sobral decidem hoje o primeiro turno do campeonato Cearense, o jogo será realizado no Castelão.
Campeonato Carioca
Foi aberta neste sábado o segundo turno do campeonato Carioca:
RESENDE 0 X 3 BANGU
MADUREIRA 1 X 2 BOA VISTA
MACAÉ 1 X 4 FLAMENGO
AMERICANO 1 X 3 BOTAFOGO

Jogos que completam a rodada neste domingo:

FLUMINENSE X FRIBURGENSE
DUQUE DE CAXIAS X AMERICA
OLARIA X TIGRES
VASCO X VOLTA REDONDA

Cearense Segunda Divisão

O Icasa venceu na noite de ontem no Romeirão, a Desportiva Tauá por 3 X 2. Uma boa presença de torcedores foi registrada naquela praça de esporte.Panda e Pantico duas vezes , marcaram para o Icasa , descontaram para o Tauá Rômulo e Netônio. São Benedito 4 X 1 Uniclinic, Arsenal 0 X 0 Tiradentes e Nova Russas 6 X 0 Aracati completaram a rodada nona rodada. Na segunda feira , o Caucaia fecha a rodada diante do Trairiense.

Por: Amilton Silva – Editor de Esportes do Blog do Crato

D. Maria do Céu faz Homenagem especial ao Dr. Haroldo Máximo

IMG_1138-650

Por ocasião da cerimônia de entrega do Título de Cidadão Cratense ao ilustre desembargador Dr. Haroldo Máximo, uma voz altiva e feminina fez-se notar no Teatro Municial Salviano Saraiva. Sua voz firme e convicta, que demonstrou um caráter incontestável se fez perceber dentre os presentes. Enquanto vinham discursos e mais discursos, D. Maria do Céu foi destaque à parte, e por isso mesmo, trazemos aqui esta pequena foto ante a grandiosidade daquele momento, que registra o seu belo discurso, empolgado e que exaltou com todas as letras a dignidade e a honra dos homenageados. Além de parabenizar ao Dr. Haroldo, que passa a ser um cidadão cratense de fato e agora, de direito, quero exaltar aqui nesta pequena mensagem, essa mulher, que de um pulso firme e verdadeiro, proferiu palavras tão belas na cerimônia. Parabéns, D. Maria do Céu.

Dihelson Mendonça
Editor do Blog do Crato

O discurso de Marina Silva é um ‘convite’ à reflexão – Postado por Océlio Teixeira

Candidata à presidência a bordo do minúsculo PV, Marina Silva injetou no debate sucessório o tema mais relevante já abordado até agora: a governabilidade. Marina diz que, se fosse eleita, promoveria um “realinhamento histórico”. Governaria “com os melhores do PSDB e os melhores do PT”. Para ela, “enquanto o PT e o PSDB não conversarem, vai ficar muito difícil assegurar uma governabilidade”.
Corta para o ano de 1978. Fervilhava uma atmosfera de abertura política, conduzida pelo genral Ernesto Geisel. Na região do ABC paulista, a cena sindical era sacudida por líder irrequieto: Lula. Era um Lula diferente do atual, sem engajamento partidário. O Lula de então espantava os líderes políticos tradicionais com seus desafios às estruturas ideológicas convencionais.
Naquele mesmo ano, um professor universitário de verniz esquerdista foi convencido a disputar uma cadeira no Senado: Fernando Henrique Cardoso.Deu-se numa reunião na casa do amigo José Gregori. Presentes, Francisco Weffort, Plínio de Arruda Sampaio e Almino Afonso, ex-ministro de João Goulart. Após duas horas, FHC topou ir às urnas. Precisou da ajuda do amigo Flávio Bierrenbach para descobrir onde funcionava o MDB, partido ao qual se filiaria.
FHC obteve 1,27 milhão de votos. Não foi eleito. Mas tornou-se uma novidade da política. Na campanha, fora cortejado por artistas e intelectuais. Melhor: o professor construíra uma ponte entre a academia e o universo sindical comandado por Lula.
A despeito da ojeriza que nutria por políticos, Lula atuara como cabo-eleitoral de FHC na porta das fábricas. Um dos coordenadores de boca-de-urna de FHC era um estudante de pós-graduação de economia: Aloizio Mercadante.
Corta para 1992. Sob Fernando Collor, o Brasil se preparava para um plebiscito. O eleitor decidiria entre o presidencialismo e o parlamentarismo. Lula foi ao apartamento de FHC, no bairro paulistano de Higienópolis. Presente, além do anfitrião, Tasso Jereissati, então presidente do PSDB. A trinca pôs-se a discutir os rumos plebiscito que poderia converter o Brasil numa nação parlamentarista já em abril do ano seguinte.
Decidiu-se que Lula e Tasso correriam o país em defesa da causa parlamentarista. Iriam às universidades e aos sindicatos. Visitariam os donos de jornais. Fizeram segredo da segunda parte do plano: as viagens serviriam para preparar o terreno da sucessão presidencial seguinte. O PSDB apoiaria a candidatura de Lula. Indicaria o vice. Juntos, PT e PSDB negociariam o nome do primeiro-ministro. Lula e FHC pareciam, então, fadados a fazer política juntos. Na memória de Lula, estava fresca a imagem do tucanato no seu palanque, no segundo turno da sucessão de 1989, que perdera para Collor. Na cabeça de FHC, permaneciam intactos os ideais do professor de 1978, que animara o líder sindical a fazer campanha para ele nas fábricas.
Retorne-se a Marina Silva e à cena de 2010: “Devíamos ser capazes de estabelecer uma governabilidade básica, onde o PT e o PSDB digam: ‘Naquilo que é essencial para o Brasil, nós não vamos colocar em risco a governabilidade’. O Brasil é maior que essas picuinhas”. Difícil ignorar a verdade escondida atrás das considerações da candidata do PV. Escravos das picuinhas, tucanos e petistas tornaram-se inimigos irreconciliáveis.
Somando-se os dois mandatos de FHC ao par de gestões de Lula, PSDB e PT governam o país há 16 anos. Naquilo que realmente importa, a gestão da economia, Lula manteve o que FHC iniciara. Preservou-se a estabilidade que permitiu ao Brasil dar um salto. Porém, a pretexto de assegurar a “governabilidade”, ambos ligaram-se ao que há de mais arcaico na política. Produziram escândalos em série.
Hoje, PSDB e PT dedicam-se a esfregar na cara um do outro as perversões que nutriram durante anos. Lula covida ao plebiscito: “Nós contra eles”. Em artigo, FHC aceita o desafio. Mas parece mais empenhado em desqualificar a candidata oficial: “Boneca de ventríloquo”, “autoritária”, etc.
A julgar pelas pesquisas, o Brasil será presidido, a partir de 2011, por um tucano, José Serra. Ou por uma petista, Dilma Rousseff. “realinhamento histórico” de que fala Marina Silva tornou-se coisa utópica, irrealizável. Arma-se a continução da gincana de lama. Cedo ou tarde virá um novo mensalão.
Escrito por Josias de Souza
Fonte: Blog do Josias

Morre aos 95 o bibliófilo José Mindlin – Postado por Océlio Teixeira

Morreu na manhã deste domingo, em São Paulo, o bibliófilo José Mindlin.Ele tinha 95 anos e estava internado há cerca de um mês no hospital Albert Einstein. A morte foi causada por falência múltipla de órgãos. O corpo do bibliógrafo está sendo velado no hospital e o enterro está marcado para as 15h no Cemitério Israelita.
Em 2006, Mindlin entrou para a Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a cadeira número 29, antes pertencente ao historiador e escritor Josué Montello.
José Ephim Mindlin nasceu em São Paulo em 8 de setembro de 1914. Formou-se em Direito em 1936, pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.
Advogou até 1950, quando foi um dos fundadores e presidente da empresa Metal Leve S/A, empresa pioneira em pesquisa e desenvolvimento tecnológico próprio no seu campo de atuação. Em sua atividade empresarial desenvolveu grande esforço em prol do avanço tecnológico brasileiro e no processo de exportação de produtos manufaturados brasileiros.
Mindlin foi dono de uma das mais importantes bibliotecas privadas do país, que começou a formar aos 13 anos e, no ano passado, doou cerca de 45 mil volumes, entre coleções e folhetos, para a Brasiliana USP, no campus da universidade, em São Paulo.
Eder Medeiros/Folha Imagem
Fonte: Folha de São Paulo

Maioria dos alunos que concluem ensino médio em SP têm avaliação ruim em matemática – Postado por Océlio Teixeira

Nota: Segundo o Secretário de Educação de SP a culpa é dos docentes. Ou seja, os professores são sempre os culpados. O Estado tá toda a infraestruta necessária, paga bons salários, valoriza o magistério, enfim, não tem culpa nenhuma. Será? Vejam o comentário.
Os alunos da 3º série do ensino médio apresentaram redução de rendimento na disciplina de matemática no ano de 2009 em comparação a 2008, segundo dados do Saresp (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo). Ao todo, 58,3% dos estudantes que concluem o ensino médio têm conhecimento insuficiente.
De acordo com os dados apresentados nesta sexta-feira pela Secretaria Estadual de Educação, os alunos que concluíram o ensino médio recuaram 4,4 pontos na escada de avaliação de rendimento do Saresp, com 269,4 contra 273,8 apresentados no ano anterior em uma escala que varia de zero a 500.
Além disso, a porcentagem de alunos que se enquadram no nível insuficiente (abaixo do básico) subiu quatro pontos percentuais, de 54,3% para 58,3%. Dessa forma, conclui-se que mais da metade dos alunos que concluíram o ensino médio no Estado de São Paulo não sabiam o conteúdo básico da disciplina de matemática.
Já os alunos que apresentaram conhecimento suficiente (básico ou adequado) caiu mais de 4%, variando de 45,3% em 2008 para 41,2 no ano passado. Os alunos que se enquadram no nível de conhecimento avançado teve alteração de apenas 0,1% para cima, indo de 0,4% para 0,5%.
Para o secretário estadual de Educação, Paulo Renato Souza, a queda no rendimento dos alunos do ensino médio em matemática acontece devido a inúmeros fatores, como a rebeldia dos alunos, complexidade do conteúdo lecionado nesta série e a falta de preparo dos professores.
O secretário ainda ressaltou que os professores que lecionam matemática no ensino médio foram os que apresentaram maior defasagem de conteúdo em avaliações, e acrescentou que a avaliação poderá auxiliar a secretaria apontando os principais pontos de defasagem no aprendizado da matemática pelos alunos.
Apesar do recuo registrado no desempenho dos alunos da 3º série do ensino médio, os estudantes da 4º e da 8º série do ensino fundamental tiveram melhora nos índices de rendimento. No caso dos alunos da 4º série, a elevação do índice foi de 10,8 pontos na escala, saltando de 190,5 para 201,3. Já os da 8º série, foram dos 245,7, em 2008, para 251,5 no ano passado.
Português
Já a avaliação do desempenho dos estudantes em língua portuguesa teve melhoria em todas as séries, com destaque para os alunos da 4º série que tiveram elevação de 10,4 na escala de avaliação da secretaria, subindo de 180 para 190,4. Além disso, a porcentagem de alunos nos níveis suficiente (de 66,8% para 68,8%) e avançado (6,5% para 10,3) apresentaram elevação, enquanto os insuficientes registraram queda.
Os alunos da 4º e 8º série do ensino fundamental, além dos que cursavam a 3º série do ensino médio no ano passado, fizeram também as provas de história e geografia na prova do Saresp realizada em novembro de 2009. Apesar disso, a secretaria afirmou ainda não possuir os resultados consolidados das duas disciplinas.
Reportagem de FERNANDA PEREIRA NEVES
Fonte: Folha de São Paulo

A tênue fibra do desejo – Por : J. Flávio Vieira


Por : J. Flávio Vieira

Deve ter sido aquela vocação evangelizadora tão própria das mulheres. Sabia que o noivo gostava de uma farra, apreciava um carteado e aquele conversa interminável com os amigos. Imaginou, no entanto, que com a força do amor, alinharia aquela árvore torta. Terminaria por domesticar aquele animal selvagem com a ração diária, com os agrados de fêmea, com a hipnose cotidiana. Imaginou que o lar com seus pesados atributos : filhos, contas e o magnetismo da TV apreenderiam aquele ave inconstante, sem que ao menos ela percebesse as tariscas da gaiola. O tempo, no entanto, acabou por mostrar a D. Gertrudes que não existe coisa mais difícil de moldar neste mundo que a delicada fibra óptica do desejo. Ludugero mostrou-se sempre um pai carinhoso e um marido exemplar. Trabalhava duro numa pequena panificadora que adquirira. Ofício árduo de despertar madrugadino , onde diariamente rivalizava com o alvorescente canto dos galos e com a sangria dos primeiros raios do sol.Entre uma bolacha e um pão de ló, entre um passa-raiva e um manzape, ia Ludugero tocando a vida. Os arraigados hábitos antigos, no entanto, permaneceram indeléveis, imunes às pregações de D. Gertrudes. Nas sextas e sábados saía para um barzinho com os amigos e viravam a noite num carteado interminável regado a cerveja , a reminiscências e fofocas.

A última válvula de escape de Ludugero, uma espécie de prozac natural que usava para escapar da doideira do dia a dia. Gertrudes, no entanto não se conformava: vivia a implicar com a vida noturna do marido. Fazia-o insidiosamente, uma vez que entendia : os antecedentes criminais do marido precediam ao matrimônio. Ludugero já por mais de uma vez lhe havia jogado na cara: –Meu bem, você sabia que eu gostava de um joguinho, por que diabos casou comigo, não procurou um cardeal , um monge, um santo… ? Havia , no entanto, uma outra razão para a implicância da mulher: ela temia que, varando as noites entre uma birita e outra, em meio aos ases, aos valetes, terminaria por aparecer algumas damas ou uma rainha de paus. Por trás de tudo, sobrenadava o ciúme e a desconfiança de D. Gertrudes.

A água mole bateu na pedra dura, mas não a furou. Todo final de semana , para o crescente desespero da esposa, Ludugero escapava lépido para o jogo. Um dia, por fim, encheu-se até a tampa da caçarola da paciência D. Gertrudes. Antes de ver o marido vestir-se, numa sexta-feira, para as funções lúdico-etílicas do final de semana, articulou o plano meticulosamente preparado durante o mês. Deixou os filhos na casa da sogra e arrumou-se toda, com um vestido tubinho preto. Quando o marido pensou em despedir-se, como de costume, ela saltou de lá e o surpreendeu:
— Amor, hoje eu vou com você. Estou doidinha para ver um jogo de cartas!

Gertrudes disse isto, sem tirar os olhos do semblante do marido, esperando o protesto, a popa. Ludugero, no entanto, para sua surpresa, não se alterou, apenas lembrou que o programa podia ser chato e cansativo para ela, mas que ficava feliz, não tinha nenhum problema. Como era de se esperar, a programação não podia ser mais pesada. A esposa sentou a um canto, numa cadeira desconfortável, no Bar do Giba. A conversa varou a noite, regada a cerveja e baralho. Futebol, política, fofocas . À medida que as horas se iam escorrendo, para o terror de Gertrudes, os circunstantes iam ficando mais animados, falando mais alto , discutindo com muito mais fervor. Lá pras cinco horas da manhã a esposa compreendeu que eles tinham ainda fogo na caldeira para mais uns dois dias. Estava já escornada, cansada, com todos os músculos doendo. Chamou então Ludugero e o suplicou:

— Pelo amor de Deus, me leve para casa que eu já não agüento mais, estou morta de cansada e já não consigo nem ficar em pé…
Ludugero, então, solícito, pediu um tempinho aos amigos , tomou a mulher pelo braço e a levou para o aconchego do lar. Não sem antes lembrar:
— Ta vendo, mulher, você vem uma veizinha e fica assim parecendo que caiu de um avião. Isto é para você ter uma idéia do meu sofrimento que passo por este suplício todo fim de semana…

Por : J. Flávio Vieira

Dia mundial contra as LER – Por Beto Fernandes

Neste dia 28 de fevereiro, é o Dia internacional de prevenção das LER (Lesões Por Esforços Repetitivos) também chamada de DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). A data foi criada no Canadá por um grupo de trabalhadores Lesionados em 28 de fevereiro de1995 e o conjunto de enfermidades abrangido pelas LER/Dort representam a grande doença profissional deste século 21. Há quem diga que é semelhante as doenças respiratórias e os desabamentos para os mineiros de carvão do início da Revolução Industrial.
As LER foram detectadas pela primeira talvez pelo médico italiano Bernardino Ramazini em 1700 nos escribas, secretários de príncipes. As causas eram sedentarismo, pressão para não manchar os livros e movimentos repetitivos.

A Revolução Industrial tem papel importante no cenário econômico mundial. Com o desenvolvimento de novas tecnologias, muitas indústrias foram criadas e a maneira do trabalhador desempenhar sua função sofreu alterações significativas, aumentando o número de casos de LER. As fontes que comprovam os dados podem ser encontrados na Literatura Médica Mundial.
Nas últimas décadas, novas alterações no mundo do trabalho foram sentidas pelos trabalhadores, com a introdução da informatização em todos os setores. Esse advento contribuiu para que aumentasse a incidência das LER em âmbito mundial.
A doença invisível
Por que dizer da invisibilidade das LER/Dort? Porque o diagnóstico dessa doença é de difícil comprovação, causando sérios problemas para os trabalhadores acometidos, como também para os empresários.
Na organização do trabalho os obstáculos são inúmeros, os empresários que optam por implementar programas de prevenção enfrentam dentro da própria empresa o preconceito de alguns chefes e de alguns trabalhadores. Os protagonistas da mudança são os empresários, os trabalhadores, e principalmente o chefe que tem um papel fundamental na prevenção de todas as doenças do trabalho.
A nomenclatura LER é empregada pelo INSS para designar as seguintes doenças: tenossinovite, tendinite, bursite, entre outras que atingem milhares de trabalhadores, no auge do seu desempenho laboral.
A globalização contribuiu para que as LER/Dort se tornassem as doenças de maior prevalência entre as relacionadas ao trabalho no Brasil de hoje. De acordo com o INSS, elas são a segunda causa de afastamento do trabalho no país. Individualmente causam muito sofrimento, incapacidades e longos períodos de afastamento com benefícios e indenizações.
Somente em São Paulo existem 310 mil trabalhadores com diagnóstico de LER firmado por médicos. Isto quer dizer que em cada cem trabalhadores existe um com LER.
As LER/Dort atingem o trabalhador no auge de sua produtividade e experiência profissional. Existe maior incidência na faixa etária de 30 a 40 anos, e as mulheres são as mais atingidas.
As categorias profissionais que encabeçam as estatísticas são bancários, metalúrgicos, digitadores, operadores de linha de montagem, operadores de telemarketing, secretárias e jornalistas.
No primeiro ano de afastamento do funcionário, as empresas gastam entre R$ 60.000,00 a R$ 89.000,00, conforme dados fornecidos pelo INSS, entre encargos sociais, complementação salarial, pagamento ao funcionário temporário que irá suprir o trabalhado do lesionado durante o seu afastamento.
O fisioterapeuta do CEREST (Centro Regional de referência em Saúde do Trabalhador) Marconiedson Sampaio esteve concedendo entrevistas as emissoras de rádio das cinco regionais de saúde que estão na área de cobertura do Centro, Juazeiro, Crato, Brejo Santo, Icó e Iguatu enfocando esse tema. Ao longo desta semana ocorrem palestras educativas em industriais calçadistas do Cariri. Na quarta-feira, dia 3, haverá palestra para funcionários do Hospital Santo Antonio em Barbalha sobre LER e ergonomia física enfocando postura no trabalho, manuseio de materiais, movimentos repetitivos, segurança e saúde.


Por Beto Fernandes

Número de mortos por terremoto que atingiu o Chile já supera 300

O número de mortos devido ao terremoto que hoje assolou a região do centro e sul do Chile já supera os 300, segundo a diretora do Escritório Nacional de Emergência (Onemi), Carmen Fernández. Cermen assegurou que o número de mortos aumentará à medida que as equipes de emergências forem tendo acesso a mais lugares. Ela acrescentou que até dentro de 72 horas se conhecerá a “dimensão total” do terremoto, que o ministro do Interior, Edmundo Pérez Yoma, qualificou como “um cataclismo de dimensões históricas”. “Desde o ano de 1960 (data do terremoto de Valdivia, o maior da história, de 9,5 graus Richter) nunca tínhamos tido um terremoto assim”, disse Pérez Yoma, acrescentando que as autoridades esperam “ter um país mais normalizado” nas próximas 48 ou 72 horas. O tremor deste sábado, de mais de 8 graus na escala Richter (8,3 segundo o Escritório Nacional de Emergência do Chile e 8,8 segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos), abrangeu desde a região de Valparaíso (centro) até a dos Lagos (sul), ao longo de uns mil quilômetros da geografia chilena.

As regiões mais afetadas, segundo os dados reunidos até agora, são as de Maule, onde foi situado o epicentro do tremor, a 300 quilômetros de Santiago e de Bio-Bio, a 500 quilômetros da capital. Entre as vítimas estão cinco habitantes do arquipélago de Juan Fernández, cerca de 600 quilômetros do litoral chileno, onde também foram reportados 11 desaparecidos quando uma enorme onda penetrou no principal povoado desse território insulano. Enquanto a Marinha descartou que se tratasse de um tsunami, Carmen o considerou assim, por causa de um comportamento anormal do mar.

“Eu o denomino tsunami. Agora, se os técnicos, geofísicos quiseram denominá-lo de outro modo, acho que corresponde a outra competência. O importante é que nos gerou dano em regiões como Juan Fernández, onde o tremor não foi percebido”, disse. “Portanto, dá no mesmo como se chame”, acrescentou a diretora da Onemi, a quem o presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera, pediu para permanecer no cargo depois do dia 11 de março, data da mudança de comando presidencial no país, com o objetivo de enfrentar de melhor maneira a situação gerada pelo terremoto. O ministro do Interior, por outro lado, apelou para que o povo não comprasse provisões ou gasolina de maneira exagerada, assegurando que o abastecimento desses produtos estivesse assegurado e não houvesse escassez.

“Esse problema não temos”, assegurou Pérez Yoma, dizendo que o principal problema a ser solucionado é reparar as estradas danificadas para normalizar o tráfego de pessoas e mercadorias.

Capital

A capital Santiago, a cerca de 320 quilômetros do epicentro, foi atingida duramente pelo sismo. O aeroporto internacional está fechado por a menos 24 horas uma vez que o terremoto destruiu calçadas e quebrou vidros de portas e janelas. O metrô da capital foi fechado e os transportes ficaram limitados por causa das centenas de ônibus que ficaram presos devido a uma ponte que foi danificada pelo tremor. Um prédio de 15 andares desmoronou em Concepción, a maior cidade mais próxima do epicentro do tremor de magnitude 8,8 e que possui cerca de 670 mil habitantes. Carros foram virados e soterrados por uma ponte que caiu na capital Santiago. Linhas de telefonia e de energia caíram, tornando difícil identificar o tamanho do estrago e das perdas de vidas causados pelo terremoto. Em 1960, o Chile foi atingido por um terremoto de magnitude 9,5, um dos mais fortes já registrados. O tremor devastou a cidade de Valdivia, matou 1.655 pessoas e causou um tsunami que atingiu a Ilha da Páscoa, distante 3.700 quilômetros da costa chilena. A onda continuou e chegou ao Havaí, Japão e Filipinas. As ondas que chegaram nas Filipinas demoraram cerca de 24 horas para atingir o país.

O terremoto deste sábado foi sentido em São Paulo e também nas Províncias argentinas de Mendoza e San Juan. Uma série de abalos subsequentes atingiram a região costeira do Chile.

Fonte: Folha OnLine

Meu Cariri, Terra Bela e de muito Potencial – Por: José de Arimatéa dos Santos

O cariri é uma região privilegiada em praticamente todos os aspectos. Ao sair do cariri com destino a Fortaleza pude observar a diferença dessa região com outras regiões do estado do Ceará. É impressionante a beleza natural que encanta e enche os olhos de qualquer ser humano que possa ter a oportunidade de conhecê-la. As principais cidades Barbalha, Crato e Juazeiro do Norte praticamente já se juntaram. É tanto que já é uma região metropolitana. A região metropolitana do Cariri. Que cresce a passos largos, fruto do brio e valentia de seu povo, mesmo com enormes diferenças. Mas isso não impede o progresso do cariri em um todo. No final todos saem ganhando.


Juazeiro do Norte é a cidade do cariri que é mais conhecida no país devido as romarias em homenagem ao Padre Cícero. Figura central que fez do Juazeiro uma terra de progresso e muito trabalho para quem se deslocou para morar nessa terra. A religiosidade em torno do Padre Cícero torna o município o centro de peregrinação no nordeste brasileiro. Fato que transforma a cidade num polo de investimento de muita envergadura que só faz bem para toda a região do cariri. Pude ver in loco o quanto Juazeiro cresce e com isso toda região caririense acompanha esse desenvolvimento.


Barbalha(minha terra) é cidade conservadora em todos os aspectos, mas cresce e com o crescimento certos preconceitos vão sendo derrubados de forma acachapante. Já foi uma cidade industrial e atualmente vê-se o crescimento do comércio. As manifestações folclóricas tem o mês de junho como o ápice e transfomam Barbalha no centro de cultura e em louvores a Santo Antônio. Mas antes o início da festa se dá com o carregamento do Pau da Bandeira de Santo Antônio. Momento único de fé e cultura nacionalmente conhecido. Crato sem sombra de dúvidas é a cidade da cultura e do conhecimento. Faz do cariri um polo irradiador de educação que transforma e influencia o pensamento de cidadãos do estado Ceará e mais dos estados vizinhos. Mas não é só isso. Tem um povo acolhedor e alegre que faz qualquer visitante dessa belíssima cidade se sentir em casa e ter a obrigação de fazer propaganda (da cidade do Crato) aonde estiver. A feira do Crato é famosa desde sempre. Desde pequenino ouço falar da importância econômica e cultural dessa feira. E é uma cidade belíssima que só orgulha seus filhos. Tem também um comércio pujante e em franco desenvolvimento.

Depois desse arrazoado, quero reforçar a ideia que o cariri tem potencial enorme para o turismo. Basta nos ater ao grande potencial da chapada do Araripe e seus recursos naturais e geográficos. As fontes de água que jorram a todo instante é um dos cartões postais. Além do pé da serra que tem uma beleza sem igual. O verde é o cartão de visita que impressiona e transforma o cariri numa terra de investimentos e oportunidades. Porém é necessário que esse desenvolvimento seja sustentável e que respeite o meio ambiente. Respeite-se o homem caririense que sobrevive e tira seus sustento da chapada do Araripe. Enfim, o cariri é uma região que tem tudo para crescer e fazer a verdadeira inclusão de todos os caririenses.
José de Arimatéa dos Santos

Fotos e Texto: José de Arimatéa dos Santos

Assinatura da Órdem de serviço das escadarias será nesta segunda-feira (1)

NE – Este comunicado é da Assessoria de Imprensa do Deputado Sineval Roque

O governador Cid Gomes e o secretário das Cidades, Joaquim Cartaxo, assinam na próxima segunda-feira (1) a ordem de serviço para construção das escadarias e da proteção de encostas nos bairros Pinto Madeira e Seminário, no Crato. O evento acontece às 19 horas, primeiro na Rua Teopitso Abath e em seguida às 20 horas, na Rua Travessa Aurora.

O projeto de construção das escadarias é fruto de uma proposta de emenda parlamentar de autoria do deputado estadual Sineval Roque (PSB), apresentada em 2007. Nos últimos dois anos o projeto passou por algumas modificações e melhorias. O primeiro orçamento, no valor de R$ 270.000,00 foi realizado pelo Departamento de Edificações de Rodovias do Crato. Em dois mil e nove o projeto foi refeito pela Secretaria das Cidades do Estado. “Como se trata de uma área de risco, o projeto da obra ganhou concreto armado, moderno sistema de iluminação, corrimão, muro de contenção de erosão e área de descanso”, explica Sineval Roque.

O orçamento da obra passou então para R$ 548.357,15 e foi aprovado pelo Governo do Estado. A encosta do seminário sofre com um grave problema de erosão, o que coloca em risco um grande número de famílias que hoje residem no local. Com a construção das escadarias, além de minimizar o problema da erosão, vai facilitar a entrada e saída de pessoas no local.

Serviço
Evento: Assinatura da ordem de serviço das escadarias
Local 1: Rua Teopisto Abayh (perpendicular a Avenida Dom Francisco), bairro Pinto Madeira.
Horário: 20 horas
Local 2: Rua Travessa Aurora (esquina com a Padre Lemos), bairro Seminário
Horário


Informações
Rafael Noronha – Assessoria parlamentar (88) 9272.
Sangiorgy Ribeiro – Assessoria parlamentar (88) 9928.0236
Karol Martins – Assessoria de imprensa (85)8848.8321/3277.2562

A Noite Máxima do Doutor Haroldo – O Novo Cidadão Cratense ! – Cobertura Fotográfica


Nota do Blog do Crato – Parabéns ao Dr. Haroldo Máximo, que passa a ser cidadão Cratense agora de fato e de Direito!

O Desembargador Haroldo Máximo recebeu na noite de ontem ( 26 ), no Teatro Municipal do Crato, o título de cidadão Cratense. A comenda foi outorgada pela Câmara Municipal do Crato, pela iniciativa do vereador Florisval Coriolano. Cerimônia belíssima, marcada pela presença de autoridades, juízes, familiares e conterrâneos do homenageado, que nasceu na cidade de Farias Brito, mas realizou os seus estudos em Crato, estudando na escola São João Bosco, Colégio Diocesano, e também exerceu o título de Juiz aqui no Cariri. Num discurso emocionado, Dr. Haroldo agradeceu a outorga recebida, e valorizou a cidade do Crato na sua vida e na sua extensa carreira. A cerimônia foi conduzida pelo jornalista Huberto Cabral, e pelo Presidente da Câmara de Vereadores, José Helder França. Após a cerimônia, foi servido um Cocktail aos presentes, no salão do teatro Municipal Salviano Saraiva.

Na foto abaixo, o prefeito Samuel Araripe faz a entrega do título de cidadão cratense ao Doutor Haroldo Máximo sob fortes aplausos da platéia e das autoridades presentes.

Haroldo Máximo e Samuel Araripe - Cidadão Cratense - Crato
Dr. Haroldo Máximo em Crato

Dr. Haroldo Máximo recebeu diversas homenagens de colegas e amigos, que lembraram episódios da sua vida e da sua carreira.

Dr. Haroldo Máximo em Crato

Na foto abaixo, o Prefeito Samuel Araripe, Dona Maria do Céu, primeira Dama Mônica Araripe, e o presidente da câmara de vereadores José Helder de Oliveira França ( Guer ).

Dr. Haroldo Máximo em Crato

Na foto abaixo, a presença marcante do Deputado Sineval Roque ( esq. )

Dr. Haroldo Máximo em Crato e Sineval Roque

Fotos da platéia:

Dr. Haroldo Máximo em Crato

IMG_1064

Primeira Dma Mônica Araripe e Dona Ivone, esposa do Desembargador Haroldo Máximo

IMG_1148

E aqui está uma presença muito ilustre: O grande Comerciante e Apoiador do Blog do Crato, Valdemir Correia e seu filho, que também estiveram presentes na cerimônia e no Cocktail servido aos presentes:

Valdemir Correia e Filho

A presença marcante também de Manoel Patrício de Aquino ( esq. )

Nezinho Patrício e Haroldo Máximo

Fotos: Dihelson Mendonça

É proibida a cópia e reprodução do material apresentado sem a autorização expressa do autor, que pode ser contactado pelo e-mail blogdocrato@hotmail.com

Direitos Autorais – Blog do Crato

Ciro agora admite ser o ‘vice’ numa chapa com Aécio – Postado por Océlio Teixeira

Em entrevista a uma emissora de rádio cearense, o multicandidato Ciro Gomes (PSB) injetou no debate sucessório a teoria da “barata-voa”.
Consiste no seguinte: José Serra trocaria as incertezas da arenga presidencial pela segurança de uma recandidatura ao governo de São Paulo.
“Nesse caso, o PSDB vai chamar o Aécio [Neves] para ser candidato”, teoriza Ciro. “E, em algum momento, o Aécio vai me chamar para ser vice dele”.
Ao cabo dos três movimentos, estaria consumada a atmosfera de “barata-voa”, abrindo-se no cenário eleitoral, no dizer de Ciro, “20 possibilidades”.
Para começar, diz o pluricandidato, “O PT, que hoje me pressiona para o governo de São Paulo, iria querer que eu concorresse à presidência”. Por quê? Ciro responde: “Porque o Aécio vira favorito, com o apoio do Serra”. Mas, afinal, aceitaria ser vice de Aécio? De início, o candidato a qualquer coisa disse que reafirmaria sua pretensão presidencial.
Minutos depois, na mesma entrevista, Ciro declarou: “Se acontecer a tese barata-voa, me chamem aqui de novo para conversar”. O entrevistador insistiu. Se as baratas baterem asas, aceitaria dividir a chapa com Aécio? E Ciro, de bate-pronto: “Por que não?”
Perguntou-se também a Ciro se há corrupção no governo Lula. Ele respondeu afirmativamente, repisando as críticas à frouxidão moral das parcerias do PT: “Essas alianças são um roçado de escândalos e eu já disse isso ao presidente Lula”. Ciro voltou a criticar a tática de Lula de converter a eleição de 2010 em plebiscito. Para ele, o “debate plebiscitário e despolitizado” é um “crime”. De resto, reafirmou que se considera melhor do que Dilma Rousseff: “Ela é boa, mas eu sou melhor do que ela, até porque eu já participei de umas 20 eleições e ela, de nenhuma”.
Como se vê, ficou ainda mais difícil saber a que cargo Ciro deseja concorrer: Presidente? Governador de São Paulo? Vice de Aécio? Nenhuma das alternativas anteriores? De concreto, por ora, apenas a impressão de que o deputado vai se convertendo, devagarinho, numa espécie de barata-voa de si mesmo.
Escrito por Josias de Souza
Fonte: Blog do Josias

Futebol – Com Amilton Silva ! – Segundo turno do Cearense

Após um pequeno recesso em virtude da decisão do primeiro turno, o campeonato Cearense marca para hoje as seguntes partidas: Ceará X Itapipoca, Limoeiro X Maranguape e no Mirandão em Crato, apesar da crise financeira, os jogadores cratenses prometem empenho e muita luta diante do Boa Viagem. Todas as partidas serão iniciadas aàs 16:00h. Espera-se uma boa presença de público naquela praça esportiva. O próximo comprimisso do Azulão será na terça feira diante do Guarani de Juazeiro do Norte. Jogadores e diretores do time cratense estiveram reunidos esta semana, e a pauta foi o atraso nos salários dos atletas, a diretoria se comprometeu colocar em dias os salários dos profissionais, já os atletas se comprometeram a lutar pela equipe cratense.



Fotos e Reportagem: Amilton Silva – Editor de Esportes do Blog do Crato

Dilma cresce em intenção de voto e já encosta em Serra, diz Datafolha

Pesquisa Datafolha publicada na edição de domingo da Folha, mostra que a ministra petista Dilma Rousseff (Casa Civil) cresceu cinco pontos nas pesquisas de intenção de voto de dezembro para janeiro, atingindo 28%. No mesmo período, a taxa de intenção de voto no governador de São Paulo, José Serra (PSDB), recuou de 37% para 32%. Com isso, a diferença entre os dois pré-candidatos recuou de 14 pontos para 4 pontos de dezembro para cá. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. No entanto, é impreciso dizer que o levantamento indica um empate técnico entre Serra e Dilma. A pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 25 de fevereiro. Foram ouvidas 2.623 pessoas com maiores de 16 anos.

da Folha Online

O maior lobista do país – postado por Armando Lopes Rafael

Fonte: revista VEJA

José Dirceu, o “consultor” mais quente da República, aparece no meio de uma bilionária operação que pretende botar em pé uma empresa estatal de internet e, claro, fazer a fortuna de alguns bons companheiros

De tempos em tempos, o governo Lula se vê obrigado a explicar negócios obscuros, lobbies bilionários, maletas de dinheiro voadoras e beneficiamento a grupos privados. Já é uma espécie de tradição petista. E o que une todos esses casos explosivos? José Dirceu, o ex-militante de esquerda e ex-ministro-chefe da Casa Civil que se transformou no maior lobista da República.

Onde quer que brote um caso suspeito incluindo gente do PT e dinheiro alto, cedo ou tarde o nome de Dirceu aparecerá. Ele tem se esgueirado nas sombras, como intermediador de negócios entre a iniciativa privada e o governo desde 2005, quando foi expurgado do cargo de ministro por causa do escândalo do mensalão. Sem emprego, argumentou que precisava ganhar a vida e se reinventou como “consultor”, o eterno eufemismo para “lobista”. Passou a oferecer, então, duas mercadorias: informação (dos tempos de Casa Civil, guarda os planos do governo para os mais diversos setores da economia) e influência (como o próprio Dirceu adora dizer, quando ele dá um telefonema para o governo, “é O telefonema”). Em ambos os casos, cobra bem caro por seus serviços.
Na semana passada, um dos serviços do “consultor” José Dirceu causou um terremoto em Brasília. Os jornalistas Marcio Aith e Julio Wiziack revelaram que ele está metido até a raiz dos cabelos implantados em uma operação bilionária para criar a maior operadora de internet em banda larga do país. O negócio está sendo coordenado pelo governo desde 2003 e vai custar uma montanha de dinheiro público – fala-se em até 15 bilhões de reais. Deverá fazer a alegria de um grupo de investidores privados que, ao que tudo indica, tiveram acesso a informações privilegiadas e esperam aproveitar as ações do governo para embolsar uma fortuna. O Plano Nacional de Banda Larga – nome oficial do projeto sob suspeita – começou a ser gestado no início do governo Lula, quando Dirceu ainda era ministro. A ideia era criar uma estatal para oferecer internet em alta velocidade a preços subsidiados em todo o país – uma espécie de “Bolsa Família da web”.
Dirceu passou a defender a ideia de que a nova empresa fosse erguida a partir de outras duas, já existentes, mas que estavam em frangalhos: a Telebrás, que depois da privatização do sistema de telefonia, em 1998, ficou sem função, e a Eletronet, dona de uma rede de fibra óptica que cobre dezoito estados. A Eletronet era uma parceria da Eletrobrás e da americana AES, mas, por ser deficitária, estava em processo de falência. O projeto de Dirceu era capitalizar as duas companhias e fazer com que a Telebrás oferecesse internet em alta velocidade usando a rede da Eletronet. O presidente Lula aprovou a proposta – afinal, não é todo dia que se antevê uma estatal inteira, pronta para ser aparelhada. Apesar de o projeto ter sido desenhado em 2003, só começou a se tornar público em 2007. E este foi o pulo do gato: quem ficou sabendo dos planos oficiais com antecedência teve a chance de investir nas ações das duas empresas e, agora, poderá ganhar um bom dinheiro com o desenlace do plano.
A explosiva criação da estatal de banda larga é só mais um dos muitos negócios em que Dirceu está metido. Desde que foi defenestrado do governo, o ex-militante de esquerda foi contratado por alguns dos empresários mais ricos do planeta para “prestar consultoria”. O magnata russo Boris Berezovsky, proibido pela Justiça de seu país de voltar para casa, contratou Dirceu para tentar receber asilo político no Brasil e facilitar suas operações financeiras por aqui. O terceiro homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim, dono da Claro e da Embratel, pagou a Dirceu para que ele defendesse seus interesses junto aos órgãos reguladores da telefonia brasileira.
No Brasil, sua lista de “clientes” inclui a empreiteira OAS, a Telemar (que o contratou quando precisava convencer o governo a mudar a legislação brasileira para viabilizar sua fusão com a Brasil Telecom), a AmBev, e muitos outros pesos-pesados. A atuação tão animada de Dirceu vem causando arrepios no governo. “Fazer lobby e aproveitar contatos no exterior para ganhar dinheiro, tudo bem. Mas fazer tráfico de influência com informação privilegiada do governo é um risco enorme”, avalia um dirigente petista. As “consultorias” de Dirceu podem se tornar uma bomba para o PT durante as eleições deste ano.
Fonte: revista VEJA

Psicologia no Cotidiano – Ansiedade – Por César Mousinho

Um sentimento de apreensão desagradável, Vago, acompanhado de sensações físicas como vazio (ou frio) no estômago (ou na espinha), opressão no peito,palpitações, transpiração, dor de cabeça, ou falta de ar, dentre outros, A ansiedade é um sinal de alerta, que adverte sobre perigos iminentes e capacita o indivíduo a tomar medidas para enfrentar ameaças. O medo é a resposta a uma ameaça conhecida, definida; ansiedade é uma resposta a uma ameaça desconhecida. A ansiedade prepara o indivíduo para lidar com situações potencialmente danosas, como punições ou privações, ou qualquer ameaça a unidade ou integridade pessoal, tanto física como moral. Desta forma, a ansiedade prepara o organismo a tomar as medidas necessárias para impedir a concretização desses possíveis prejuízos, ou pelo menos diminuir suas conseqüências. Portanto a ansiedade é uma reação natural e necessária para a auto-preservação. Não é um estado normal, mas é uma reação normal, assim como a febre não é um estado normal, mas uma reação normal a uma infecção. As reações de ansiedade normais não precisam ser tratadas por serem naturais e auto-limitadas. Os estados de ansiedade anormais, que constituem síndromes de ansiedade são patológicas e requerem tratamento específico.

Os animais também experimentam ansiedade. Neles a ansiedade prepara para fuga ou para a luta, pois estes são os meios de se preservarem. Bebê- A ansiedade é normal para o bebê que se sente ameaçado se for separado de sua mãe. Criança – para a criança que se sente desprotegida e desamparada longe de seus pais. Adolescentes- para o adolescente no primeiro encontro com sua pretendente ou nas vésperas de uma entrevista para um emprego e vestibulares. Adulto- para o adulto quando contempla a velhice e a morte, e para qualquer pessoa que enfrente uma doença. A tensão oriunda do estado de ansiedade pode gerar comportamento agressivo sem com isso se tratar de uma ansiedade patológica. A ansiedade é um acompanhamento normal do crescimento, da mudança, de experiência de algo novo e nunca tentado, e do encontro da nossa própria identidade e do significado da vida. A ansiedade patológica, por outro lado caracteriza-se pela excessiva intensidade e prolongada duração proporcionalmente à situação precipitante. Ao invés de contribuir com o enfrentamento do objeto de origem da ansiedade, atrapalha, dificulta ou impossibilita a adaptação.

Por vezes a pessoa que sofre de ansiedade, sente uma necessidade de estar sempre a fazer coisas por forma a fugir do seu estado emocional para que se sinta melhor.Normalmente as pessoas ansiosas são “nervosas”, apreensivas e têm dificuldades na concentração e de reflexão.Como sofrem de uma agitação e mal estar constante por vezes têm dificuldade em dormir ou têm um sono não reparador podendo ter sonhos e pesadelos ou um sono leve o que as leva a sentirem-se cansadas ou com pouca energia durante o dia.Por vezes existem sensações corporais como excesso de transpiração, taquicardia, transtornos respiratórios, dores de estômago, más digestões, perturbações intestinais e outras alterações do sistema nervoso autónomo.Algumas vezes este estado de espírito agrava outras situações como alergias, dermatites, e outras devido ao stress e ansiedade constantes.

Por vezes usa-se a psicoterapia para dar uma ajuda nesta situação assim como a prática de exercícios relaxantes como o yoga, tai-chi e outros exercícios físicos por forma a libertarem o stress e a descontraírem a pessoa. No entanto há que fazer terapias para que se localizem as causas por detrás da ansiedade e para que dessa forma se consigam trabalhar e eliminar as causas da ansiedade.A ansiedade é uma característica das personalidades ansiosas e como tal a ansiedade tem muito a ver com a personalidade da pessoa que em muitos casos também é frequente existirem situações físicas no corpo que estão na base da ansiedade e que precisam de ser corrigidas e eliminadas para que a ansiedade se consiga vencer e ultrapassar. Psicólogos(as) utilizam técnicas de psicoterapias de apoio, comportamental-cognitiva. Psiquiatras ministram (antidepressivos e/ou ansioliticos).A maioria dos meus clientes têm uma acentuada melhora ou diminuição de suas ansiedades quando lhes ofereço a oportunidade de discutir e aprofundar suas dificuldades.

A fobia social é o medo patológico de comer, beber, tremer, enrubescer, falar, escrever, enfim, de agir de forma ridícula na presença de outras pessoas. Uma característica importante da fobia social é a ansiedade antecipatória e o sofrimento durante a exposição.No fundo, há que perceber quais as causas por detrás da ansiedade e saber como corrigi-las para que a pessoa passe a viver a sua vida da maneira que ela merece ser vivida.Fontes:Freud – James Gardner, Arthur Henry Bell

Ψ São Paulo 27/02/10 – Artigo VII – Psico-Jurídico – Terapeuta Familiar- www.sosdrogasealcool.org -psicocesarmousinho@hotmail.com Ψ

Sr. João, Em noite Cyberrústica!

Com o mesmo bom humor que leva em vida e que o leva leve aos palcos, João nos presenteou com um show descontraído, poético/musical com ingredientes futuristas. Nada perde pra nada, tudo se transforma! Esta foi a performance de um vendedor de cordéis do velho e do novo mundo.

Sr. João abre o Show!

Leituras e releituras.

O futuro do pretérito!


Meio DJ e completamente show!

Entre Rabecas e Micros… Violas e poesias!


Um micro e um fone para o Nico, não foi suficiente, ele tinha muito a dizer!

Fotos: Pachelly Jamacaru
“Direitos reservados”

Combateremos os "urubus" – por Pedro Esmeraldo

Na vez anterior, iniciamos uma campanha contra a praga de urubus que ora ataca o Crato e que vem serrupiano patrimônio desta cidade.
De vez em quando, temos que tomar decisões para combater esses abutres que nos causam arrepios e que teem por objetivos afastar-nos das lides do progresso cratense. Permanecemos, por muito tempo, nesse meio hostil, acompanhados de pessoas perniciosas proveniente de outras plagas, que, ás vezes, dizem levar vantagens eleitorais e por isso nos arrebatam o que temos de bom.
Como já estamos bastante arrasados com essa violência, ficamos sensibilizados e pedimos que dessem “um basta “ nesse assunto e deixem-nos viver em paz com o trabalho permanentes e livres desse atropelo.
Alguns deles, desavergonhados, chegam aqui de “cara lisa” distribuindo dinheiro a rodo, dando a seus comparsas e que consideramos como: “Pequenos abutres desta cidade”. Vivem sempre enganando e que desejam afastar- desse meio hostil e quer, por sua vez, permanece fora no plano da decência e da moralidade. Pessoas desequilibradas moralmente sobem ao pique da montanha social, sendo bem acolhida por esses abutres que nos envergonhar quando tomam decisões doentias sem expressar as verdades históricas que provém do afastamento da massa podre do quadro social.
Ah meu Deus, consideramos isso uma descortesia política para sociedade cratense, pois conseguem arrebatar todo o patrimônio e dizem que a melhor opção que deve fazer, isso é, afastar do desenvolvimento que é direito de cada cidadão. Infelizmente, aqui eles encontram apoio moral de alguns mafiosos que chamamos de “Pequenos abutres cratenses” Facilmente se perdem por pouca coisa e iludem o povo, desviando da união entre nos cratenses pois seria impossível controlar essa união porque não há entendimento entre os municípios, se continuarmos nessa guerra desigual.
Consideramos esses pequenos abutres como sendo elementos perniciosos e que vivem em praça pública desintegrando à sociedade, conduzindo-a para o caminho do mal.
Como eles, “os abutres”, levam vantagens (devido o fio metal, não deixam o Crato progredir), pois o povo amargurado não respondem ao insultos desses homens maldosos.
Conforme a opinião dos entendidos, todos nós, os cratenses,devemos nos afastar dessa cúpula maledicentes, livrando- nos do desregramento político, vez que constantimente a disparates no correr do tempo e vamos mostrar agora que há prova da maldição com o senhor que se diz ser seu médico seu amigo retirou do Crato, com a força de seu prestigio a quantia de 8 milhões de reais, que seria incorporado a escola de ciências agrárias, e depositou na construção do campus universitário do Juazeiro do Norte. Isso é um desrespeito, uma afronta ao cidadão cratense, Por que ele vem buscar votos em nossa cidade.
Tudo isso é culpa nossa, por que entregamos facilmente o ouro aos bandidos e por isso perdemos vantagens fabulosas de caminharmos para no desenvolvimento. Outro dia dois abutres estiveram em um dos distritos do Crato, incentivando um movimento separatista, provocando a desigualdade e a discórdia entre os nossos habitantes.
O povo cratense deve tomar decisões e marchar firme para o futuro, sem precisar de ajuda de terceiros.
Tá na hora de dar um basta e deixar- nos em paz.

Texto de Pedro Esmeraldo

Roteiro final do mensalão do PT.

IstoÉ teve acesso ao processo judicial com 69 mil páginas contendo laudos sigilosos da Polícia Federal, relatórios reservados do conselho de controle de atividades financeiras, pareceres da Receita Federal e outras representações criminais que tramitam sob segredo de justiça em vários estados.
A investigação derruba a versão de que o dinheiro público estava ileso do esquema de caixa 2 do Partido dos Trabalhadores para comprar votos da base aliada no Congresso Federal. Novos documentos e testemunhas asseguram a origem estatal dos recursos.
O nome de Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte e possivel coordenador da campanha presidencial da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, aparece pela primeira vez no caso desde o início das investigações, em 2005.
Pimentel é apontado como um dos operadores da remessa ilegal de recursos para o exterior, depois usados para pagamentos de dívidas com o publicitário Duda Mendonça.
A origem desses recursos, de acordo com denúncia do Ministério Público Mineiro, está em um contrato superfaturado da prefeitura de Belo Horizonte, feito durante a gestão de Pimentel.
Outro fato novo levantado durante as investigações é o envio de uma mala com R$ 1 milhão à Executiva Regional do PT do Rio Grande do Sul.
O dinheiro foi usado pelos dirigentes estaduais do PT para pagar dívidas históricas acumuladas durante a realização do Fórum Social Mundial, criado por movimentos de esquerda e organizado pelo PT de Porto Alegre.
Os documentos ainda reúnem vários depoimentos de políticos e empresários que comprovam o pagamento de propina a deputados da base aliada do PT. Partidos como o PTB de Roberto Jefferson, ex-deputado responsável pelas primeiras denúncias do mensalão, o PL e o PP são citados nos laudos.
Entre os ouvidos pela Justiça, ainda estão o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o vice-presidente José Alencar e os ex-ministros Márcio Thomaz Bastos, Aldo Rebelo e Walfrido dos Mares Guia, que confirmam a versão de que Roberto Jefferson alertou o presidente Lula sobre a existência do Mensalão.
Fonte – Istoé.

O Cariri Cangaço 2010 já começa a ser construído

Prezados amigos,

Com o tema: Cariri Cangaço – Coronéis, Beatos e Cangaceiros, esse evento de cunho turístico-cultural e científico; em sua edição 2010, terá novamente como cidades anfitriãs: Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e Missão Velha; com a adesão ainda de Aurora e Porteiras. Reuniremos a partir de uma programação plural, dinâmica e universal, personalidades locais, regionais e nacionais, do universo da pesquisa e estudo das temáticas ligadas ao Cangaço, Tradições e Histórias do Nordeste.

O Evento em sua segunda edição terá um conjunto de 16 conferências, seguidas de debates, abordando temáticas ligadas à historiografia nordestina; distribuídas durante o período de realização do mesmo; 6 dias ; nos 6 municípios anfitriões. Os conferencistas são pesquisadores, estudiosos, escritores e professores, de renome nacional.

O Cariri Cangaço – Coronéis, Beatos e Cangaceiros, promoverá um conjunto de 23 Visitas Técnicas aos principais Pontos Turísticos da Região do Cariri, como também aos principais Sítios Históricos ligados ao cangaço na região. Em cada Visita Técnica teremos um estudioso e um guia turístico que fará a explanação sobre o ponto visitado.

O Cariri Cangaço 2010 é uma promoção da SBEC e uma realização das Prefeituras de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e Missão Velha, com o apoio vital da Universidade Regional do Cariri – URCA; ICC- Instituto Cultural do Cariri; Centro Pró Memória Josafá Magalhães; ICVC – Instituto Cultural Vale Caririense, Fundação Memorial Padre Cícero, conta também as parcerias do SESC, do SEBRAE, do Centro Cultural Banco do Nordeste.

O evento programa além das Conferências, Debates e Visitas Técnicas; a II Mostra Cariri Cangaço de Cinema, Vídeo e Documentários; a II Latada do Livro Cariri Cangaço, onde os participantes terão a oportunidade de entrar em contato com as principais obras literárias sobre a temática; o II Grande Salão Cariri Cangaço, onde serão lançadas 8 novas obras literárias sobre a temática; de autores de todo o Nordeste e também São Paulo, além de 17 Apresentações Artísticas, com as mais significativas manifestações culturais e folclóricas de toda região do Cariri, das áreas das Artes Cênicas, Música e Cultura Popular.

O Cariri Cangaço – Coronéis, Beatos e Cangaceiros, acontecerá entre os dias 17 e 22 de Agosto de 2010, na Região do Cariri, sul do estado do Ceará. Conheça um pouco mais da historia desta inciativa a partir do blog oficial do evento: cariricangaco.blogspot.com

Visite, comente, entre! A casa é sua.

Abraços,

Manoel Severo (Coordenador do Cariri Cangaço)

Mirem-se no exemplo desse cidadão – por Carlos Rafael Dias

Esta foto de Nivaldo Soares de Almeida (de autoria de Wilson Bernardo), é bem típica do seu compromisso com as mudanças qualitativas que tanto o planeta precisa. Nivaldo é um exemplo de cidadania responsável e abnegada. O seu voluntarismo em prol da coletividade, e de forma sustentável, é permanente e efetivo. E ele faz realmente o que mostra a foto: ele pega na enxada e realiza.

Digo e provo!

Trabalhei com Nivaldo em dois projetos de extensão da URCA. No programa Universidade Solidária, no município de Sítio do Quinto (BA), e na vila Padre Cícero, distrito da Bela Vista, em Crato, onde Nivaldo coordenou ações ambientais de desenvolvimento sustentável, com geração de renda e melhoria da qualidade de vida das populações envolvidas, através da implantação de hortas orgânicas, caseiras e comunitárias. Em ambas ocasiões, Nivaldo pegava na enxada e dava o exemplo de trabalho e dedicação.

Ah!, se o Crato e o Mundo tivessem mais e mais “nivaldos” como esse!

Marina: eleita, governo com o ‘melhor’ de PT e PSDB – Postado por Océlio Teixeira

Não há coisa mais fascinante do que o sonho. Nele, enquanto o superego adormece, você pode até transar com a mãe do melhor amigo sem provocar estrépito. Tome-se o caso de Marina Silva. O inacreditável tem comparecido aos sonhos dela disfarçado de crível. A presidenciável do PV diz e reafirma: eleita, vai promover “um realinhamento histórico” na política. Governará o Brasil “com os melhores do PSDB e os melhores do PT”. Acha que a propalada “governabilidade” depende da pacificação de petistas e tucanos.
Ouça-se um pedaço do sonho de Marina: “Enquanto o PT e o PSDB não conversarem, vai ficar muito difícil uma governabilidade…” “…Devíamos ser capazes de estabelecer uma governabilidade básica, onde o PT e o PSDB digam: ‘Naquilo que é essencial para o Brasil, nós não vamos colocar em risco a governabilidade’. O Brasil é maior que essas picuinhas”.
De fato, com todos os defeitos, o tucanato e o petismo parecem reunir o que há de menos pior na política brasileira. O diabo é que insistem em se unir ao que há de mais execrável. Vendem o moderno agarrados ao arcaico. A pregação onírica de Marina é a coisa mais sensata que já foi dita nesta fase de pré-campanha. Por isso mesmo, o mais improvável.
Ah, sim, Marina também falou de meio-ambiente. Tenta converter uma nota em concerto: “O meu esforço é de mostrar para as pessoas que, longe de ser samba de uma nota só, é construir uma sinfonia, que todos possam fazer parte dessa orquestra…”  Uma orquestra “…que vai mudar a forma de produzir, consumir, se relacionar com a natureza. Só quem não entende da agenda, acha que é samba de uma nota só”.
Escrito por Josias de Souza
Fonte: Blog do Josias

Prefeito Samuel Araripe parabeniza o desembargador Haroldo Máximo pelo título de cidadão Cratense.


O
Desembargador Dr. Haroldo Máximo estará recebendo logo mais, às 20h no teatro municipal Salviano Saraiva, em Crato, o Título de Cidadão Cratense, outorgado pela câmara municipal. A nossa reportagem esteve hoje com o Prefeito Samuel Araripe, que o parabeniza por mais este título agraciado:

Blog do Crato – “Prefeito Samuel Araripe, como o Sr. vê a entrega hoje do título de cidadão cratense para o desembargador Dr. Haroldo Máximo ?”

Samuel Araripe
– “O Doutor Haroldo Máximo é natural da cidade de Farias Brito, mas é um cratense mesmo por adoção. É um título muito merecido, e isso só nos alegra. A sua escolha para desembargador, no ano passado ( 2009 ), na minha opinião, é o Crato ocupando espaços a nível regional, e a nível federal também. Um homem de uma leitura extraordinária, de uma honestidade acima de qualquer suspeita, chegou jovem ainda junto ao tribunal de justiça. O Dr. Haroldo passará 10 anos como desembargador. Então isso é motivo de muito orgulho. A gente se sente honrado vendo os cratenses brilhando também em outras regiões, e naquele caso específico, junto ao tribunal de Justiça do Estado do Ceará. E aqui eu parabenizo o Dr. haroldo Máximo, e parabéns extensivo à sua família, à dona Ivone, sua esposa por mais esse título merecido. Uma conquista. Ele começou os estudos aqui no Crato, na escola São João Bosco, posteriormente estudou no Colégio Diocesano, e foi Juiz aqui na região. Alguns anos depois, foi para a instância especial que é em Fortaleza. Foi professor da escola da magistratura, o Haroldo que hoje é membro do tribunal Regional Eleitoral, e chegou ao topo da sua carreira, que é o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará. Mas creio que neste conjunto de títulos, para o seu grande prazer, e para o nosso, faltava esse reconhecimento da nossa cidade. E o Crato é que se sente honrado ao conceder esse título de cidadão cratense a esse ilustre filho, para ele que já é de fato, e agora, será de direito.”

Dr. HAROLDO MÁXIMO – Uma Biografia

Haroldo Correia de Oliveira Máximo é natural do município de Farias Brito, filho de José Correia de Oliveira e Maria Máximo Correia, casado, nasceu no dia 05 de novembro de 1949. Iniciou seus estudos na cidade do Crato, na Escola de 1º grau São João Bosco e concluiu o ensino médio no Colégio Diocesano, na mesma cidade. Colou grau em direito pela Universidade Federal do Ceará – UFC em 1973, e, em Administração, pela Universidade Estadual do Ceará-UECE, em 1979. Especialista em Processo Penal, pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR. Participou de cursos de direito comparado na Universidade de Miami- EUA e na Universidade Complutense de Madrid – Espanha. Foi Juiz de Direito titular das comarcas de Jardim, Brejo Santo, 1ª Vara de Juazeiro do Norte. Na capital exerceu a judicatura na 23ª Vara Cível; 8ª Vara Criminal; 4ª Vara do Júri e 2ª Vara de Execuções Criminais Corregedoria de Presídios e Habeas Corpus. Foi implantador e titular da Vara de Execução de Penas Alternativas e Habeas Corpus. Membro da 4ª Turma Recursal, em substituição, no ano de 2001. Exerceu a função eleitoral nas Zonas Eleitorais respectivas e na 3ª Zona, em Fortaleza. Na administração judiciária exerceu as seguintes funções: Vice-Diretor do Fórum Clóvis Beviláqua – Coordenador das Varas da Área Criminal (1997/1998); Coordenador da Vara de Execuções Criminais, Corregedoria de Presídios e Habeas Corpus; Varas do Júri e Auditoria Militar (1999/2001); Coordenador do Plantão Judiciário; Integrante do Comitê de Qualidade Total do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará;

Membro da Comissão de Implantação do Programa “Excelência no Judiciário”; Membro da Comissão de Revisão dos Manuais de Rotinas Forenses; Membro da Comissão de Reforma do Sistema Automatizado de Expedição de Certidões Criminais; Membro da Comissão de Elaboração e Implementação do Projeto de Amparo às Famílias de Vitimas de Delitos com Resultado Morte; Coordenador da Coordenadoria de Cumprimento de Mandados Judiciais da Comarca de Fortaleza; Membro Suplente da Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional; Membro do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará, na categoria de juiz de direito; Coordenador Geral da Escola Superior da Magistratura do Estado do Ceará – ESMEC. Primeiro Presidente da Comissão Nacional de Penas e Medidas Alternativas do Ministério da Justiça. Participou de inúmeros eventos na condição de palestrante, expositor ou debatedor, dos quais sete internacionais, tais como o Seminário Internacional sobre Implemación de Penas Alternativas, em Havana/Cuba; o XII Congresso Mundial de Criminologia, no Rio de Janeiro/RJ; a Conferência Internacional sobre Penas Alternativas, em Brasília/DF e o 11º Seminário Internacional, promovido pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCRIM, em São Paulo/SP.

Foi agraciado com o Colar do Mérito Judiciário, conferido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Piauí; Prêmio Alexandre Martins de Castro Filho, conferido pelo Ministério da Justiça; Medalha Desembargador Moreira, conferida pelo Corpo de Bombeiros Militar do Ceará; Troféu Sapiranga, outorgado pela Fundação Maria Nilva Alves; Presidente de Honra do VII Fórum Nacional de Direito Penitenciário; Diploma outorgado pela Associação Cearense de Magistrados; Certificado de Reconhecimento emitido pela Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional- CEJAI. Além das atividades e homenagens mencionadas, ligadas ao exercício da magistratura, passou a exercer o magistério superior, a partir de 1981, na Faculdade de Filosofia do Crato, sequenciando na Universidade Regional do Cariri – URCA e atualmente é professor do curso de Administração da Universidade Estadual do Ceará – UECE. É oficial R/2 do exército e serviu no 23º Batalhão de Caçadores, durante 03 (três) anos, na condição de 2º Tenente convocado. Diretor da Associação Cearense de Magistrados, por 04 (quatro) anos. É membro acadêmico do Instituto dos Magistrados do Estado do Ceará (Ocupante da cadeira n.º 37), a partir de sua criação. Também foi agraciado com o título de cidadão cratense.

Entrevista: Dihelson Mendonça

Fontes adicionais: Tribunal de Justiça do Estado do Ceará


Música de Qualidade - 24h!

300x250advert

VIDEOS EM DESTAQUE

GALERIA DE FOTOS

Previsão do Tempo


EDIÇÕES ANTERIORES

fevereiro 2015
D S T Q Q S S
« jan    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

Rede Blogs do Cariri




Clique no Logo acima e visite o site oficial da Rede.

Mural Chapada do Araripe



TV CHAPADA DO ARARIPE



A TV Chapada do Araripe é composta por uma coleção de vídeos, entrevistas e reportagens. Escolha o vídeo que deseja assistir, clicando sobre o título. Veja mais detalhes na página da TV Chapada do Araripe.

HOMENAGEM DA SEMANA


CORREINHA

O Chapada do Araripe presta homenagens a um dos maiores mestres da cultura popular que faleceu em Crato recentemente, Francisco Correia de Lima, o Correinha, artista de várias linguagens atuante no município do Crato. Mestre Correinha nasceu no município de farias Brito no dia 14 de fevereiro de 1940, mas era um amante inveterado do Crato, município ao qual costumava fazer referências em suas canções. Talvez por não ter tido seu nome incluído nas listas anuais de mestres reconhecidos pelo Governo do Estado desde 2004, mestre Correinha tenha sido sepultado em meio a homenagens comoventes de moradores do município, mas, como ressaltaram amigos e familiares, sem o devido destaque por parte do Poder Público. Situação destacada durante a sua missa de corpo presente, enriquecida pelo acordeon de Hugo Linard, com quem Correinha gravou recentemente, 15 canções que agora constituem o último registro de sua obra. Segundo o próprio Hugo Linard, as canções registradas nesse último trabalho de Correinha em estúdio são, na maioria, inéditas. ´Ele gravou também ´Belezas do Crato´, mas as outras não tinham registro´, diz, citando canções como ´Coisas do meu sertão´, ´Exaltação a Barbalha´, ´Crato de Açúcar´ e ´Meu Cariri´ e ´Balanceio´. ´Fazia tempo que a gente tava cutucando ele, dizendo que ele tinha que gravar de novo. Ele fez dois compactos e outros discos, no tempo do vinil, além de vários cordéis´. Hugo Linard chama atenção para aspectos peculiares da trajetória de Correinha. ´Ele mantinha um bar aqui no Crato e ainda trabalhava como agente carcerário. Era tão querido que os presos pediram à família por ocasião do seu velório, para deixar um pouco o corpo dele lá na cadeia, para eles o homenagearem´.
Dalwton Moura

Jornal do Vicelmo

Todos os dias na Rádio Chapada do Araripe - Internet, a partir das 07:00, ouça o Jornal do Cariri com Antonio Vicelmo. O Jornal é retransmitido da Rádio Educadora do Cariri em tempo real. Você pode ouvir o programa através da nossa imensa rede de Blogs e websites. Alguns programas antigos estão disponíveis no nosso website Jornal do Vicelmo.

AUXÍLIO À LISTA

Dicas de Filmes



Por trás de todo o grande homem se esconde um professor, e isso era certamente verdade para Bruce Lee que aclamava como seu mentor um expert em artes marciais chamado Ip Man. Um gênio do Wushu (ou a escola de artes marciais da China), Ip Man cresceu numa China recentemente despedaçada pelo ódio racial, radicalismo nacionalista e pela Guerra. Ele ressurgiu como uma Fênix das Cinzas graças à suas participações em lutas contra vários mestres Wushu e lutadores de kung-fu - finalmente treinando icones de artes marciais como Bruce Lee. Esta cinebiografia do diretor Wilson Yip mostra a história da vida de Ip.

Como Publicar seu Artigo


Agora você pode entrar em contato conosco diretamente. Se vc deseja publicar algum artigo que julgue importante para o Cariri, entre em contato conosco. Todos os artigos aprovados serão devidamente creditados aos autores. Os melhores artigos merecerão destaque, e se continuados, os escritores e cronistas poderão se tornar membros permanentes doportal Chapada do Araripe. Contatos: MSN e E-mail: blogdocrato@hotmail.com

Quem somos Nós

O Chapada do Araripe é um site sem fins lucrativos, que visa promover a imagem da região do cariri cearense na Internet. Se você deseja publicar algum artigo no portal Chapada do Araripe, entre em Contato conosco.

Direitos Autorais:

DM Studio – Comunicação & Marketing. Algumas partes do Chapada do Araripe estão sob uma “Licença Creative Commons”, e outras, de acordo com seus respectivos autores, com “Todos os Direitos Reservados” –

www.chapadadoararipe.com - 2014

Contatos: Dihelson Mendonça – MSN e E-mail: blogdocrato@hotmail.com

© 2015 Chapada do Araripe - -